O jogo que gostaria de ter visto



Banana Boat/Praia Clube 2 x 3 Vôlei Amil.

Gostaria muito de ter acompanhado este jogo, ontem. Vamos aos motivos:

– As fases completamente opostas dos times. As mineiras buscam recuperação para os playoffs, enquanto as paulistas ainda sonham com o primeiro lugar. Apesar do momento distinto, os dois times possuem elencos com potencial por, ao menos, uma vaga nas semifinais.

– Mari foi titular do Praia, no lugar que vinha sendo ocupado por Michelle. Não vou relembrar aqui toda a matéria que escrevi semanas atrás sobre os embates internos que o time de Uberlândia enfrentou. E também não vou escrever de novo sobre o potencial que o elenco tem. Mas admito que esperava bem mais do que os oito pontos que Mari fez, sendo titular nos cinco sets.  Foi o número mais baixo entre as atacantes de Uberlândia nas estatísticas de pontuação: Herrera (18), Monique e Natalia Martins (16), Mayhara (11).

– Natália fez 25 pontos pelo Vôlei Amil. Vou dizer que não me lembrava de um jogo com ela pontuando mais do que Tandara, por exemplo.  Coincidentemente, ela foi capitã do time, na ausência de Walewska, lesionada. Natália estava devendo uma grande atuação. Falta ter uma sequência de bons jogos agora.

– Sem Walewska, Angélica daria conta do recado? Foram nove pontos, quatro deles no bloqueio. Comparando com a companheira de setor, conclui-se que a atuação não foi ruim. Carol Gattaz também fez nove, com um block a mais.

– Claudinha tomou muitos esporros de Zé Roberto? Ou está assimilando jogo a jogo a cobrança e atuando melhor? Peço ajuda aos universitários que viram o jogo ontem.



  • MTC

    Daniel,a Mari tá sem ritmo de jogo ainda,só entrava nas inversões e mesmo assim muito rápido!Independente disto o Banana Boat perdeu os dois jogos anteriores com a Michille jogando e mesmo assim quando ganhava ..ganha pelas tabelas….no 3×2!Sabe o que penso,depois de daquele seu post,sobre as brigas internas,que o Spencer Lee quis queimar a Mari,colocou-a no jogo super difícil e sem ritmo de jogo e ele conseguiu a ponto da torcida do pedir a Michelle de volta.Acho que o problema ali não é Mari nem Camila Torquete,o problema ali é o treinador que pensa pequeno,ta acostumado a treinar juvenis..e quando pega um time mais complexo em tudo se perde.

  • Raffael

    Mari por onde passa e passará será motivo de discussão. Ela causa mesmo, mas não a vejo ser desrespeitosa com ninguém. É inegável que tem quem não simpatize, mas é uma atleta que não fez inimigos durante a sua carreira. Ou seja, o genio dela é forte, deve ser dificil de lhe dar, mas não é uma pessoa do mal ou invejosa. Quer ser espaço como qualquer outra do nível que ela é. Foi e é uma das melhores jogadoras de volei do Brasil e sua presença em quadra só agrega, tanto ao time quanto aos investidores. Particularmente não acho que ela vá alcançar esse ano a forma fisica e técnica desejavel, o qua acaba pesando um pouco sobre os ombros, mas trata-se de uma atleta experiente e ainda jovem que tem muito a contribuir pro esporte.

  • rapha soares

    Daniel,

    pelas estatísticas a Mari foi bem na recepção, entregando quase 50% dos passes na mão. Ou seja, ela entrou pra substituir uma passadora e deu conta do recado. Não dá pra saber qtas bolas ela recebeu pois a estatística da CBV é incompleta. Se ela recebeu 16 bolas e virou 8…ótimo!!!! Mas não dá pra saber ou pra julgar

  • Michel Pereira de Oliveira

    Ótima síntese sobre os grandes questionamentos que permearam esse jogo. Pena mesmo que não houve transmissão.
    Apesar da derrota do Praia gostei da escalação da Mari como titular em todos os sets (muito embora tardia). Independente de se tratar de um clássico, se nos bastidores ainda rola estranhamento entre Mari e ZRG, da atual classificação do Praia na Superliga, finalmente o Spencer Lee optou po escalar e dar ritmo de jogo à Mari. Ela é uma baita jogadora, mas, considerando que está vindo de seguidas lesões e inativa há praticamente um ano, precisa de ritmo de jogo pra tentar recuperar a velha forma. Finalmente o técnico está dando um tratamento igualitário pra atleta, haja vista que a Herrera também vinha de lesão e teve muito mais oportunidades para jogar. Pena que não dispomos das estatísticas pra saber o percentual de aproveitamento dela no jogo, assim seria mais tranquilo pra avaliar o real desempenho da Mari.
    Sempre admirei o Spencer Lee e torço pra ele consiga resgatar o voleibol da Mari e, principalmente, estimular sua equipe, mostrar que não há vaga cativa e que é preciso provar na bola o merecimento pela titularidade. Até o momento o Spencer tava se portando como técnico amador; ele é convicto no que faz, até mesmo quando erra. Exemplo disso foi uma partida entre Praia x Unilever na temporada passada (ou na anterior) em que o Praia vencia por 23 x 17 e tomou uma virada graças a uma inversão de 5-1 feita e mantida por ele.
    Em se tratando do Campinas, Natália fez uma quantidade significativa de pontos. Parece, aos poucos, retomar a potência nos ataques, mas, ainda não é nem sombra daquela baita atleta que despontou no Macaé e depois divou no Osasco. Além disso, ainda acho que a fórmula pra vencer o Amil e o Unilever é apostar em um saque pesados pois ambas as equipes têm linhas de passe vergonhosas (pena que os adversários não tem aplicado tal fórmula).
    Uma lástima que não foi transmitido, mas, felizmente ainda poderemos acompanhar bons clássicos que serão transmitidos nesse returno.

    • Edu

      A Natália já afirmou em algumas entrevistas que aquela absurda explosão e velocidade de seu jogo antes das cirurgias não retornou mais após a sua recuperação de quase dois anos.O que ela esta fazendo , como fez anteriormente – na época em que nitidamente combatia o problema de obesidade – é se reinventar de forma inteligente e prática melhorando o bloqueio, defesa e aperfeiçoando o passe.Ela é uma atleta exemplar na superação das dificuldades.

  • HUgo

    Meu caro MTC, quem esta pensando pequeno esta sendo você. Se o treinador coloca a jogadora é para queimá-la, senão é por rixa, ai não dá para agradar gregos e troianos.
    Daniel a Mari foi relacionada em uma boa hora, pois todos que acompanhamos vôlei sabe que no intimo da jogadora ela quer mostrar serviço, justamente para o técnico rival de ontem (José Roberto), e a loira não fez muito feio, sabe-se que ela esta em adaptação, não tem e nunca teve o melhor fundo de quadra e nem mesmo o passe, tem entrado pouco nas inversões, mas precisa urgentemente ser testada. E assim foi, porém, ela foi caçada o JOGO inteiro no passe, a torcida pedia Michele somente qdo Mari estava no fundo, e Spencer foi inteligente em sacar a loira e optar pela Michele em certos momentos. Faltou ao praia um pouco de concentração e mais opção de ataque, coisa que vai resolver qdo Glass estiver recuperada. Eu como torcedor praiano e junto com a torcida reparei pouco no time de Campinas, mas o time jogou bem, poucos deslizes, Claudinha foi muito assertiva nas armações tanto é que o bloqueio do Praia pouco funcionou. Acredito muito na Angélica, guerreira pede bola toda hora e muito nova, com a volta de Wall, ela deixa a Gataz no banco, mas a veterana fez uma boa partida ontem, no bloqueio simples ela pegou algumas ataques interessantes. Foi um bom jogo, tirando o 5ºset que o praia se perdeu e o Amil mostrou a sua eficiência, e alguns erros do juiz que não comprometeu a partida, mas não deveria existir. Jogos assim precisam ser televisionados, vai entender….

  • Juju

    O Spencer tá mal nesta SLF, a Herrera só voltou ao time porque a Glass se machucou e a Mari tá jogando depois de toda a lavagem de roupa suja. As levantadoras levantam pra ela numa má vontade incrível! O time do Praia não faz uma jogada diferente, as duas levantadoras são fracas, parecem que não treinam, o time de modo geral parece meio desunido e não é só com a Mari não. Eu tenho a impressão que as gêmeas tem uma panela e a Mari e a Herrera não fazem parte, apenas impressão olhando de fora, portanto posso estar totalmente enganada. Legal mesmo é a atitude adulta da Fabiana e do Talmo que discutiram, conversaram e resolveram, isso é profissionalismo, por essas e outras é que sou fã da Fabizona.

  • Cadu

    CBV mais uma vez pisou na bola e não estou falando de um jogo desse porte não ter transmissão pela TV/web por problemas de calendário ou logística, mas sim da única opção oficial de acompanhar o jogo, o livescore do site da entidade, estar sempre atrasado se comparado a assessoria dos clubes (Twitter @voleiamil) e a atualização sempre acontecer de 3 ou 4 pontos por vez, além de muitas vezes apresentar dados errados, ontem quando o Praia já havia fechado o primeiro set em 25×23, o placar exibia 24×24 e segundos depois milagrosamente foi para o resultado certo, por exemplo.

  • Fabrisio Cardoso

    Olá, Daniel. O jogo foi muito interessante. O Volei Amil dominou todo o tempo, mas o Praia foi um forte adversario. Não o suficiente para por frente aos grandes adversários mas reacendeu a chama. Agora foi feito com a Mari o que é preciso ser feito. Ela tem que entrar mesmo, ainda que o time sofra um pouco neste momento, mas há que pensar que mais adiante ela pode fazer a diferença. Ela teve muitos problemas com a recepção. Algumas foram horriveis e foram direto para o chão. Para mim, é compreensível e claro o Volei Amil jogava em cima dela o tempo todo. Nestes momentos, o Spencer voltava com a Michelle para dar mais segurança na recepção. A Claudinha esteve bem, e contou com uma vantagem muito grande: recebi quase todas as bolas na mão, pouco se viu ela correndo para lá e para cá. Natalia foi eleita a melhor e pela pontuação mereceu mesmo. Acho que a Monique em alguns momentos deixou a desejar ontem e talvez esteja aí a diferença no marcador final. A vitória do quarto set veio numa virada sensacional, quando varias pessoas já tinha saído do ginasio, mas no tie-break o Volei Amil esteve sóbrio e não deixou duvida de que venceria. Outra coisa sobre a Mari ontem: Ela me pareceu interagir mais com as outras jogadoras. Antes ela estava muito fria e distante.

  • lucas

    Fui ao jogo ontem e devo destacar que a Mari não recebeu nem metade das bolas q a herrera e a monique receberam, parece até que a juliana não queria levantar pra ela…

  • Luiz

    Daniel, a Maria não jogou os cinco sets. O Spencer ficou alternando as opostas. Pesquise antes de falar.

    • Daniel Bortoletto

      ela iniciou os cinco sets. quer dizer que jogou os cinco sets

      • Fabrisio Cardoso

        Realmente jogou os 5 sets. Mesmo quando em um dos sets a Mari saiu no meio deste e a Michelle ficou até o fim, a Mari voltou de titular no set seguinte

  • Rafa

    A claudinha o toma bronca! Qnd erra e qnd acerta ! Zé Roberto quer enfiar uma fofao onde não existe!!!
    ClAudinha merecia um técnico que a respeitasse!!!!

    • CARLOS MATHEUS FERREIRA GUTIERREZ

      Bah é verdade. Ele quer enfiar uma Fofão onde não existe. Ele fala, fala fala e ela fica com um olhar “mas que raios é isso que ele está falando????

  • Cesar Otavio Mendes

    Daniel,

    Só não concordei por completo da sua informação com respeito a Natalia. respeito sua opinião, mas, se analisarmos os números nas seis rodadas do 2º Turno ela marcou 79 pontos, 1 a menos que a Tandara com (80). Já é nitida a regularidade e constancia dela no segundo turno. Não quero dizer com isso que ela vá se a maior pontuadora do AMIl ( potencial ela tem de sobra), mas fato é que A Tandara vive uma fase melhor no ataque e a Natalia preocupa-se nesse momento em estabilizar a recepção do Amil que não vem sendo das melhores. Mas enfim.. Vejamos no que vai dar o restante da competição

    • Mauricio

      Verdade. Em alguns dos jogos do 2º turno a Natalia foi a maior pontuadora do Amil.

  • Mauricio

    Quem assistiu ao jogo no ginásio relatou que a Mari recebeu poucas bolas, principalmente do segundo set em diante. Achei 8 pontos razoáveis pra estréia como titular, além de ter cedido o lugar pra Michelle nas passagens no fundo. Ela e Herrera tem de jogar sempre. Mari foi contratada pra decidir. Pra recuperar seu ritmo e forma, só jogando. Mesmo que custe algumas derrotas ou perda de pontos. Melhor prepará-las na fase de turno do que arriscar nas quartas de final.

  • Aline

    Daniel, assisti a esse jogaço:
    Partidaço da central Natália Martins, da ponteira Herrera e da oposto Monique do PRAIA.
    Pelo AMIL, a dupla TANDARA e NATALIA ZILIO levaram o time nas costas. TANDARA fez um TIE BREAK impecável, ela cresce muito em momentos decisivos.
    Mari pediu oportunidade de jogar, oportunidade foi dada a ela e infelizmente não correspondeu.
    Claro que MARI foi o alvo dos saques do AMIL e teve dificuldades.
    SPENCER sacrificou o time para dar a oportunidade que MARI queria.
    Porém, arrisco dizer que se tivesse jogado com MICHELLE e seu excelente fundo de quadra, o PRAIA poderia ter vencido o jogo…
    Enfim, espero que MARI melhore de rendimento e conquiste seu espaço jogando bem e não exigindo uma escalação.

    • Lucre

      Verdade Aline ? vc estava na quadra porque o jornalista do globoesporte triangulo que estava na quadra vendo o jogo e não somente acompanhando o péssimo ponto a ponto da CBV relatou que levantaram poucas bolas para a MARI , e sem menosprezar você DANIEL BORTOLETTO , um profissional da sua categoria que trabalha exclusivamente com vôlei tem acompanhar jogos desta importância não somente de uma poltrona de tv. OH LANCE LIBERA VERBA PARA SEUS COOPERADORES .

      • Daniel Bortoletto

        trabalho exclusivamente com vôlei? Está enganado, meu caro. sou editor da edição do RJ, cuido de toda a produção para edição impressa, site e TV. O dia que trabalhar exclusivamente com vôlei, farei 15 posts por dia e irei a todos os jogos. E não seria má ideia

    • Mauricio

      O excelente fundo de quadra da Michelle fez o Praia perder pro Sesi e pro Barueri de 3 x 0. Não tem muita coisa a ver.

  • Isa

    Realmente a Juliana vacilou nesse jogo. As bolas de meio estavam super marcadas (principalmente no 5 set), além disso, Herrera e principalmente a Mari receberam poucas bolas perto do que se espera. Monique poderia ter sido mais decisiva teve chance de fechar o 2 set e o praia abrir 2×0. Mas é isso ai, bola pra frente agora. Que o time ganhe força!!

MaisRecentes

A dor de Gabi e de quem estava ao lado



Continue Lendo

Duas gratas surpresas na Superliga



Continue Lendo

Minas espera Hooker ainda em outubro



Continue Lendo