O estrago que a nova pontuação faz. É justo?



Sesi – 4 vitórias e 4 derrotas = terceiro lugar com 15 pontos

Vivo/Minas – 4 vitórias e 4 derrotas = sétimo lugar com 10 pontos

A implantação da pontuação que premia as derrotas no tie-break cria situações até certo ponto inusitadas no vôlei moderno.

A situação de Sesi e Vivo/Minas na Superliga masculina prova isso. Número de vitórias e derrotas igual, mas cinco pontos e quatro posições de diferença. É muita coisa.

Os paulistas perderam três vezes no tie-break e somaram três pontos nas derrotas. Por sua vez, nenhuma das quatro vitórias aconteceu no quinto set, fazendo com que todas valessem três pontos. Já os mineiros ganharam duas vezes no set desempate (faturando dois pontos em cada) e não levaram o jogo para o tie-break em nenhuma das derrotas.

Sinceramente, eu não vejo motivo para premiar quem perde uma partida. Não consigo achar sentido esportivo, já que lutar até o fim por uma vitória não é mais do que a obrigação.

Ao comparar a situação do Sesi com a do Medley/Campinas, tenho mais certeza ainda de que a pontuação atual não é a ideal. O time comandado por Marcos Pacheco ganhou seis dos oito jogos, mas está em quarto, atrás do Sesi, com 14 pontos. A explicação: quatro triunfos campineiros aconteceram no tie-break.

A classificação, então, não premia quem vence mais, mas quem vence “melhor”.

Nunca havia colocado isso em discussão no blog. Qual a opinião de vocês?



  • rogério

    O vôlei não tem empate. portanto, eu encaro esta pontuação como justa para os dois times. E, no fim das contas, vai ganhar o campeonato quem vencer mais partidas, independente do placar final. como dizem por aí quem quer ser campeão não pode escolher adversário, tem que ganhar de quem quer que apareça pelo caminho. um abraço!

    • Carla

      em nenhum momento foi falado de escolha de adversario. a questão é outra, vitória com diferentes pesos. Acho injusto

    • Iuri

      Vai ganhar quem vencer mais partidas? Tem certeza? Pq no blog fala justamente que ta acontecendo o contrario, o que é injusto…

      • rogério

        Ganha o campeonato quem ganhar mais partidas sim, pois equipe precisa se classificar entre as 8, passar pelas quartas e semis e vencer na final.

        • Eduardo

          O papo é sobre a fase de classificação. É fundamental pra prestensões na segunda fase a posição do time. Então nao é simples assim ganha o campeonato quem ganhar mais. Se fosse assim, nao se matariam por uma boa colocação na tabela, classificar entre os 8 estaria bom demais já. Vamos atentar ao que está sendo proposto pra discussão.

          E outra, dois times chegam a final, o que ganhar pode ter chegado ali com menos vitórias sim

        • bsb

          Concordo, não tem nem o que discutir.

        • Lucas

          Vai vencer quem ganhar a final e não quem ganhar mais partidas. O Sesi pode ser campeão tendo vencido menos que um time que caiu nas quartas, por exemplo.

      • Eduardo Bernardo

        Só não ganha o campeonato quem obtiver apenas vitórias por 3 a 2 o time que disputar uma taça de pontos corridos, como a Copa do Mundo de Vôlei. Neste caso, esse sistema de pontuação não é adequado. Fora desse contexto, como na nossa Superliga, eu aprovo.

  • Realmente é algo a ser discutido ainda mais porque na temporada passada a pontuação não causou essa “confusão” na tabela. Esse ano a pontuação vai afetar e muito os cruzamentos dos playoffs, talvez até com clássicos e times considerados favoritos a uma final.

    É algo relativo também… por que não “premiar” uma equipe que sai perdendo de 2×0, empata a partida, mas é derrotada no tie-break?
    Esse “vencer melhor” também é relativo… quem acompanha voleibol sabe muito bem que uma vitória de 3×0 não quer dizer que o confronto foi fácil, pode ter sido até mais equilibrado do que um 3×2, por exemplo.
    Mas é o tipo de discussão que se tem pelo fato do esporte não admitir empate.

    Eu gostei da mudança, mas se daqui um tempo for necessária outra alteração não vejo problemas também.

  • Alex

    Existe esse problema, mas também existe o problema de que, se a pontuação da derrota fosse 0 independente do placar, um time que perdeu no tie-break por 2 pontos de diferença seria o mesmo de um time que perdeu por 25-5 nos 3 sets.

    Talvez o que poderia mudar seja a proporção, dando mais valor para uma vitória:
    – 4 pontos para uma vitória por 3×0 ou 3×1
    – 3 pontos para uma vitória por 3×2
    – 1 ponto para uma derrota por 3×0 ou 3×1.

  • Afonso RJ

    Eu vejo a coisa da seguinte forma: Praticamente qualquer forma de pontuação vai ter seus “prós” e seus “contras”. Para mim tanto faz esse sistema ou o antigo. Ambos fatalmente vão cometer injustiças. Uma idéia que me atrai muito seria acabar com o “tie break” na fase classificatória e dar empate nos 2 sets a 2. A televisão iria “amar”.

    • Marco Túlio

      Concordo. Até a parte das injustiças.

      Empate no vôlei pra mim não deve existir.

    • bsb

      O mundo vai acabar!!!!
      Já é idiota dizer no futebol, quem foi melhor? Deu empate.
      Imagine tb no volei? Pessima ideia.

      • Afonso RJ

        Porque não haver empate? Se é questão de opinião, entendo perfeitamente e respeito. Mas em se tratando de um esporte, onde as regras são por definição arbitrárias, em termos de argumentação contra um eventual empate no vôlei – por mais lógica que seja – garanto que se pode encontrar outro contra-argumento igualmente válido.

        Mas a questão central aqui é o sistema de pontuação, e na minha opinião ambos se equivalem, pois ambos são imperfeitos. Novamente pode-se achar argumentos mais que lógicos para defender ou atacar os dois sistemas, sem que se chegue a nenhuma conclusão definitiva sobre nenhum deles.

  • Joao Silva

    Daniel, poderia postar, como seria a classificação hoje, caso nao tivemos este sistema de pontuação? Sendo vitoria 3 e derrota 0.

    • Daniel Bortoletto

      Classificação atual
      1 – RJX – 21
      2 – Sada/Cruzeiro – 20
      3 – Sesi – 15
      4 – Medley/Campinas – 14
      5 – Móveis Kapperberg/Canoas – 14
      6 – Volta Redonda – 11
      7 – Vivo/Minas – 10
      8 – São Bernardo – 10
      9 – Super Imperatriz – 9
      10 – Vôlei Futuro – 8
      11 – Funvic/Midia Fone – 7
      12 – UFJF – 5

      Classificação com sua sugestão
      1 – RJX – 21
      2 – Sada/Cruzeiro – 21
      3 – Medley/Campinas – 18
      4 – Móveis Kapperberg/Canoas – 15
      5 – Sesi – 12
      6 – Volta Redonda – 12
      7 – Vivo/Minas – 12
      8 – São Bernardo – 9
      9 – Super Imperatriz – 9
      10 – Vôlei Futuro – 9
      11 – Funvic/Midia Fone – 3
      12 – UFJF – 3

      • bsb

        E o feminino? Não existe?

        • Daniel Bortoletto

          existe, mas fiz uma análise de Sesi e Medley/Campinas, do masculino. Apenas isso

      • Erick

        Ou seja nao muda quase nada. Discussão boba.

        • Luiz

          Como eu disse: é um impasse.

  • Fernando

    Eu acho válida a pontuação, visto que realmente dá mais equilíbrio na tabela.

  • lucas kazan

    estrago kkkkk essa nova pontuaçao é otima.

  • César Castro

    Acho muito justo o sistema.

  • Luiz

    Olha, eu não acho o regulamento perfeito – como nada é. Mas, quem escreveu o post foi o estágiário?

    Se uma equipe teve mais copetencia para vencer mais sets e fazer mais pontos, é merito dela sim estar na frente, mesmo que tenha o mesmo número de vítórias e derrotas de outra equipe.

    Agora imagine você como jogador; seu time está perdendo de 2×0, você se esforça, dá o sangue, vira a partida, mas mesmo assim perde no tie break. Imagine como o atleta não sai frustrada de quadro, depois de suar, correr, lutar. Um pontinho pode fazer muita diferença para esta equipe sim. Mas, tem gente que cai no erro de não se colocar no lugar do atleta. Falar de fora é muito fácil.

    A frase “, já que lutar até o fim por uma vitória não é mais do que a obrigação.” não faz sentido algum. Até porque não se perde set por falta de vontade, mas sim porque em alguns casos o time adiversário jogou melhor. Como aconteceu em um dos sets do jogo RJX x SESI. O Sesi já estava vencendo o jogo, mas o Lucão foi para o saque e soltou várias bombas quase impossíveis de passar. Agora, eu pergunto: O mérito foi do Lucão ou dos passadores do SESI que “não cumpriram a obrigação de lutar até o fim”? Estranho. Muito estranho este post.

    E ainda o que é pior. Quem realmente acompanha a super liga sabe que o SESI vive um momento ruim FISICAMENTE, e mesmo assim ganhou jogos importanes. E sabe também que o Minas vive o mesmo momento, mas têm um fraco corriqueiro que se extende desde o ano passado: eles fazem cinco pontos; depois entregam os mesmo cinco. O Minas não sabe jogar na frente. É um time arregão. Então, o SESI não tem culpa se o Minas não é equilibrado e perde sets bobos.

    • Daniel Bortoletto

      Não foi o estagiário, engraçadinho.

      • Gabriela

        E se tivesse sido? Algum problema com os estagiários, Luiz / Daniel?

        • Daniel Bortoletto

          não. já fui estagiário e trabalho com mais de 20 no LANCE!

        • Luiz

          Problema nenhum. Eu sou igual ao Bill Clinton: pego geral. Adoro. Quanto mais melhor. hahaha

          • Gabriela

            Com certeza, garanhão! Faz me rir!

    • Eduardo

      Sesi e Minas só serviram de exemplo pra ilustrar o debate sobre o tema. O sistema não é mais justo ou injusto pq o Minas é um time arregão, pq o Sesi tá mal fisicamente ou qualquer coisa, a situação na tabela foi colocada pra mostrar a justiça do sistema. Sempre times vão perder sets por bobeira, descuido ou merito do adversario, mas a vitoria sempre tem que ser valorizada. Eu pessoalmente, não vejo sentido em tirar um ponto de uma vitoria num tie. Porcamente comparando, seria o mesmo que um time que ganhasse apenas na prorrogação no basquete não levasse os pontos totais da partida. Com certeza embola o campeonato,mas para mim vitoria é sempre vitoria e precisa ser considerada como tal. Um time que levou varios pontos por ter perdido no tie, mas levado até ele, pode estar muito perto de um time que ganhou mais jogos, mas apenas no tie. Tem alguma coisa de errada aí, não?

      • Luiz

        Se for para seguir o seu pensamento e o do Daniel Bortoletto, o time que venceu no tie, teria que ser “penalizado”também, pois deu bobeira em perder dois sets, não é mesmo? Então, este time merece sim ter perdido um ponto, e a questão em si morre em um impasse.

        • Eduardo

          Qual bobeira? O volei é um esporte melhor de 5 sets, EU não vejo motivo em penalizar algum time que só vença no tie, afinal é o objetivo do volei é vencer 3 sets e ele fez isso dando bobeira ou não. Futebol nao diferencia vitorias magras de vitorias gordas, nenhum esporte penaliza quem vence. Enfim, eu não concordo.

          • Luiz

            A pontuação é justa, pronto e acabou. O resto é choro de perdedor!

    • Daniel Bortoletto

      Me pergunto se é tão difícil dar opinião sem atacar ninguém que pensa diferente, mostrando apenas argumentos.

      • Eduardo

        Não é dificil. Mas na internet a maioria gosta de ser “fodão”, Daniel. É dose!

      • Afonso RJ

        Acho que o ponto central aqui é a frase:

        “Sinceramente, eu não vejo motivo para premiar quem perde uma partida. Não consigo achar sentido esportivo, já que lutar até o fim por uma vitória não é mais do que a obrigação. ”

        O problema aqui não é lutar ou não lutar até o fim. Acho que é “conseguir”. Premia-se não a luta, o empenho, que – concordo – não passa de obrigação qualquer profissional. Mas premia-se o fato de “conseguir” vencer dois sets.

      • Emanuella

        é o “machão” da internet Daniel, ta cheio por aí. Me admiro você não ter banido o Luiz daqui ainda.

        • Luiz

          Não sei por que. Nunca faltei com respeito a ninguém. Minhas opiniões são ácidas – eu confesso, mas imagine a vida como seria sem graça se todos tivessem apenas a mesma opinião.

    • Emanuella

      mas o que acontece é exatamente o contrário, o time que ganha mais esta ficando para trás, a vitória não esta sendo valorizada. Seu argumento não faz sentido.

  • bsb

    O sistema de pontuação premia quem é melhor. Se vc é capaz de vencer por 3×0 ou 3×1 que vença e leve tres pontos se vencer por 3×2 vc não é tão melhor assim do que seu rival, então leva 2 e o perdedor 1. Justíssimo! Acho que não deveria nem estar em discussão, se não fosse assim um time como o RJX OU OSASCO por exemplo poderia colocar times mistos ou reservas em alguns sets contra os ultimos colocados e escolher quando quer ganhar um set. Assim vc joga o seu melhor sem ter o direito de “enrolar” um jogo que vc é claramente o melhor. Se fosse do outro jeito o Praia e o Sesi sairiam sem nenhum ponto contra Rio e Osasco respectivamente. Ou seja tudo o que fizeram seria em vão, partidas equilibradas não valeriam nada?

    • Emanuella

      mas dai acontece o contrário, você premia o perdedor, que é o que aconteceu no caso do Sesi, esta lá na frente pelas derrotas, e não pelas vitórias.

  • Perikito

    Esse sistema de pontuação, que virou moda no vôlei, quase deixou a seleção feminina longe da fase do mata-mata em Londres, só que eu nunca vi uma situação tão absurda como essa da Superliga Masculina. É estarrecedora!

    Concordo com a análise do Bortoletto. Premiar quem perde é bizarro. Seria interessante se num jogo que terminasse em tie-break, o time vencedor saísse com menos pontos (2 pontos estaria de bom tamanho) do que os que vencessem sem precisar ir ao quinto set (3 pontos), enquanto que o perdedor em qualquer circunstância não pontuasse.

  • Thamyres

    Não sei como posso argumentar contra ou a favor, porque sinceramente não tenho opinião formada sobre a pontuação. Já conversei com algumas pessoas e nada.
    Entretanto, penso que existe um “equilíbrio” entre as equipes, e em um playoff tudo pode acontecer. Como a superliga é “longa” acredito que a formula funcione em turno e returno para dar uma emoção.
    Pensando no quesito campeonatos curtos, acho que é mais grave ainda. Lembrando Londres 2012 a seleção Feminina quase fica de fora do playoff por causa da pontuação.
    E ainda um caso bom de ser discutido foi o jogo de “comadres” das Coreanas e Chinesas que queriam ambas se classificar e nessas horas é preciso saber fazer matemática.
    Os EUA só queria ganhar, não fazer matemática.

    Bom joguei coisas pra se pensar galera.
    Daniel, seria interessante você conversar com alguns atletas e perguntar para eles sobre a pontuação.

  • Valdir

    Pra mim, a diferença entre a vitória e a derrota é que deveria ser maior. Se fossem 4 pontos pra 3×0 ou 3×1, e 3 pontos pra 3×2, 1 ponto para 2×3, não criaria tanta alteração assim, e ainda premiaria quem lutou até o quinto set pra não sair de mãos abanando. Seria mais justo.

    Esse problema de “justiça” já rolou na Copa do Mundo Masculina de 2011.

    RUS Russia 29 11 10 1 6 3 1 1 30 8 3.750 916 781 1.173
    2 POL Poland 26 11 8 3 3 4 1 3 30 15 2.000 1’032 944 1.093
    3 BRA Brazil 24 11 8 3 5 1 2 2 1 29 14 2.071 983 857 1.147
    4 ITA Italy 24 11 8 3 3 4 1 1 2 28 15 1.867 1’029 925 1.112

    Polônia, Brasil e Itália ficaram com 3 derrotas. Porém, a Polônia perdeu todas por 3×2, fez 26 pontos. Brasil e Itália fizeram 24 cada um. Brasil jogou 4 jogos no 5 set, 2v2d, e a Itália apenas 2 1v1d. Polônia 4 jogos também, 1v3d. A Itália inclusive ficou com set average melhor que o Brasil e point average melhor que a Polônia, mas devido a nova regra, ficou em 4 e não classificou para a Olimpíada nessa competição.

  • Emanuella

    acho que o erro maior é a pontuação da vitória, acho que tinha que ser 3 para a vitória seja como for, e podia ser um para cada derrota por 3×2. Porque assim o maior premiado nisso tudo é o derrotado, não os vencedores.
    Tem que ser repensado isso aí. não sei o que seria ideal, mas da maneira que esta acontecendo não é legal.

    em qualquer esporte ganhar de 1 gol ou ponto de diferença vale o mesmo que ganhar de 10 ou 50 de diferença. O volei é o único esporte que premia o derrotado, desde de que perca por pouco.

  • romano

    eu acho o atual sistema mais justo que o antigo, que ou você pontuava ou ficava no zero. O atual sistema dá os 3 pontos para quem tem uma vitória incontestável, por 3×0 ou 3×1, perfeito, no caso de tie break acho justíssimo dividirem a pontuação, já que a vitória vem com todos os 5 sets jogados, é merecido sim, pois é proporcional aos sets jogados.

    mais justo seria discutir a final em um único jogo, sem ser melhor de 5 ou 3 jogos, isso é complicado pelo campeonato ser longo e resolvido em apenas uma partida, é mais emocionante e melhor para a tv.

    gostaria de ver aqui mais notícias dos jogos, hoje o Praia venceu o Amil por 3 x 0 , um belo resultado, e o time da Unilever repetiu o placar com o Sesi, a líbero juvenil sofreu muito no passe fazendo o time todo cair de produção.

  • Wasley

    Eu não gosto do sistema atual de pontuação no vôlei. Eu fico incomodado com a diferença de apenas 1 ponto entre o time vitorioso e o time derrotado em uma partida de 5 sets. Nem sempre uma partida que chega ao tie-break ocorre por “bobeira” das equipes envolvidas. Eu prefiro que haja, pelo menos, uma diferença de 2 pontos entre o vitorioso e o derrotado: ou com a vitória valendo 3 pontos e a derrota no tie-break proporcionado 1 ponto ao time derrotado; ou a vitória no tie-break valer 2 pontos e a derrota, nada.

  • Wasley

    Outro exemplo do sistema atual:

    Grand Prix 2012:

    Fase classificatória:
    1) EUA: 27 pts
    2) China: 23 pts
    3) Turquia: 21 pts
    4) Tailândia: 20 pts
    5) Brasil: 19 pts
    6) Cuba: 19 pts

    O Brasil ficou em 5º, com o mesmo número de pontos de Cuba, tendo perdido apenas 1 partida. O Brasil ganhou 5 partidas no tie-break, o que ocasionou a perda de 5 pontos.

  • Adriano

    Muito oportuno esse assunto ser trazido à tona. Já houve um pouco de polêmica no ano passado, durante a Copa do Mundo, mas o barulho acabou sendo pequeno. Acho que tem que ser mais problematizado. Gostaria de saber, principalmente, se os jogadores e comissões técnicas acham isso justo.

    Eu não acho. Acho ridícula essa regra da pontuação diferente em jogos de 5 sets, porque, basicamente, o que tu está fazendo é desvalorizar a vitória. O set average já serve, enquanto critério de desempate, pra premiar os times mais regulares, que perdem menos sets nas suas vitórias ou ganham mais sets nas suas derrotas. E tá de bom tamanho. É injusto aproximar a pontuação de duas equipes só porque a partida se decide no tie-break. Os times jogam pra vencer, não pra “ao menos conquistar um ponto perdendo”. O derrotado sai de mãos abanando, como alguns comentaram? Paciência. Se esforce mais pra vencer, na próxima. A regra é absurda.

  • Douglas

    Olha, eu achei bacana esse novo sistema, porque premia quem ganha por 3 a 0 ou 3 a 1, é como se uma partida de fut que fosse ganha na prorrogação depois de um empate… nao e perfeita porque gera distorções, mas é melhor que a antiga, sim…

  • MARCOS ALEXANDRE ZAGONEL SANTOS

    Creio ser justo pontuar melhor quem vence ojogo por uma score mais dilatado. Não acho justo premiar quem perde uma partida.

  • Thederson

    Daniel,
    Não vejo esse tipo de pontuação como premiação para o perdedor, mas sim uma premiação pelo teoricamente equilíbrio entre as equipes, sei que isso não é uma regra, mas vamos supor que um jogo termine em 3×2 sendo que todos os sets foram terminados com a diferença mínima de 2 pontos, neste caso não merece um ponto a equipe derrotada? Não por ter perdido mais sim pelo vôlei apresentado onde a equipe adversária foi mais feliz no ultimo set por méritos e não demérito de quem perdeu. Vejo isso como uma premiação acima de tudo aos amantes do vôlei que presenciariam esse espetáculo. Porem sei que esse placar não significa que foi um jogo com tamanho equilíbrio, mas acho que essa formula é pensada para essas situações.
    Acho que o sistema é não é perfeito pois não acredito que seja possível fazer um que seja, mas não consigo ver um outro tipo de sistema mais competitivo, ainda mais se tratando do vôlei aqui no Brasil, vide temporadas anteriores com outros tipos de sistemas de pontuação, onde eram criados verdadeiros abismos entre as equipes com um grande investimento e as medianas. Pelo menos nesse sistema podemos presenciar gratas surpresas como as equipes do Praia clube no feminino e do Canoas no masculino.
    Talvez pode ser que ele seja melhorado como as propostas cima de uma pontuação maior para quem vencer por 3×0 ou 3×1, e aumentar a diferença entre as duas equipes envolvidas em um placar de 3×2.

  • Fabiano Gomes

    Pessoal, pelo que me lembre, no sistema antigo, vitória dava 2 pontos e derrota 1. Pelo que li por aqui, muitos acreditam que no sistema antigo o perdedor não pontuava, o que não é verdade. Ou seja, o sistema antigo tb premiava quem perdia.

    O bom dessa pontuação atual é que dá mais chance pra quem tá embaixo se recuperar. Isso torna o campeonato mais competitivo, pelo menos em tese.

    Se eu for pensar o sistema atual como injusto, isso vai me remeter tb à classificação dos países nas Olimpíadas. Eu discordo, por exemplo, que um país que só tenha uma medalha, sendo esta de ouro, fique à frente de um país que tenha 50 medalhas de prata e outras 50 de bronze, mas nenhuma de ouro. Creio que as medalhas de prata e bronze devam ter pesos mais relevantes.

    Creio que a pontuação antiga do vôlei está para o método atual de classificação assim como a pontuação atual do vôlei está para uma possível classificação olímpica que pese mais a prata e o bronze.

  • Tiago Araújo

    Pra mim a solução ideal seria no 3×2, três pontos para o vencedor e um ponto para o perdedor.

    • lucas kazan

      kkkkkkkkkkkkkk ta brincando né seria um lixo nao tem logica.

MaisRecentes

Minas espera Hooker ainda em outubro



Continue Lendo

Vaivém: Vôlei Nestlé confirma apresentação de peruana



Continue Lendo

Vaivém: Polonesa é esperada em Barueri



Continue Lendo