O doping de Murilo



O jornal O Globo revelou ontem que o ponta Murilo, do Sesi, testou positivo em um exame antidoping para a substância “furosemida”, um diurético.

O teste-surpresa (fora de período de competição internacional) foi um pedido da Federação Internacional de Vôlei (FIVB).

Murilo em ação contra a Austrália pela Liga Mundial (FIVB/Divulgação)

Murilo em ação contra a Austrália pela Liga Mundial (FIVB/Divulgação)

Segundo a reportagem o jogador já pediu a contraprova e vai esperar o resultado para se pronunciar. A furosemida ajuda na perda de peso e também serve para mascarar outras substâncias proibidas pela Wada, entidade antidoping mundial.

É fato que ele vem de uma série de contusões na última temporada, inclusive tendo perdido a Olimpíada por conta delas. Na última Superliga ele sofreu com um problema no cotovelo, ausentando-se de parte da competição.

FIVB e CBV, procuradas pela reportagem, disseram que não podem se pronunciar pela confidencialidade do processo. O Sesi, que adiantou a permanência dele no clube para atuar como líbero na temporada 2017/2018, já ofereceu todo apoio ao jogador e acredita na inocência.

Tudo até aqui é informação. Qualquer opinião, ilação ou suposição é extremamente perigosa, beirando a irresponsabilidade. É aguardar o pronunciamento de Murilo, um jogador extremamente corajoso em seus posicionamentos e sempre fazendo questão de torná-los públicos, e os desdobramentos da investigação para entender melhor a situação.

 



MaisRecentes

Os duelos da Copa Brasil feminina



Continue Lendo

Lances do clássico Vôlei Nestlé x Sesc



Continue Lendo

Coluna: O maior desafio do Sada/Cruzeiro no Mundial



Continue Lendo