O cenário da segunda fase do Mundial feminino



A rodada desta quinta-feira, no Japão, definiu os dois grupos da segunda fase do Campeonato Mundial feminino.

Agora serão 16 seleções divididas em duas chaves de oito, com cada uma realizando mais quatro jogos até a definição dos três primeiros que avançarão para a fase final.

Como já repetido em verso e prosa, o Grupo E, o do Brasil, é tecnicamente mais “acessível”, para não dizer mais fraco. Além da equipe verde-amarela, estão Sérvia, República Dominicana, Porto Rico, Holanda, Japão, Alemanha e México.

Sérvias e holandesas carregam campanha perfeita: cinco vitórias e 15 pontos, seguidas por brasileiras e japonesas (quatro triunfos). Ao analisar os outros integrantes da chave, é muito difícil não imaginar que o trio de classificados não saia deste quarteto.

No português claro, não existe nenhum bicho-papão no caminho do Brasil.

– É um grupo perigoso. Alemanha, Japão e Holanda têm muito volume de jogo. Talvez o México seja o time tecnicamente mais novo. Já os outros outros vão requerer uma performance importante de bloqueio e defesa e um saque preciso e agressivo. Só a Holanda ainda não perdeu entre os nossos adversários na próxima etapa. Nessa fase cada jogo será uma final para o nosso time – disse José Roberto Guimarães.

Já no Grupo F as previsões são impossíveis. Estarão na disputa das três vagas nas finais: Itália, China, Turquia, Bulgária, Estados Unidos, Rússia, Tailândia e Azerbaijão.

Italianas e americanas, como você verá abaixo, aparecem em vantagem pelos triunfos de hoje e consequentemente campanha 100%. Russas e chinesas possuem uma derrota cada, enquanto turcas e tailandesas, duas. Seis times vivos!

Vocês querem apostar em alguém?

BRASIL

Como esperado, mais uma vitória tranquila nesta quinta-feira, desta vez sobre o Cazaquistão em sets diretos: 25-11, 25-20 e 25-13.

Foram 14 pontos de Tandara e mais 12 de Fernanda Garay. Natália voltou a ganhar tempo em quadra, entrando no segundo set e sendo titular no terceiro. Terminou com seis pontos, colocando no chão cinco de nove bolas recebidas.

Zé Roberto aproveitou ainda para dar ritmo para Adenízia, já que a dupla titular no meio foi Bia e Carol.

Tandara no ataque diante do Cazaquistão (FIVB Divulgação)

OS CLÁSSICOS

A quinta-feira foi especial para os fãs do vôlei. Quatro dos candidatos ao título estiveram em quadra para dois clássicos de peso.

Os Estados Unidos garantiram a liderança do Grupo C com a vitória sobre a Rússia no tie-break, parciais de 19-25, 25-20, 26-24, 12-25 e 15-11. Os 36 pontos de Goncharova não foram suficientes para a seleção russa. A soma da pontuação das duas maiores anotadoras americanas ficaram abaixo da marca individual da oposto: as pontas Hill (19) e Larson (16).

Goncharova faz malabarismo diante do block americano (FIVB Divulgação)

Já pelo Grupo B, a Itália encerrou a invencibilidade da China com um triunfo de virada por 3 a 1 (20-25, 26-24, 25-16 e 25-20).

Vitória com V maiúsculo da Azzurra, que segue embaladíssima no Mundial após o título do Torneio de Montreux. Egonu venceu o duelo particular com Ting Zhu. Foram 29 pontos contra 20. Chamo a atenção ainda para os 19 pontos de bloqueio italianos.

DESFALQUE

A Sérvia pode ter uma baixa importante no restante do Mundial. A ponta Milenkovic sofreu uma lesão no joelho na partida contra Poro Rico, nesta quinta-feira.

A jogadora vinha sendo utilizada como titular por Zoran Terzic como uma peça importante na linha de passe, na tática de esconder o máximo possível Mihajlovic. Coincidência ou não, a Sérvia venceu dois sets pela vantagem mínima.

O lado bom, se é possível usar essa expressão, foi ver o carinho das adversárias como Milenkovic, como mostra o vídeo abaixo.

TABELA DO BRASIL NA SEGUNDA FASE

7/10 (DOMINGO) – Brasil x Alemanha, à 1h25 (de Brasília)
8/10 (SEGUNDA) – Brasil x México, à 1h25
10/10 (QUARTA-FEIRA) – Brasil x Holanda, à 1h25
11/10 (QUINTA-FEIRA) – Brasil x Japão, às 7h20



MaisRecentes

Minas e Dentil/Praia Clube conhecem rivais no Mundial



Continue Lendo

Nova TV, papo com arbitragem e descontração: a apresentação da Superliga



Continue Lendo

Veja como seriam hoje os grupos do Pré-Olímpico para Tóquio-2020



Continue Lendo