O caso Jaqueline



“Questões pessoais”.

Essa é a explicação oficial para a ausência de Jaqueline da viagem da Seleção Brasileira para os Estados Unidos.

Sinceramente, é uma situação surpreendente pelo contexto. Jaqueline estava com as demais jogadoras no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, uma semana atrás, para embarcar para Los Angeles. Fotos do grupo foram postadas em redes sociais por várias atletas. Jaqueline aparecia sorridente em algumas delas. No momento de várias postagens, as atletas lamentavam que o voo tinha sido cancelado e elas iriam precisar esperar para a viagem acontecer no dia seguinte. Se nada de profissional aconteceu para o “corte” ou “dispensa” dela, vejo uma possibilidade como a mais viável, provável e talvez compreensível: o peso de deixar o filho de poucos meses no Brasil, por um período maior de tempo, com o agravante de o marido Murilo também estar fora do Brasil.

Como sou pai de dois filhos pequenos, vou dizer que deve ser uma paranóia tal situação. Já fiquei mais de um mês sem vê-los, enquanto fazia coberturas internacionais pelo LANCE!, e não é nada fácil. Nestes casos, minha esposa estava em casa com eles. E admito que apenas isso servia de consolo para que eu pudesse trabalhar mais tranquilamente.

É uma situação difícil e aqui não farei nenhum juízo de valor até que os envolvidos queiram se pronunciar. Acho mais justo assim.



  • Rodrigo Coimbra

    As vezes fico imaginando que a Jaqueline anda numa dúvida enorme, parece uma luta constante da atleta em decidir entre o filho e o esporte, chega até ser compreensível, afinal filho é filho, mas não deixa de ser uma triste notícia… talvez seja essa a explicação, aposentadoria precoce, ela não facilita a contratação dela para nenhum clube, mesmo sabendo que não é a mesma de um ano atrás. Até concordo, o crescimento do filho dela é mais importante! Que ela curta essa fase…

  • Lilika

    …dificil opinar… é até aceitável, porém a vida nunca é um mar de rosas sempre, há muitas renúncias e sacrifícios que qualquer pessoa necessita passar para alcançar um objetivo…espero que ela não faça o mesmo no Mundial hehe.

  • Samuel

    Sinceramente, acho aceitável! Esse torneio serve apenas como uma preparação para o Grand Prix, e consequentemente para o Mundial. Então, acho que se ela tiver pedido dispensa para esse torneio, aconteceu na hora certa. Murilo está fora jogando pela seleção, e ela com certeza irá optar por competições mais “importantes”, como Grand Prix e Mundial.
    Quanto a definição de em qual clube jogar, acho que ela tem que pensar na possibilidade de ficar no mesmo estado em que mora, ou seja, São Paulo. Então, a melhor decisão dela seria o Sesi. Dizem que ela não aceita a proposta, mas ela tem que repensar, pois não se encontra no seu melhor condicionamento físico e tático. Portanto, os valores que ela não concorda, são justos e junta com a permanência em SP.
    Jaqueline é uma jogadora excepcional, e sua presença na seleção é fundamental.

  • Jaque

    Acho que os filhos vão crescer e temos obrigação de continuar nossas vidas, até pra garantir um bom futuro para eles. Não vou julgar, porque cada pessoa é única, mas acredito que eles tenham pais ou algum familiar de confiança para deixar o pequeno e ir correr atrás daquilo que também é importante.

  • César Castro

    Daniel, eu entendo o que vc está falando.
    Não tenho filhos, mas tenho sobrinhos criados comigo a quem amo demais.
    Qualquer mínima possibilidade de deixá-los desguarnecidos, pra mim, é desesperador.
    Vale lembrar que a Jaqueline já é BIcampeã olímpica, ou seja, já chegou ao auge da carreira e ainda tem o fato do Murilo tb estar longe.

  • Gustavo

    Pra mim não justifica. Ela viajou para a Suíça com a seleção e o Murilo também estava com a seleção jogando a Liga Mundial. Mesmo assim, deixou o filho e viajou. Então, não vejo o porque deixar de viajar com a seleção por causa do filho. Se fosse pra agir desta forma, que ficasse em casa com o filho e não se integrasse a seleção, deixando a vaga em aberto para uma outra jogadora. Chega a ser egoísmo da parte dela. Lembro que a Paula em 2006, suou a camisa, lutou contra o tempo, disputou vagas e garantiu sua vaga no time para o Mundial e ficou um bom tempo fora do Brasil, mesmo com o aperto no coração de que deixar sua filha Mel com poucos meses no Brasil, sob os cuidados da família. Pra mim é frescura da Jaqueline.

    • Emerson

      Paula é exemplo de amor a camisa da seleção, compromisso, ,honestidade e responsabilidade.

      Por isso Paula é MPV Olímpica, tem humildade, simplicidade, amor e carinho pelos fãs, diferente da Jaque que já aprontou uma dessas antes e volta a fazer novamente com desculpa para o filho, primeiro foi o casamento com Murilo.

      Até entendo o lado, o Murilo não está em casa, mas o mlk ta bem cuidado com sua babá e seus familiares, nisso Paula foi exemplo e hoje vemos a linda Mel super bem educada e que não larga da mãe.

      Paula é Paula e Jaqueline é Jaqueline, nenhuma jogadora de seleção chegará a sua humildade.

      Amor a Paula eterno.

      • Ne

        Exato Emerson. Ela nunca pediu dispensa mesmo com uma filha pequena sempre defendeu a seleção. Na única vez em que pediu, o técnico negou e disse que ela ficaria fora da disputa por uma vaga na Olimpíadas de Londres. Nunca precisou usar de subterfúgios (Lágrimas e história de vida sofrida). Como você mesmo disse: PAULA é PAULA.

        • Rodolfo

          Calma gente, a Jacqueline só quer que o mundo gire ao seu redor, coisa que o técnico da seleção sempre assinou embaixo.

        • Emerson

          Ainda teríamos muuuuitos pontos a favor da Paula para serem sempre relatados, como: Humildade e simpatia, isso tudo fez de Paula uma grande jogadora dentro e fora das quadras, prêmios individuais, destaques em times e na seleção, escolinha com seu nome, etc….Isso tudo é fruto do ótimo relacionamento da Paula com nós fãs, carinho, amor e dedicação.
          Quantas vezes já não presenciei a Paula horas depois dos jogos dando autógrafos dentro do ginásio do Liberate aos seus fãs, sem deixar passar de atender a se quer 1, que esse venha aqui e diga, caso contrário é Jaqueline, arrogante, só aparece pra TV, já vi fãs gritando o nome dela, berrando e a mesma passar e fingir nem ser com ela, Sheilla e Taíssa tb se encontram nessa lista, como pode isso, fico indignado tamanha falta de consideração.

          Paula é Paula.

          Saudades que não acaba nunca.

  • daniel

    Depende o que seriam essas questões pessoais. Problemas de saúde e outras urgências justificam uma ausência temporária. Se ela pediu dispensa definitiva, perde o Brasil. O talento dela no passe é insubstituível. Mas para estar no time, tem que estar com a mesma disposição das outras atletas. Vamos aguardar o que vai acontecer. Zé Roberto com certeza já sabe.

  • Clécio

    tenho uma filha duas semanas mais nova que o filho da Jaqueline e esta fase é um pouco complicada, pois surgiram alguns dentinhos, ai vem febre, às vezes um resfriado. Nada de anormal, mas o suficiente para ficarmos apreensivos e alertas.

  • Marco Rocha

    Nos bons tempos em que o volei comecou a se popularizar, a nossa grande Isabel teve 4 filhos e jogou mundo afora…se o motivo da Jacque for esse, ta meio esquisito… sinto muito mas nao engulo, pois hoje em dia as jogadoras tem muito mais estrutura que nos anos 80…isso ta me cheirando a dispensa….

  • Jairo(RJ)

    Tanto quanto você Daniel, também já tive ausente em vários momentos quando minha filha era pequena. Minha esposa também trabalhava na época, mas tínhamos o suporte de minha querida sogra falecida há pouco e que nos dava a força para continuarmos o trabalho. Ficar distante no período em que a criança mais precisa dos pais é difícil. Por esse pensamento, acho que a Jaque deve estar dividida. Se pai sofre, imagine uma mãe?

  • Michel Pereira de Oliveira

    É plenamente compreensível o conflito de interesses da Jaqueline: filho x vôlei. Entretanto, é uma atitude antiprofissional por parte dela não se posicionar em definitivo. Se tá com dúvida, faça como a Aguero: tenha a ombridade de pedir dispensa (ainda que por uma ou duas temporadas), quiçá de se aposentar, mas se posicione. Essa indecisão dela atrapalha todo o planejamento da seleção, haja vista que até então não se sabe se a SFV vai ou não contar com a mesma. Tendo em vista as competições do ano, é necessário uma posição rápida da atleta, até mesmo pra reorganizar o esquema tático da seleção.

  • karla

    gente, calma, estão fazendo tempestade em copo d’água. É somente um amistoso, com certeza as jogadoras voltarão ainda pra saquarema e jaqueline se juntará a elas pra jogar o GP e depois o mundial.

  • Bernardo

    Seria mais sensato que Jaqueline se aposentasse agora, aproveitando que de alguma forma ainda está em alta, devido à sua incrível performance nas olimpíadas, para não correr o risco de continuar dando esses “sumiços” e se apresentar aquém do que se espera em uma seleção, atuando aos trancos e barrancos, pois ao que tudo indica, ela sempre se sentirá dividida e preocupada quando tiver que se ausentar e deixar o filho,o que de fato é uma escolha difícil, não se entregando por completo ao voleibol.

    E, sinceramente, não vejo a razão de tanto estresse devido à ausência dela. Definitivamente, não acredito que ela fará falta à seleção, pois há jogadoras jovens e promissoras que podem substituí-la perfeitamente. Há quem pense que ela salvará a seleção em relação aos fundamentos recepção e defesa, ainda mais agora com a saída da Fabi. Ledo engano. Jaqueline já gastou todo o seu potencial naquela final épica em Londres e dificilmente jogará novamente como naquele dia.

  • Ca

    Muito protecionismo com essa jogadora. Não é a primeira vez que ela pede dispensa. Pediu quando casou, pediu para arrumar apartamento. Concordo que é complicado deixar um bebê em casa, mas Paula teve a filha dela e nunca pediu dispensa da seleção. A única vez que ela pediu porque era aniversário da menina foi no grand prix de 2012, e o querido técnico disse que se ela não fosse, estaria fora da disputa por uma vaga entre as selecionáveis. Ela que decida o que é prioridade na vida dela, se a profissão ou a família, já que ela não consegue conciliar os dois. Afinal todas as jogadoras em serviço a seleção tem família, algumas até são casadas (Sheila e Brait), e não vi nenhuma delas de mimimi quanto a que clube jogar, deixar criança pequena ou marido em casa e blablabla.

  • Diogo

    Q frescura da Jaque oq..6 tão loco de fica falando isso??ela já estava no aeroporto e se ñ foi é só pq alguma coisa deve ter acontecido..povinho ridículo q fica querendo falar abobrinha sem nem saber doq se trata..vão lava uma local e arrumar oq fazer..se fosse só questão de ñ se separar do filho ela ñ teria nem ido pro aeroporto e nem ido pra Suíça no mês passado..

    • Raffael

      Nem voce sabe o que aconteceu pra vir aqui com agressividade tambem. Pode ter sido o filho sim, mas pode ter sido algum outro piti( entre outros) que essa senhora costuma dar. Nem eu, nem voce sabemos o que aconteceu de verdade, então cuidado quando aponta pros outros acusando de falar isso ou aquilo.

      • Diogo

        Igual a vc e a maioria das outras pessoas aqui..e é exatamente por ñ saber oq realmente aconteceu q estou defendendo ela..as pessoas adoram tacar uma pedra + tem o telhado de vidro..falta é uma louça pra lavar ou um arranjar um emprego isso sim..e q piti q ela deu???vcs é q ñ cuidam nem da vida de vcs msm e quer fica dando palpite na dos outros..

        • Raffael

          Hummmmmmmmm….fale mais…

          • Cris

            Colega Raffael, não se dê ao trabalho de responder/discutir com Jaquefã. Ela é a jogadora com mais regalia da seleção Brasileira. E está na hora disso acabar. Espero de coração que não seja nada com o bebê. Eu sei que criança pequena é complicado. Mas essas regalias dela vem de muito tempo e não de agora, e uma hora tem que acabar, pois não é justo com as outras jogadoras elas tendo filhos ou não, pois família todas elas tem, e estão sempre defendendo a seleção. Espero que essa mamata acabe.

        • Natália Gabi Promessa.

          Diogo, primeiramente, os usuários estão especulando à respeito do possível motivo da não ida dela nesses amistosos. Os motivos podem ser vários obviamente. O que não justifica você vir desrespeitar a opinião dos outros. Discordar é saudável, argumentar, contra-argumentar idem, porém, ser grosso e mal educado é outra coisa bem diferente.

          Espero que sua louça já esteja bem lavada.

  • tuliobr

    Não há dúvidas de que foram estranhas as circunstâncias da súbita desistência de viajar estando já com as malas prontas e check-in em andamento no aeroporto. Se o vôo não fosse cancelado devemos supor que a Jaqueline estaria com o grupo; que ela planejou estar é algo indiscutível. A verdade é que este já é o segundo espisódio estranho nesse início de temporada da SFV, justamente a temporada do Mundial, pois a “aposentadoria” da Fabi foi igualmente súbita, mal explicada e, evidentemente, não planejada. Quanto ao time, as notícias que temos a respeito dos dois amistosos já realizados são preocupantes: de modo geral, os americanos que acompanham o vôlei feminino e escrevem em fóruns esperavam ansiosos para ver o Brasil jogando e a tônica de seus ‘posts’ após os jogos é de decepção. De modo geral, os comentários criticam a forma física da maioria das jogadoras, comparam negativamente a atuação da Camila com a de sua agora aposentada antecessora e estranham a lentidão do time, o passe deficiente e a falta de agressividade do saque. O único elogio que encontrei falava da boa atuação da Dani Lins na defesa. Torço para que vejamos progresso no Grand-Prix, pois esta temporada é muito importante para o vôlei feminino: terminada a Copa do Mundo as expectativas voltar-se-ão para as Olimpíadas e vencer o Mundial seria forte atrativo para patrocinadores, em benefício dos clubes, da Superliga e das jogadoras, mesmo as que não estão na Seleção. Seria uma pena perder a oportunidade em um momento que o “marketing” esportivo deve ficar um pouco reticente com o onipresente mas momentaneamente baqueado futebol.

  • Tiago

    Jaqueline ira jogar no Dinamo Moscow, no lugar da Kosheleva. Aguardem maiores detalhes…..

    • Leiga

      A menina não queria nem jogar fora de São Paulo por causa da distância, imagina então Rússia KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.

      Se isto se tornar realidade, é o cúmulo da falsidade por parte da Jaque.

  • Raffael

    Diante de tanto achismo, eu “acho” que a Jaque deve ter pedido dispensa porque a seleção masculina estava na Itália e o Murilo devia estar solto por la em terras de Piccinini. A Jaque devia estar enlouquecida com a situação e não aguentou e surtou. Ninguem na seleção é obrigado a aturar surto de ninguem.

  • Zé Roberto

    Zé Roberto ja sabe e em breve irá se pronunciar! Jaque nunca mais na seleção, o bixa burra colocou tudo a perder por besteira.

  • Aaaaa

    As circunstâncias de fato foram muito estranhas, quem segue as jogadoras da seleção no instagram começa a perceber que o que está acontecendo é um problema de relacionamento entre as atletas. A Jaqueline trouxe a mãe dela de recife para ficar com o filho e a Thai sa andou postando algumas mensagens que no mínimo soam como indiretas. Se é pra achar vou ainda mais além acredito que o problema interno começou no Molico e se estendeu a seleção. Espero que só passe de uma teoria infunda e que as meninas voltem a jogar no melhor nível.

  • marcian

    Bom, ela é que sabe o melhor pra ela. Só nao a quero na seleção sem nem ter ritmo de jogo, apesar de que nossas ponteiras estão fraquíssimas no passe.

  • powhitchys

    Me desculpe mas, se a Jaqueline estiver fora do grand prix e do mundial pode esquecer quzalquer título, o passe da seleção está sofrível, defesa não existe, basta assistir aos jogos dos amistosos para chegarem a essa conclusão!!!

  • Marcos

    Acho a Jaque uma das melhores jogadoras na atualidade dar muito volume de jogo. Muitas pessoas falam que a Seleção só conquistou o Ouro porque Sheila foi decisiva, até concordo, mas sem a Jaque acredito eu não o Brasil não conquistaria o Ouro, ela defendeu tudo no momento em que mais precisou que foi contra a Russia, e na final Sheila sumiu no jogo e a Jaque teve que assumir a responsabilidade e atacou como nunca sendo a melhor daquela final e levando o Brasil ao BIcampeão Olimpíco, ela tem muitos créditos e a comissão técnica sabe que ela é fundamental para o grupo, quanto a sua decisão se vai continuar ou parar só depende dela.

  • Luiz

    Voltei. Quanto tempo!

    Esta rapariga já pediu VÁRIAS folgas da seleção. Este fato de ela ser a melhor passadora das ponteiras brasileiras acaba colocando o Zé Roberto nas mãos dela. Velho doido este. A Mari ai boa pra jogar, e ele por questões pessoais não chama. A Jaque Silva uma vez disse que se espanta com a morosidade das jogadoras brasileiras elas não tem opinião, seguem tudo que manda elas fazer. E os jornalistas esportistas acham que quando há um problema de relacionamento entre técnico e atleta a culpa é SEMPRE do atleta – O REBELDE -, mas os jornalistas esquecem que técnicos são humanos, os que conquistaram tantas coisas são seres humanos com EGOS ENORMES (me ajuda a cantar esta Beyonce). Bendita Mari que não é como as outras e tem opinião.

    • Eri

      Ah Luiz, mas os técnicos gostam das atletas “cordeirinhos”. Vide Natália (boba da corte em Londres), porque pra jogar ela não foi, e nenhuma outra jogadora tem coragem de falar isso. Vide Tandara que com o Talmo vivia dando risada da cara dele quando jogava no SESI, errava e ria como se não houvesse amanhã. Vê se ela fazia isso no Amil com o Zé Roberto Claro que não né (como ficaria sua vaga na seleção se risse na cara do técnico). Jaqueline que só joga quando é conveniente pra ela (Reúne a imprensa e chora como a Maria do Bairro contados a toda trajetória da sua vida sofrida), mas quando chegam na seleção ficam mansinhas, mansinhas. Saudades de Mari e Paula que nunca vi de frescura para defender a seleção, sempre deram a cara a tapa e sempre foram as mais criticadas pelo técnico. Se o time ganhava era porque o conjunto funcionou, Se o time perdia era porque as ponteiras não deram conta. Mas do jeito que o Zé Panela é, as jogadoras nunca se pronunciam, não duvido nada ela voltar quando ela quiser.

      • Luiz

        O Zé Roberto não era assim. Se tornou um cara arrogante rancoroso. Acho eu que ele não gosta quando uma atleta alcança poder de mídia maior que ele. Ele mesmo disse que a Mari tem muita mídia.

  • adriano

    deixa o bacuri com os avós, irao adorar…senao, vira Amelia dona de casa e mãe… jah q nao pode deixar os filhos por um mês… aff

  • Eduardo

    Mas tem uma coisa, se ela tiver pensado que iria ficar essas duas semanas longe do filho para ficar sem jogar como foi no Montreux, talvez tenha sido melhor ficar em casa mesmo. Não senti o Zé incomodado com o rendimento fraco do nosso time. Ele não faz muito isto, mas desta vez parece que está mais preocupado em sentir o padrão tático dos EUA que mostrar um bom jogo do seu time.
    Foi estranho também não vermos a Natália em quadra em nenhum momento e uma tentativa de colocar a Monique como ponteira. Mas a mesma nao tem a mesma habilidade da Michele no passe, nem no ataque pela entrada.

  • Mário

    Pois é! Dois pesos e duas medidas prevalecem nesta panelinha da Seleção. Esta senhora midiática, que se acha a melhor do mundo na posição (pra mim então deveria ser líbero, porque o reconhecimento é pelo seu passe e não pelo ataque), não pode ser privilegiada desta maneira, em detrimento do grupo. Caso tenha sido mais um de seus “pitis” e não haja justificativa aceitável caso a desistência de viagem tenha partido dela, a convocação deve, sim, ser revista. Imagine se isso tivesse acontecido com Mari, com Paula, com várias outras sempre terrivelmente criticadas? O grupo já está estranho e tratamento desigual, levado às últimas consequências quando das Olimpiadas de Londres com convocação de Natália, será o caos para o vôlei feminino brasileiro. Além do mais, a curta estada nos EUA teria sido ideal pra esta senhora mostrar o que tem de tão excepcional pra merecer o lugar que ocupa, ganhar ritmo e contribuir de fato. Jogadoras que saem de graves lesões, cirurgias, não são poupadas. Pelo contrário. São rapidamente jogadas aos leões e têm que jogar bem. E ela não esteve doente, porque gravidez não é doença. E ter filhos é uma opção, que não pode prejudicar o desempenho de qualquer seleção que representa um País.

  • everton

    Não comparee jogadoras… Cada uma tem uma personalidade, a Paula foi importante… Como a Jaque eh muito importante hj… Ainda mais agora que a Fabi vasou… O fundo taah sofrido… Prefiro apoiar e torçer por um retorno rapido da jaque… Ao invés de fikar criticando a guerreira que trouxe o bi olímpico !!!

    • Crist

      Ela não trouxe sozinha, as outra tiveram mérito também na conquista do Bi Olímpico. Sozinha ela não teria ganhado nada, pois é um esporte coletivo. Você fala como se o mérito tivesse sido só dela, é uma equipe e todas contribuíram (exceto Natália que foi ser boba da corte, Tandara que só tomou toco quando entrou e Fernandinha que quase pois tudo a perder quando era a titular nas primeiras partidas em Londres). Independente de não ter outra jogadora com a característica dela no fundo de quadro, ela tem que decidir o que é prioridade na vida dela. Não dá para ficar a mercê das suas vontades. E outra, a Paula sempre foi um exemplo a ser seguido (nunca pediu dispensa por causa da filha, nunca pediu dispensa para casar, nunca pediu dispensa para arrumar apartamento, nunca veio a TV chorar e contar sua trajetória de vida sofrida, etc,etc…). Ser uma jogadora diferenciada no fundo de quadra não deveria lhe garantir regalias na seleção.

    • isso mesmo everton esse povo só sabe critica apos com nenhum desses BOLA BOSTA sabe fazer um terço que a jaque faz se foi a era paula pequena não tiro o merito dela mas ninguem sabe os reais motivos vão trabalha pra arruma dinheiro pq ela fora ou dentro de quadra todo mês recebe 300 mil reais e vcs

      • Miri

        !!!!What!!!! Rsrsrs. Ela deve ganhar é pelas lágrimas. E bom pra ela que ela R$ 300 mil por mês (Você está sabendo hein). Então já pode parar de jogar pela Seleção, para que a comissão técnica possa planejar o time com as que se comprometeram estar lá. E ninguém está falando do que ela fez pela seleção, ela contribuiu sim em Londres, assim como todas as outras. O que há de se questionar é todo esse drama que ela faz da vida dela. Ninguém está criticando a Jaque pela jogadora que ela é, todo mundo que acompanha vôlei sabe da sua qualidade como jogadora. O que não é legal é você vir aqui e ofender as pessoas que estão opinando. Expresse-se sobre o post mas respeite a opinião dos outros.

MaisRecentes

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo

Camponesa/Minas quebra longa invencibilidade em Osasco



Continue Lendo

Placar RedeTV!: Futebol 2 x 0 Vôlei



Continue Lendo