Números e repercussão da classificação brasileira



O triunfo por 3 a 0 sobre a Alemanha confirmou a classificação do Brasil para as finais do Grand Prix, com uma etapa de antecedência.

Além disso, o time assumiu a liderança geral da competição, ultrapassando a China nos critérios de desempate. Ambos somam 18 pontos, com 100% de aproveitamento até aqui. Os Estados Unidos, que receberão a fase final e assim já estavam classificados, está em terceiro, com 17, após perder um pontinho no triunfo no tie-break sobre a Sérvia hoje.

Vou misturar neste post números do confronto e opiniões de algumas protagonistas:

– 20 pontos fez Brinker, a maior pontuadora do confronto.

– 11 pontos de ataque fez Joycinha, em sua melhor partida neste fundamento no fim de semana.

“Não tive uma atuação boa  no sábado, mas o Zé conversou comigo, me incentivou e acredito que hoje pude ajudar a equipe, que é o principal. Eu estou me adaptando a um estilo de bola diferente. Nosso jogo é mais acelerado, com bolas rápidas, e eu costumo preferir bolas altas. Então tive esse momento de adaptação. Conversei com a Dani e falei para colocar a bola um pouquinho mais alta”, revelou Joycinha.

– 3 jogadoras brasileiras marcaram quatro pontos cada no bloqueio: Jaqueline, Juciely e Barbara. Elas somaram 12 dos 15 pontos do time.

“Ainda estou abaixo das meninas na parte física, por ter ficado parada para me cuidar (princípio de pneumonia) Tenho treinado bastante e o confronto contra a Alemanha foi bom para ganhar um pouco mais de ritmo de jogo”, comentou Jaqueline.

– 6 pontos de block marcou a alemã Silge, metade do total alemão.

– 20% de aproveitamento apenas teve Camila Brait no passe, segundo os dados da FIVB. Números bem abaixo da média de uma líbero. Jaqueline, a melhor do confronto neste fundamento, teve quase 75% de perfeição.

“Ainda precisamos melhorar nossa parte defensiva. A Alemanha sacou muito bem e tivemos que ajustar o nosso passe ao longo do jogo”, disse José Roberto Guimarães.



MaisRecentes

Evento na Polônia reúne craques históricos do vôlei



Continue Lendo

Um fim de semana para esquecer na Bulgária



Continue Lendo

Raridade: Brasil perde a segunda seguida por 3 a 0



Continue Lendo