A noite dos clássicos na Superliga feminina



A terça-feira à noite foi eletrizante para os fãs da Superliga. Dois clássicos marcaram a nona rodada. E os resultados ajudaram a embolar ainda mais a já equilibrada competição feminina.

No José Liberatti, em Osasco, o Vôlei Nestlé acabou com a invencibilidade do arquirrival Rexona-Sesc, em uma partida digna dos dois maiores times do país. De virada, o time da casa fez 3 a 2, parciais de 23-25, 26-24, 20-25, 25-23 e 15-13.

Tandara foi eleita a melhor em quadra, após marcar 32 pontos, colocando no chão 29 das 54 bolas recebidas no ataque. A jogadora era dúvida para o jogo, após passar os últimos dias em recuperação de uma torção no tornozelo. E carregou o Osasco nas costas, principalmente nos últimos sets.

A central Bia também merece uma menção honrosa, ao anotar 17 acertos, cinco no bloqueio. Pelo Rexona, desfalcado da central Carol, a maior pontuadora foi Gabi, com 19 pontos, seguida por Juciely, com 16. O time de Bernardinho viu várias de suas peças titulares não funcionarem. Roberta e Monique, por exemplo, deram lugar para Camila Adão e Helô do terceiro set em diante. Também vale registrar a noite pouco feliz das estrangeiras: Buijs, Malesevic e Bjelica, reforços para a temporada, estiveram longe do protagonismo esperado após o investimento feito.

Já em Belo Horizonte, no dia da apresentação de Jaqueline, o Camponesa/Minas bateu o Dentil/Praia Clube por 3 a 1 (18-25, 25-17, 25-22 e 25-21). Outro reforço de peso do time, a americana Hooker, com 17 pontos, foi um dos destaques. Admito que ela vem dando retorno mais rapidamente do que imaginei. Bom para o time de Paulo Coco, que estava muito dependente de Rosamaria. Ontem, ela marcou 22 pontos, colocando no chão 18 das 39 bolas recebidas no ataque.  Pelo Praia, sem Alix e com Fabiana abaixo da média, a cubana Ramirez anotou 22 pontos.

A rodada embolou a classificação. O Rexona-Sesc, com oito vitórias e uma derrota, lidera com 25 pontos. Na sequência, quatro times com sete triunfos e duas revezes: Terracap/Brasília e Vôlei Nestlé (21 pontos), além de Dentil/Praia Clube e Genter/Bauru (20). O Minas, com 13 pontos (cinco vitórias e quatro derrotas) ainda precisará remar muito para entrar no G5.

No fim de semana, Brasília x Bauru e Minas x Rexona prometem!

 



MaisRecentes

Passe virou a dor de cabeça do Brasil



Continue Lendo

O vice deixou algumas boas notícias para o Brasil



Continue Lendo

Coluna: Significados da volta de Sheilla e Fabiana



Continue Lendo