No Grand Prix, nada de Brasil x Rússia ou China ou EUA



O Brasil já conhece rivais e locais de jogo na disputa do Grand Prix, que pela primeira vez terá a participação de 16 países.

Na primeira semana, entre os dias 5 e 7 de agosto, o time comandado por José Roberto Guimarães jogará em Pusan, na Coreia do Sul, diante das donas da casa, do Japão e da Alemanha. Entre 12 e 14/8, o Brasil jogará em Almaty, no Cazaquistão,  contra Itália, Tailândia e o vencedor do playoff entre Argélia e Cazaquistão. No encerramento da primeira fase, em Bangcoc, duelos contra Cuba, Argentina e novamente Tailândia.

Os sete melhores times jogarão a fase final em Macau, na China.  As donas da casa já estão garantidas.

O mais estranho nesse regulamento do GP, agora mais inchado, é que um time como o Brasil não vai enfrentar sete rivais na primeira fase: Polônia, Peru, Rússia, Estados Unidos, Sérvia, República Dominicana e China. Acho, por exemplo, a forma de disputa da Liga Mundial masculina mais atraente e coerente, com jogos em casa e fora, não quase sempre em campo neutro e na Ásia, como se caracteriza o GP.



MaisRecentes

Coluna: Uma semana estranha para o vôlei brasileiro



Continue Lendo

São Bernardo desiste do Paulista. Alerta ligado na Superliga



Continue Lendo

Brasil leva virada dos Estados Unidos em terceiro amistoso



Continue Lendo