Natalia titular, Dani Lins destaque. Brasil 3 a 0



A vitória sobre o Cazaquistão por 3 sets a 0 (25-14, 25-18 e 25-20) era esperada. As boas notícias, e que devem ser comemoradas neste quinto triunfo no Grand Prix, são a volta de Natalia e a sólida atuação de Dani Lins.

Recuperada da cirurgia para retirada de um tumor na canela, a ponta/oposto começou no lugar de Paula Pequeno. Ainda distante do ritmo de jogo ideal, ela marcou seis pontos, sendo o último que fechou o jogo. Thaisa, com 15 (cinco no bloqueio), foi a maior anotadora.

– Eu não esperava jogar. Quando o Zé falou que eu estaria entre as doze e ainda seria a titular, quase não acreditei. Foram mais de dois meses de preparação para retornar. Não atuava em um jogo inteiro desde a final da Superliga. Tenho consciência que ainda tenho muito a evoluir. Preciso de mais ritmo de jogo, mas é bom estar de volta. Comecei um pouco insegura no passe, mas aos poucos fui me soltando. A Dani também me deu uns presentes durante a partida. As meninas me ajudaram e o Brasil teve uma boa atuação, principalmente no saque – disse.

Já Dani Lins, segura na distribuição, ganhou elogios de Zé Roberto.

– Dani foi bem. Ela teve bons momentos e está aprendendo o que ela pode fazer com esse time. A equipe tem muitas opções. Ela está se esforçando para aprender a usar todas as opções do grupo.

A Itália será a última rival do Brasil no Cazaquistão, neste domingo, às 9h.  Vai ser bom ter mais opções contra um time que dará bem mais trabalho.



MaisRecentes

Caso Maurício Souza não termina com “punições” do Minas



Continue Lendo

Zé: “A gente precisa de ajuda para não deixar o projeto morrer”



Continue Lendo

Sinal de alerta com a base. É preciso agir!



Continue Lendo