Não gostei do que vi no fim de semana



A manhã de domingo começou preocupante. A derrota da Seleção masculina para a Polônia expôs mais uma vez falhas já vistas desde o início desta campanha.

O time de Bernardinho não consegue decolar. Parece, em alguns momentos, preso por uma âncora. Uma verdadeira montanha-russa de instabilidade, seja em determinados fundamentos ou individualmente. Um exemplo para facilitar o entendimento: apenas no terceiro set o bloqueio funcionou. Nas demais parciais, Kurek e Winiarski deitaram e rolaram. Exploraram a mão de fora dos bloqueadores, souberam esperar uma segunda chance quando o levantamento não estava caprichado, foram jogueiros, como gostam de dizer na gíria os atletas.

Individualmente, Lucão pode exemplificar este momento estranho da Seleção. Parece alheio ao que está acontecendo. Não é o mesmo jogador que a torcida está acostumada a ver. Parece não estar à vontade, seja ao atuar com Bruninho ou Ricardinho. Rodrigão entrou em seu lugar, também foi pouco utilizado no ataque e não pontuou no bloqueio. No vôlei moderno, não ter um meio de rede eficiente contra determinados rivais é mortal.

No mais, Bernardinho pôde testar Leandro Vissotto, já que Wallace não conseguia virar as bolas nos sets iniciais. O oposto de 2,12m, recuperado da cirurgia cardíaca e ainda sem o ritmo ideal de jogo, terminou com maior pontuador e parece ter decretado que Theo está fora da Olimpíada. Me perguntei também o porquê de Giba não ter sido utilizado em algumas passagens no lugar de Thiago Alves, depois de ter voltado a jogar na véspera, contra a Finlândia. Mas neste caso vejo mais como precaução, já que recuperação de fratura por estresse merece uma atenção especial.

Pela classificação dos outros grupos, é bem provável que o Brasil ainda dispute a fase final da Liga Mundial. O time terminou os 12 jogos com 26 pontos. Nos demais grupos, foram disputadas até aqui metade das partidas. Os vice-líderes, por enquanto, somam 12 pontos (Sérvia no Grupo A e Argentina no D) ou 11 (França no C). Repetindo no returno a campanha feita até aqui, não irão ultrapassar a Seleção. E o nível entre os times é bem maior, o que deixa os duelos mais imprevisíveis e equilibrados.

É esperar (além de secar um pouco os rivais). E pergunto: será melhor treinar em Saquarema até Londres ou disputar a fase final na Bulgária ajudará o time a encontrar o seu melhor jogo? Não sei responder.

Minha preocupação com a Seleção masculina se estende também ao time feminino, com um grau um pouco menor.

No primeiro fim de semana com a força total à disposição, o Brasil deixou a desejar. Ainda dou um desconto por ser os primeiros jogos do time na temporada, já que em Lodz a base era outra. Comparando primeira e segunda etapa do GP, algumas coisas ficaram claras:

– Fabiana está aquém do que já apresentou e representa como capitã do time. Na derrota para as americanas, jogando três sets, fez apenas cinco pontos, um no bloqueio. Como comparação, Thaisa fez 20, sendo cinco no block. Nem vou comparar com as atuações de Adenízia, na Polônia, para não ficar ainda mais claro o abismo de performance.  Preocupa. A relação do bloqueio-defesa merece atenção especial de Zé Roberto.

– O passe ainda é uma dor de cabeça. E acho que será assim durante os Jogos de Londres. Pode-se trocar as peças, diminuir área de atuação de A ou B, mas parece que ainda falta algo. E normalmente quando o passe não sai, nossas pontas viram alvo fácil do bloqueio rival.

– Mari continua sendo importante para este time. Ela entrou em alguns jogos como  ponteira, mas também substituiu Sheilla na saída, como no quarto set contra os EUA, já que a titular deixou a desejar na virada de bola (apenas quatro pontos no ataque). A camisa 7 parece estar com a cabeça boa, tranquila, o que ajuda neste momento de testes e indefinição sobre sua função principal em Londres.

Por fim, um destaque americano. Pouco até hoje tinha reparado na central Harmotto. Ela fez oito pontos de bloqueio contra o Brasil. Uma surpresa bem desagradável para as brasileiras, eu diria.

Acho que escrevi demais. Agora é com vocês.



  • Fabiano

    Conclusão: Na atualidade tanto no masculino quanto no feminino, NÃO somos o melhor voleibol do mundo.

    • Rogério

      Estamos no momento de mudança. Ter outras perspectivas. Precisamos renovar, principalmente no tecnico paneleiro. O Bernardinho já fez muito pela equipe de Volei. Mas, o momento é de renovar em tudo. Parar de convocar só pelo nome (GIBA). Precisamos pensar a longo prazo.
      Este time não tem futuro, só passado. Precisamos montar novamente um time vencedor.
      Vamos começar a indicar um novo nome – Eu voto no Marcelo Fronckowiack (Minas).
      Qual a tua opinião?

      • Eduardo Bernardo

        Eu fico com o Marcelo Mendes, técnico do Cruzeiro. Conseguiu tirar leite de pedra, escolhendo as peças certas.

        • Rogério

          O Marcelo Mendez é Argentino (fica dificil tem um tecnico argentino).
          Um grande tecnico.

      • CMA

        mesmo voto que o meu Marcelo Fronckowiak, ele tem que ser o técnico do Brasil para as olimpíadas do RIo.

        Vale lembrar que ele é do RJX agora

  • Helena

    Uma das coisas q me deixa muito put* com a seleção feminina eh a relação do treinador com a Mari.Uma postura até mesmo covarde! Ontem ele gritando com ela, dando esporro, qd quem mericia as criticas era a bam bam bam da Sheilla, que sempre qd precisamos some!

    Fabiana então … com todo respeito , já deu..

    • Sergio

      E a Jaqueline MissFavela, não merecia um esporro? E a Fabiana? E a Sheilla? E a Josefa?
      Essa panela é insuportável!
      Esse sollys travestido de seleção pode ganhar a SuperLiga mas não leva nada em Londres, a não ser nos encher de vergonha!

  • Afonso RJ

    No masculino não sei, pois não acompanho tão de perto. Mas no feminino concordo com todas as colocações. E ainda diria mais: Nosso ataque está sem potência e decisão. A impressão que eu tenho é que falta aquela jogadora que de cinco bolas crava 3 direto na quadra adversária e as outras duas batem no bloqueio ou na defesa e espirram a uns 15 metros de distância tal a potência da “cortada”. A Natália é uma jogadora com essas características. A Mari dos bons tempos também, só que com mais técnica. Não vejo Paula Pequeno e Fernanda Garay com essas características, apesar de terem um ótimo ataque. Jaqueline está a um degrau aquém das duas nesse quesito. Na minha percepção, isso pode explicar a insistência do Zé Roberto em “recuperar” a Mari.

    O time brasileiro, aliás sempre se caracterizou mais pelo jeito que pela força, apesar de não abrir mão de ataques potentes. E quanto ao “jeito”, leia-se velocidade e inteligência, o que depende muito da levantadora. Hoje vejo boas atletas nessa posição fundamental, mas mais para carregadoras de piano do que virtuoses.

    Resumo: acho que o Zé vai ter um trabalhão para acertar esse time. Torço para que consiga, mas honestamente, tenho cá minhas dúvidas. Vejo um time motivado e com sincera disposição para lutar, mas desgastado física e psicologicamente e sem uma levantadora de ponta. Não gosto muito de arriscar previsões e muito menos de bancar a Cassandra, mas em relação aos Jogos Olímpicos, atrás da orelha já não é mais pulga. Está entre hipopótamo e elefante. Rezo para estar errado.

    • Marcos

      Concordo com suas colocações, Afonso. Por isso que o ZRG também reza, segundo ele mesmo, para a Natália se recuperar, mas não sei não.

      • Luciano

        Pensei da mesma forma, precisamos de jogadoras que cravem as bolas na quadra sem ao menos espirrar no bloqueio. Seria a Natália e a Tandara, que na minha opinião não pode ficar de fora desse time. Se Paula e Jaqueline querem atacar que passe na mão para ficarem sem bloqueio ou no simples, pois se o passe não sai elas sofrem e Sheila e Mari neste sentido dão tapinhas que até eu faço. Agora meu, vamos falar sério né, todo mundo sabe que a Camila Brait é melhor que a Fabi, mais não tem nome ainda na mídia e por isso coitada vai ficar fora.

      • Mauricio

        tb concordo…

  • Valdir

    O grande problema do Brasil está nas pontas. Nossos ponteiros tão virando muito pouco.
    Desde a copa do mundo do nao passado, não estamos conseguindo aproveitar contra ataques… de nada adianta defender se não botamos a bola no chão.

    Isso reflete diretamente na queda de rendimento em fins de set. Quando um set chegava a 22×22, o adversário já sabia que ia perder, pq o Brasil passava a jogar ainda melhor. Porém, agora no fim dos sets passamos a jogar pior do que no miolo, infelizmente.

    Precisamos demais do Dante, sem ele essa seleção não anda.

  • Bethania

    Daniel, não sei se consegue saber de algo de bastidor, mas notei que essa falta de vontade do Lucão coincide com a má fase de Théo. Eles são muito amigos, só andam juntos e a possibilidade real do Théo não ir a Londres(nem relacionado está sendo depois da volta do Vissoto) está afetando psicologicamente o Lucão. Será que pode ser isso?
    E Quanto à Ricardinho, já teve chances demais de começar jogando e não corresponde. Entrou ontem e acabou com o set praticamente certo. Agora é hora de definir o time titular pra entrosar bem e chegar voando nas olimpíadas.

  • meyre

    ola, daniel,

    Sobre a derrota para a Polonia, sinceramente acho que foi merecida. Se ganhassemos, achariamos que estamos muito bem, obrigada…..
    E sabemos que temos varios problemas como voce mesmo os apontou. Portanto, um derrota agora, nos coloca em alerta… quem sabe dá tempo de corrigir os problemas para as Olimpíadas?
    Daniel, voce que é uma pessoa sensata, me diga, qual a sua opinião a respeito do Bernardinho.
    Voce acha que ele perder o poder de influenciar e inflamar seus comandados?
    E sobre o Ricardinho ? Não podemos esperar mais do que ele apresentou ?
    abraços,

    • Daniel Bortoletto

      Os resultados falam sobre a influência de Bernardinho sobre essa geração. Mas é claro que existiu, existe e vai continuar existindo desgaste entre eles e os atletas. O que não aceito nele é a forma de cobrança com árbitros e adversários, que quase sempre passa dos limites.

      • meyre

        E quanto ao Ricardinho? O que voce acha ?
        Ele jogou uma otima super liga, com levantamentos sensacionais, defesa de cabeça.Tenho estes jogos gravados….
        Custo a acreditar que ele não tenha mais nada a acrescentar na seleção.

        • Carlos

          oproblema não é o Ricardinho, q até tentou acelerar as bolas, e ai? onde estavam Lucao, Rodrigao e Sidao? Sumidos. Acho q o grupoem si não está bem. Mas confio no Bernadinho, toda renovação é complicada e não brotam talentos como no futebol. E nem nisso temos…

  • Fernando Duarte

    Não consigo entender a insistência do Bernardo com Rodrigão, Thiago Alves e Théo. Não são jogadores com poder de decisão, sendo que Rodrigão é seguramente um jogador decadente.
    Wallace é bom, tem potência, mas, de duas uma, ou é um pouco ingênuo, ou falta “um quê” de inteligencia. Para ele não existe “bola tática”, que é aquela bola que vc joga na largada mortal, ou para explorar o bloqueio, ou até aquelas em que vc joga à meia fôrça para a cobertura pegar e rearmar o ataque. Não. Para ele só vale “porrada”. Ele parece querer sempre furar os adversários. Os caras armam um triplo imenso e ele acha que vai conseguir vazar o bloqueio. O resultado é que ele até vira muitas bolas, mas o que leva de “tôco” é quase na mesma proporção. Outra coisa, é que muita gente achava que Ricardinho seria um mágico capaz de tornar o time quase imbatível. Já está claro que ele não é mais o jogador de 5/6 anos atrás. os que achavam o contrário devem ser os mesmos que ainda achavam que Ronaldinho Gaúcho faria alguma diferença. Ilusão. Vai ser dureza.

    • CMA

      Mas quem vai substituir o Thiago Alves??? Giba que não joga a mais de 6 meses?? o Dante que joga um jogo e fica três fora porque não tem mais saúde? ou o milagroso JP Bravo.
      esse time esta mal convocado, essa é a verdade. Ainda acho que o Thiago desses três é o que da para o gasto mesmo, vale lembrar que ele foi convocado as pressas, nem estava treinando em saquarema, e hoje acho ele até melhor que o Murilo.

      • Naty

        concordo….Thiago Alves foi muito bem….em muitos momentos, bem melhor que o Murilo, que está longe do seu melhor…..
        E Rodrigão, em muitas partidas, foi melhor que Lucão…..que só ajuda no saque mesmo….

  • Darci

    concordo que o passe da seleção feminina foi muito ruim neste fim de semana e notem que a Mari nem estava lá para ser culpada. Jogou, mas não foi incumbida desta função.
    A Paula, que costumava ser a outra responsabilizada pelo passe falho da seleção, não deixou nada a desejar em relação à Jaque, cujo mal desempenho no fundamento é preocupante. Deveria ser ela, ao lado da líbero, a jogadora a nos dar consistência no fundo de quadra e a conferir qualidade ao nosso passe na armação dos contra-ataques. Ela e Fabi falharam bastante nessas funções.
    O problema é que, se para Fabi há uma boa substituta, para Jaque, na função de passadora, não se pode dizer o mesmo; não há ninguém tão superior assim. Pior: Fofão já não joga mais pela seleção e, sem um passe bom, nossas levantadoras não funcionam bem nem o nosso ataque, que já não é tão forte quanto outrora.
    Mas, ganhamos um set dos EUA e, mesmo sem passe, demonstramos algum poder de reação nos dois últimos. Acredito nesse time e torcerei por ele incondicionalmente.

  • Debora Correa

    Se a seleção masculina continuar jogando este vôlei xinfrim, não consegue nem chegar no bronze. Dos quatro ponteiros que imaginamos estar nas olímpiadas, Giba, Dante e Murilo ou estão quebrados ou não tem jogado bem. E pra piorar, um dos centrais não está pontuando. Estamos muito dependentes do oposto (Wallace não tem muita experiência internacional, e está se esforçando muito; Vissoto voltando de cirurgia)… sei não, é muito pouco pro que temos observado outras seleções fazer!

  • Eduardo Araujo

    Oi gente foi sofrível o jogo, demos mais de 20 pontos em erros para elas, mas de derrotas da para aprender ou analisar alguma coisa.
    Somente eu ou vcs acham que a brait tem uma recepção melhor que a fabi?
    Quando eu vi que ele iria com 2 líberos eu pensei, a brait fica na recepção e a fabi fica na defesa, já que não é de hj que o Brasil esta tendo problemas com a recepção ele me faz o contrario ou seja o problema do Brasil continuou.
    Não acho que hj o problema foi a levantadoras, no primeiro set o a recepção funcionou e fizemos 17 pontos em ataques contra 8 das americanas.
    Como vcs muito bem sabem sem a recepção o jogo fica muito marcado e vai td para as pontas, mas não sei se vcs notaram em 2 tempos técnicos do ZR no primeiro a Fabiola arriscou uma boa de meio e a Thaisa ficou no bloqueio oq ele falou para a fabiola não é para arriscar, ai logo depois ela errou um levantamento do fundo de quadra para a outra ponto aonde estava a paula a bola chegou ruim e a fabiola foi substituída, entrou a Fernanda alguns lances depois ela arrisca uma bola de meio com a ade que fica no bloqueio, o ZR para o jogo e fala para a Fernanda se vc tiver que dar 2 passos não quero que vc use bolas pelo meio, minha conclusão não são as nossas levantadoras que não arriscam é ele que não deixa.
    Outra coisa esse negocio de usar a maior distancia em bolas complicadas não é legal, veja a levantadora americana bola difícil ela levanta para o lado que esta virada é mais fácil a chance de errar é menor.
    Achei interessante a resposta que a Paula deu para o ZR no segundo tempo técnico do 4 set que ele começa falando um monte para as jogadores vira para elas e fala tem que bater forte caralho e a Paula olha pra ele e fala agente esta batendo e elas estão pegando quer que agente faça oq?, a resposta dele ok vamos começar do zero…
    O nosso saque também é sofrível, enquanto colocamos a bola as outras seleções mandam verdadeira tijolas, mas de acordo com o ZR saque tático é melhor que um viagem bem forte eu vi a cara da jaque e da fabi pegando as porradas!!!
    A Fabizona hj também não estava bem, a ade como sempre comendo a bola, mas tiro mesmo o chapéu para a Mari achei que ela estava acabada e esta jogando no momento melhor que a Sheilla.

  • marcos monteiro

    Acho que o problema maior tem nome:Jaqueline.Não pode jogar na seleção, uma ponteira que nao tem ataque, e nem bloqueio.Para tanto, ela precisaria ter um fundo de quadra irrepreensível,Compensando no passe, e na defesa,suas deficiências já muito conhecidas.Não é o que temos visto desde o pré-olímpico,quando a seleção sofreu com o passe ruim,jogando contra equipes muito inferiores tecnicamente.E se quisermos ir mais fundo,chegaremos a um problema que aflige todo o volei brasileiro:Jogadores que já vem das categorias de base,tanto no masculino quan to no feminino,com péssima formação em saque e passe.

    • Marcos

      Jaqueline, ontem, pelo amor de Deus, foi muito mal e, se não me engano, não saiu em momento nenhum. Já que era pra testar, podia ter botado a Priscila. Pior que ela a Pri não ia fazer.

  • Lucas

    Jaqueline é uma boa passadora, mas não pode ser titular nesse time. Não tem força no ataque nenhum e até perdi as contas de quantos tocos ela levou. Saudades do trio Sheilla/PP4/Mari das olimpiadas de Pequim. Vejo Sassá fora das olimpiadas, infelizmente, mesmo sendo superior a jaque no fundo de quadra e até mesmo no ataque. Pena.

    Fernandinha cada vez mais se firma como levantadora reserva, mas acho que Zé deve optar por Dani Lins em Londres. Camila absoluta e Adenizia não pode bancar pra Fabiana. Como a capitã brasileira está mal de bola! Se fosse por merecimento e pela bola jogada no momento, Juciely tinha que estar no lugar da capitã, mesmo sendo baixa pros padrões ta jogando muita bola junto com a Ade. Acho as duas uma ótima opção de meios pro Brasil.

    • CMA

      Ainda acho que esse tem que ser o trio titular. Mari Paula e Sheilla. Mari hoje ataca melhor na entrada do que na saída, na entrada ela esta largando a pancada mesmo.

    • Carlos

      vira essa boca p lá! Fernandinha joga mais do q as 2 juntas.

  • tiago

    Daniel, a seleção masculina começou bem, estava para fechar o 1º set quando o Bernardinho fez aquela infeliz inversão do 5×1. Foi ali que o Brasil perdeu o jogo, pois a Polônia estava nervosa em quadra. Mais uma vez o Wallace pipocou em um jogo decisivo, é um grande atacante, mas não é jogador de decisão, não sabe bloquear e nem defender. Ricardinho entrou mal nas inversões, está lento, gordo, sem criatividade e nós fomos inocentes em achar que ele poderia ser aquele genial levantador que foi. Murilo não está passando bem, não está conseguindo virar as bolas, está sem explosão e sem técnica no ataque, que foi sua marca registrada. Hoje em dia é um ponteiro muito baixo e sem passe e sem técnica é inviável. Sérginho está péssimo no passe e não defende como antes, está muito longe daquele genial líbero que foi. Agora está assustador os nossos centrais, Lucão e Sidão estão muito desanimados, estão com uma cara de desgosto. Tem algo estranho no grupo, que está “cheirando mal”. Tiago Alves saca bem, apenas isso, não é um bom passador e não é de virar de bolas, é baixo também para os padrões internacionais.
    Sem um bom saque, um bom passe e sem explosão e velocidade no ataque, fica complicado para o nosso time que é baixo.
    O grande problema hoje da seleção masculina e feminina são nossos ponteiros e ponteiras passadoras.
    Agora na feminina, também estamos sem passe, Fabi não passa e nem defende como antigamente, Paula é um grande atacante e só, não sabe passar e nem sacar, Jaqueline está mal no passe, na defesa e no ataque, os EUA concentram seus saques tudo nela, que errou todos os passes e no segundo set em diante, não virou uma bola.
    Fabiana não sei porque está na seleção atualmente, lenta, não vira bola, não tem explosão, não bloqueia, só tem altura.
    Sheila já faz tempo que está mal tecnicamente, uma oposto que não resolve, não vira bola e está longe de ser aquela do passado. Está totalmente sem vontade de jogar na seleção.
    Daniel, não deu para entender a direção do Sollys, não quiz renovar com a Hooker, alegando que ela é muito cara e trouxe a Sheila, que está mal. Será que a Sheila, ganha menos que a Hooker? O time do Sollys deu uma tremenda burrada.
    Estranho.

    • Daniel Bortoletto

      tem razão. aquelas mudanças não funcionaram no primeiro set

      • Luiz

        Se eu não me engano, na inversão, o Lucão tomou toco com bloqueio simples, e Vissoto tomou toco do levantador da Polônia. E quando a inversão foi desfeita, o Lucão tomou outro toco de bloqueio simples novamente.

        E mesmo antes da inversão, a seleção teve a bola para fazer o set point, mas por bobeira do Bruno e do Murilo perderam a chance.

        Sei não. Eu vejo a coisa de outra forma.

      • CMA

        a inversão matou o jogo, seria 3×0 se o Brasil fechasse ali. Uma pena

        • Daniel Bortoletto

          poderia mudar a cara do jogo mesmo

          • Luiz

            Agora sim, eu finalmente entendi.

  • Josie

    Sempre com boas colocações Daniel, Parabéns !
    Gostaria de saber algumas coisas: só vejo o ZRG dar broncas fortíssimas na Mari e na Dani Lins ( uma coisa meio de falta de paciência). Ontem a Jaqueline tomou ” n” Tocos e mesmo assim não levou nenhuma ” correção” e em nenhum momento foi sacada do time …
    Acho que a Sheila e a Mari tb não rendem em determinados momentos por receberem bolas ” jacas” ou levantadas não acertadas, e fora do ponto fica difícil bater com mais força , com mais definição.
    A grande preocupação: levantadora está difícil a Fernandinha num nível acima, mas não tão entrosada com as principais jogadoras ; E por fim, em dois jogos Itália e mesmo EUA custava a Levantadora mandar bola para Mari ( que por incrível estava até com bom nível de acerto … ) ;
    Você sabe quem vai participar dessa etapa da China?

    abraço

    • Daniel Bortoletto

      normalmente as maiores broncas acontecem quando as jogadoras não fazem o que a comissão técnica pede. Ex: não sacam na jogadora pedida, atacam de forma diferente do que o estudado, erram a mão no bloqueio…
      não acredito que Zé cobre mais de A do que de B

      • Helena

        Concordo com a Josie, as broncas na Mari, são desproporcionais…

        • Luiz

          É por que a Mari aguenta. O Zé já disse que a Mari é praticamente filha dele e da esposa dele. Jah a Jaqueline não suporta pressão. Se esqueceu que uma vez ela até chorou quando o Zé gritou com ela? Se esqueceu que na super liga do ano passado ela pediu pra sair de quadra no jogo Osasco x Unilever? Ela é fraquinha, fraquinha.

        • Sergio

          De que adianta a Mari entrar em quadra se as bolas pouco são levantadas pra ela. As estáticas do WGP mostram isso. Paula e Jaque recebem todas as bolas, e qdo o passe está horrível, sem chance de um bom levantamento é bola na Mari… Não sou apaixonado por ela, mas acho de extrema covardia, ZRG e toda equipe, fazer isso com a moça..

          Tomara que a Garay volte logo, Brait e Adenízia assumam a titularidade e Mari cale a boca de todos que torcem contra…

    • Fabio

      Eu tb tenho essa sensação de que levantam poucas bolas pra Mari, mesmo quando ela está virando tudo e no embalo. Quando entra de ponteira, dá até para entender, mas quando entra como oposta, tem que ser a bola de segurança.
      Sei que é ruim ficar especulando, mas o clima está bem estranho mesmo.
      Fernandinha e Fabiola não levantam pra Mari, apenas a Dani Lins tem levantado.
      Enquanto certas diferenças não forem superadas, não teremos um time competitivo pra londres, mas vários times e panelas dentro da seleção.
      Fico me perguntando se foi uma boa ideia criar esse clima de competição entre as atletas tão perto das Olimpiadas.
      Sempre fui um grande crítico do chamado “Ciclo Olímpico”, mas agora to sentindo que ele faz algum sentido sim. A seleção não está unida e coesa.

  • Leonardo

    Apesar da derrota gostei de algumas coisas em BRASILxEUA. Gostei da atuacao das 2 liberos em revezamento, a mesma tatica usada pelo Ze’qdo ganhou o EUROPEU com o FENERBAC. Antes de criticar vamos lembrar que os EUA estao com o time completo que disputara’ as olimpiadas e o Brasil ainda esta’ arrumando o time. O time sentiu falta de Tandara para revezar com Sheila como oposta e de Garay p/ entrar no lugar da Jack. Acho que o Ze’ demorou um pouco p/ voltar com FABIOLA e SHEILA no quarto set. O Brasil por muito pouco nao venceu o quarto set e se levasse o jogo para o tie-break tinha tudo p/vencer. O eua e’ isso aeh, ja’ Brasil e Italia vao melhorar muito ainda ate’ a Olimpiada. FABI e BRAIT foram muito bem jogando se revezando e as 2 devem ir p/ Londres jogando assim. Taisa foi a melhor em quadra. Paula com toda sua vibracao e virando bolas importantes foi a jogadora de seguranca, alem disso fez belissimas defesas. Mari melhorou no ataque, mas deu tapinhas em momentos em que era p/enfiar a mao, e na defesa nao ajudou nada, ate’ por isso senti falta da TANDARA que tem mostrado mais garra em quadra tbem na defesa. Jack pode jogar muito melhor que isso. Adenizia entrou, mas tbem deixou a desejar, nao bloqueou como em outras partidas. Sheila estava indo ate’ bem, mas o Ze’ a deixou muito tempo fora, Fabiola tbem ficou muito tempo fora, ela ajuda muito no bloqueio. Acho que se elas voltassem um pouco antes o Brasil levava o jogo p/ o tie break. O EUA com a selecao pronta e completa SUOU MUITO p/vencer o Brasil ainda em preparacao! Quero ver os EUA enfrentando um BRASIL completo com PAULA e GARAY nas pontas, SHEILA e FABIOLA revezando no 5×1 com TANDARA e FERNANDINHA,TAISA,FABIANA se revezando com a ADENIZIA no meio e as 2 liberos, FABI e BRAIT jogando se revezando, considero esse time o ideal, e pelo que vi hoje o Brasil tem total chances de derrotar essa selecao dos EUA. Gostaria de ver NATALIA jogando, mas parece que so’ na proxima olimpiada, sinto que a disputa p/reserva da Sheila vai ficar mesmo entre TANDARA e MARI.

  • Mauricio

    É realmente preocupante a situação de ambas as seleções. No feminino, temos boas novidades, como a ascensão da Camila Brait, Fernandinha e, principalmente, Adenizia. O passe e o ataque de ponta preocupam. A Jaqueline não é a definidora oficial e a Paula está bem melhor que em 2011. Tomara que esse time engrene. Agora, fico me perguntando se é melhor ou pior testar as jogadoras nesse momento, a poucos meses dos jogos olímpicos. Isso não prejudica o entrosamento e a confiança (tão importante no feminino)?

    Por outro lado, é positivo ver que as meninas não podem se acomodar, já que nenhuma é titular absoluta. Digo novamente, nenhuma jogadora! Fiz as contas e lembrei que no time de ontem, 4 eram titulares da medalha de ouro em Pequim! Fabizinha, Fabiana, Sheilla, Mari. Por que então tanta queda no rendimento?

    Se o ZRG ainda está buscando a levantadora ideal e testando a Fernandinha que, até então, não tinha participado do tal ciclo olímpico, tendo a achar que, a seu ver, o problema está também no levantamento. Se o passe é o grande problema que ao menos as levantadoras tentem render um pouco mais. Vejo um jogo muito parecido da Fabiola e de Dani Lins. Será que está buscando uma outra opção de jogo coma Fernandinha?

    Como podemos ver, a equipe feminina é só dúvidas e interrogações.

    • Mauricio

      e o ataque do fundo da Thaisa também é muito bom de ver…

  • Andrei

    Um aspecto que deve ser levado em consideração da não classificação da seleção brasileira masculina para as finais da Liga como primeiro do grupo é a mudança no regulamento para esse ano.
    O Brasil dominava o regulamento antigo, pois era muito forte jogando em casa. O Brasil jogava 6 vezes em casa, esse ano jogou somente 3. Será que perderíamos as 3 partidas para a Polônia se tivéssemos jogado 2 partidas contra eles em casa como era até o ano passado? É a FIVB mais uma vez mexendo os seus pauzinhos na tentativa de destituir o Brasil do topo. O circo agora está armado para as combinações de resultados que vem manchando o voleibol, já que conseguiram a façanha de condicionar a classificação de um time para as finais, aos resultados que virão nas duas semanas a seguir. Marmeladas à vista, aguardem!

    • Cecília

      Acho que por um lado o novo regulamento foi interessante por diminuir o número de deslocamentos das Seleções, já que antes os jogadores tinham que viajar mto mais, o que é desgastante. Por outro, acho tedioso todo final de semana enfrentarmos as mesmas equipes. Vamos supor que o Brasil (vou bater na madeira 3 vezes agora!) fique de fora das finais, o campeonato terminaria sem que tivéssemos enfrentado Rússia, EUA, Itália, entre outras grandes seleções o que, para mim, faz com que o campeonato perca qualidade, interesse e emoção. Enfim, enfrentamos a Finlândia 4 vezes e, talvez, a Rússia nenhuma…E isso se aplica a todas as grandes seleções, já que, se a fase de classificação já tivesse terminado, Rússia estaria fora, assim cmo Sérvia e Itália. Enfim, a Liga terminaria sem que alguns grandes clássicos fossem jogados. Enquanto isso, repito, o Brasil jogou contra a Finlândia por 4 vezes!!!!!Fora que os grupos ficaram desequilibrados, cmo um grupo pode concentrar Cuba, Sérvia e Russia e outro Bulgária, Argentina, Alemanha e Portugal?Qual foi o critério? Acho o regulamento do feminino mto mais interessante, um grupo se formando a cada semana, diferentes adversários e os 5 melhores se classificam. Espero q a FIVB reveja a fórmula do masculino.

  • Raffael

    Escreveu DEMAIS sobre o masculino, e de menos sobre o feminino…80% dos frequentadores do Blog preferem a seleção feminina à masculina, então seria bem interessante dar mais destaque a elas…

    • Daniel Bortoletto

      infelizmente nunca consigo agradar gregos e troianos

    • daniel

      É que a notícia mais importante do fim de semana foi a possível inédita desclassificação na 1a fase da Liga Mundial.

      • Raffael

        Galera se interessa mais no espirro da Mari do que no time do Bernardo! FATO

    • César Castro

      De onde vc tirou essa estatítica, Raffael?

      É cada uma…

      • Rogério

        Ele deve jogar volei feminino. Mas por outro lado, pode ser que admire a beleza das beldades do volei feminino. Quem sabe? Não to nen aí!

  • Sergio

    Pq a Josefa não levanta pra Mari?

    • Luiz

      Tem muita gente reclamando disto em tudo quanto é blog. Mas, não é má fé não. O problema é que a Fabíola entrou numa crise de bola da saída. Ela não está acertando mesmo. Todas ficam horríveis, até mesmo as da jogada China. Nisto a Fernandinha está dando um banho nela.

    • Fabio

      Não levanta! Tb acho estranho. A pastora tá de birra, subiu a cabeça.

  • Junior

    O que é Jaqueline, ponta que não vira bola, fala sério. Tem que ser reserva, ou mudar para libero. com ela de titular, só um milagre para ganharmos a olimpiadas. Na minha seleção ela não fica nem entre as 25+. Só toco e largadinha.

  • Bethania

    Está acontecendo algumas coisa com o Lucão mesmo, pra mim ele está insatisfeito pq o Théo, grande amigo dele, está ficando de fora e corre sério risco de não ir a Londres. Quanto ao Ricardinho, acho que até o Bernardinho já desistiu dele.

  • tiago

    Daniel, sobre a central Harmotto, ela não é muito alta, 1,88, mas você viu o quanto ela alcança no ataque e no bloqueio? 3,25 e 3,02 respectivamente.
    Ela invade muito no bloqueio, impressionamente, e com essa impulsão então.

  • Fabio

    assisti a todos os jogos dessa fase e das fases anteriores da liga no masculino e do grand prix no feminino e infelizmente o Brasil está muito mal. Se continuar assim ou se só melhorar um pouco, nem medalha de Bronze vai ter nas Olimpiadas.
    no masculino, o Brasil não tem mais aquele jogador fora de série que decidi. já passou o tempo do Murilo e do Giba. Ricardinho infelizmente tb não tem mais aquele passe que tinha antes. Bernardinho o convocou achando que ele voltaria sendo aquele Ricardinho de outros tempos e compensaria a falta de bons atacantes mas não deu certo , tanto que Bruninho voltou a ser titular , o que não estava acontecendo nas fases anteriores.
    Já a seleção feminina, acho , ao contrario de vc, ainda pior. Todas , mas todas se descontrolam muito fácil e tem erros absurdos, além de nenhuma passar direito. não sei como o Zé Roberto aguenta.
    Enfim , já não estou gostando do que estou vendo a muito tempo, desde a copa do mundo masculina( que se clasisficou no sufoco pras olimpiadas) e o feminina que nem classificação conseguiu.

    A coisa tá feia no volei!!!

  • Londres 2012

    DANIEL, QUEM FORAM AS 14 JOGADORAS QUE VIAJARAM PARA A CHINA?

    • Fabio

      Se não me engano, foram as 14 de São Bernardo, mais a Nathalia e a Garay. 16 ao todo.

  • CMA

    não acho que jogamos mal, o time deles é simplesmente melhor que o nosso. e qualquer errinho mata o jogo para o Brasil. fizemos o mesmo numero de bloqueios, mais aces e menos erros, e ainda asim perdemos o jogo.
    O diferencial são os ponteiros, nossos tampinhas diferente dos caras de lá não colocam a bola no chão, daí não pontuam nunca no contra-ataque.
    Nosso time não é mais o mesmo, é velho e baixo, perde muito fisicamente para os outros times. Concorremos ao pódio em Londres, mas estamos longe de ser os favoritos.

    e aprendemos uma lição, não existe salvador da pátria. Bruno e Malon foram massacrados pela imprensa e pela torcida, e o queridão, o salvador da Pátria não trouxe o ouro que todos apostavam que ele traria. Alias Marlon nunca ficou fora das finais da liga mundial.

    a Palavra é renovação, trocar os medalhões e trocar a comissão técnica

  • Joau

    O Bernardinho também erra. Aquela inversão 5 e 1 que fez no fim do 1º set acabou com jogo. Em time que tá ganhando não se mexe. Tenho medo de que Ricardo não será recuperado.
    Estamos jogando com um setter e se por acaso se lesionar estamos ferrados.

  • debygoiania

    Daniel, liga prás críticas não. Continue fazendo seu ótimo trabalho( passei o domingo inteiro dando “f5” no blog)rs.
    Você acha que, em comparação aos anos 90, há um exagero na comissão técnica do Brasil?
    Digo isso pq nos jogos não há liberdade, é um monte de vozes vindo do Banco. As jogadoras ficam transtornadas com tanto berro.
    Eu particularmente detesto esse engessamento das jogadoras. Imagina uma Jack(anos 80), uma Venturini, uma Marcia Fu seguindo só o que diz o técnico…

  • Bia

    Daniel, tem a lista das atletas que foram para a China?

    • Daniel Bortoletto

      as 16 que estavam em São Bernardo, trocando a Priscila Daroit pela Tandara

  • daniel

    Para quem esteve no ginásio, o melhor foi ver a torcida praticamente exigir a saída da sonolenta Fabiana para a entrada de Adenízia. Mais um final de semana no Brasil e seria a vez de Fabizinha dar lugar a Camila Brait. O mais irritante foi ver Jaqueline insubstituível e com aquela atuação bizarra. E numa altura dessas o ZRG resolveu testar Fernandinha, depois de insistir insanamente com Dani Lins e Ana Tieme.

    • Fabio

      Adenizia tb entrou e não fez nada. Vai com calma, gente. Ela eh boa mas não eh a salvaçao. Enfrentar EUA, Cuba e Russia é outra história!!

  • Clivia

    Qto selecao masculina com certeza acho q deveriam realizar mais teste com os ponteiros, se ficar somente a responsabilidade do ataque com o Murilo fica difícil. A feminina achei q a Paula, Mari, Thaisa e Adenisia foram gigantes. Acho q algumas estão sem confiança e e importante recuperar, pois se ficarmos com as mesmas sempre segurando o ataque fica difícil. Tomara q o Ze leve a Camila e a Garay e q a Natália se recupere. Acho q o Ricardinho ainda esta sem confiança e o Bruninho esta num melhor momento com mais confiança, o Sidao tb esta muito bem deveria receber mais bolas.

    • Luiz

      Concordo com tudo. Pela primeira vez na vida estou vendo o Ricardinho sem confiança, sem brio, sem “vida”. MAS, EU PREFIRO ESPERAR. ATÉ UMA SEMANA ATRÁS TAMBÉM ANUNCIAVAM A “MORTE” DA MARI, MAS NÓS QUE AMAMOS VÔLEI SABEMOS QUE NUNCA É BOM DUVIDAR DE UM TALENTO. SÓ QUEM DUVIDA SÃO PESSOAS IMEDIATISTAS E JORNALISTAS TENDENCIOSOS.

  • Pequena

    Daniel,
    queria muito saber sua opinião sobre as levantadoras. Você acha que a atuação da Fabíola comprometeu o jogo?
    Qual delas você acha que será a titular nas olímpiadas? Quem fica de fora?
    Eu tenho a impressão de que a Dani Lins é a mais insegura entre as três. Talvez a distância técnica entre elas não seja tão grande, mas deve contar aspectos emocionais e o entrosamento entre elas.
    Você acha que o levantamento está entre os principais problemas da seleção?

  • tuliobr

    Devemos reconhecer o mérito da dupla MacCutcheon/Kiraly. Eu penso da seguinte forma: este time dos EUA é, com excessão da Hooker, basicamente o mesmo que o Brasil regularmente vencia até 2009. De lá para cá, usando a mesma base (Berg/Tom/Akinradewo/Larson/Bown/Davis), as americanas tem superado a SFV. São todas jogadoras experientes, mas estamos carecas de saber como elas jogam e a Hooker, por mais excepcional que seja, sozinha não explica essa revolução. Ocorre que, preservando o que os EUA sempre tiveram de melhor, que é a disciplina tática cuidadosamente burilada nas universidades e a execução caprichada dos fundamentos, as ianques progrediram muito com um saque e um bloqueio extremamente agressivos, com uma execução que lembra elementos do vôlei masculino, e estão mais velozes na transição para o contra-ataque e na organização para a defesa. Enquanto isso, não sei se por problemas de ordem física ou técnica, nota-se que a SFV ‘bate muito a cabeça’ em quadra: falhas de cobertura, falta de velocidade e de reflexo na defesa e carência na organização do contra-ataque. E erros, erros demais para um time já tão experiente. Não acho que a questão da levantadora seja explicação suficiente: a Berg não é propriamente uma lenda viva da posição, além de ter um biotipo no mínimo desfavorável, e funciona! E se você olhar o time com a Glass, ou a Thompson levantando, continua funcionando. Creio que para nós falta o JRG parar de ter tantas dúvidas e começar a treinar de fato suas certezas. Escolher logo levantadora titular e reserva (são essas que nós temos, em um mês não vai mudar), e como ele quer que ela jogue, definir quem é a reseva da Sheilla, o quê ele quer da Mari e criar coragem de colocar as Fabianas no banco. Depois, jogar os jogos que restam neste GP e dar uma cara para o time, como já tivemos até 2008 e, inebriados com o título olímpico, esquecemos de preservar. Quanto aos EUA, elas estão muito bem, mas não são imbatíveis. Estão aí as italianas para provar.

    • César Castro

      Que comentário inteligente!

      Parabéns Túlio!

  • romano

    foi duro ver as duas derrotas do Brasil, mesmo gostando muito mais do feminino, o time do Bernadinho sempre funcionou como exemplo de grupo, todos jogando junto e sem pontos fracos. O grupo que crescia nos momentos de decisão, que engolia os adversários não existe mais… estão aos pedaços, Murilo, embora melhorando, não está jogando em alto nível e o time sente falta de outro ponteiro efetivo no ataque. Está complicado ver o jogo do Lucão, ele faz apenas cenografia de bloqueio e ataque, a melhora do Sidão é uma grata surpresa, mas precisamos de uma equipe, a soma de todos os jogadores, um coletivo de atletas jocando o seu melhor, o que parece ser cada vez mais difícil de acontecer com tantos problemas no time.

    no feminino… é tudo mais imprevisível ainda, o time pode ficar muito forte se as jogadoras entrarem com agressividade e concentração, vide o primeiro set do jogo br x usa. Acredito que a Adenizia e a Garay fariam o time ter mais confiança e força, neste jogo, depois do 1.set, nossas atacantes pareciam mais “largadoras de bola” e com um saque muito frouxo, até o da Priscila quando entrava para sacar, mas ainda assim conseguiu algum resultado. O que foi esse festival de erros? seja no ataque, seja na recepção e saque? não tem nenhuma inexperiente no grupo, este era pra ser um grupo maduro defendendo o título nas olimpíadas. A maturidade e a disciplina estava no time dos eua, cada uma fazendo sua parte da melhor maneira, sendo objetivas, tendo obediência tática. Nos tempos do ZRG parece que ninguem faz o combinado, não gosto de vê-lo grotescamente brigando com as jogadoras, puxando a orelha e dizendo “você errou, não fez isso…” pra quê? reforçando uma atitude negativa e derrotista, que não está dando certo… Falta assertividade dele e um comprometimento maior de algumas jogadoras.

  • Thiago

    1º-Fabi, já deu.
    2º – jaqueline NUNCA fez a diferença em qualquer título importante, nem no Osasco. Esqueçam. Quando a coisa aperta, nem no passe ela se segura.
    3º-Sheilla, volta com a Mari. Acho que tá faltando “vitalidade”.
    4º- Jaqueline é banco.
    5º- Pra fazer fundo e arrumar o passe só existe uma: SASSÁ.
    6º. Jaqueline é banco.
    7º-Fabizona vai melhorar, mas na pior das hipóteses tem a Adenizia.
    8º-Jaqueline não pode ser titular da seleção.

    • Car5

      ahahaha ja vimos a simpatia que tens pela Jaque!!!

    • marcos monteiro

      Ela não jogaria jamais em nenhum time se dependesse de mim.Jogadora pipoqueira, quase afunda a SFV naquela semifinal contra o Japão, no Mundial. E a historia de que ela é excelente no fundo de quadra é uma lenda.Revejam os jogos do pré-olímpico quando ela errou passes em jogos contra as superpotências do vôlei mundial:Colômbia,Venezuela,Uruguai,Peru.

    • Marcelo

      Que o Zé te ouça. Ela vai ser banco como em 2008

  • Euri

    A minha maior preocupação é com a seleção masculina. O time envelheceu e o Bernadinho esqueceu que o tempo passa. Murilo, Giba e Dante ainda são grandes jogadores, mas estão longe da forma física ideal. Com a idade, todo mundo perde força e agilidade, e imagino que com atletas isso seja muito pior. O mesmo para o Serginho. E o que ainda pior, nós não temos substitutos pq a comissão se recusou a preparar uma nova geração. Com isso, os nossos opostos estão sobrecarregados e o Walace não tem experiência necessária para os jogos importantes. Os centrais também ficam sobrecarregados. Ninguém me tira da cabeça que o Bernadinho não colocou o Lucareli para jogar porque ele acabaria tirando uma vaga dos nossos ponteiros. A convocação do Ricardinho para mim foi um sintoma de desespero da seleção, tentando encontrar um salvador da pátria. E só serviu para bagunçar ainda mais com a cabeça dos jogadores e o time ficou com apenas um levantador preparado para jogar jogos de alto nível. Quando já tínhamos o Marlon, que estava preparado e em forma para jogar as olimpídas. Se a gente for ver, a seleção masculina não tem nem reserva a altura em nenhuma das posições.

    A seleção feminina me preocupa um pouco menos. Ao contrário da masculina, tem um bom grupo de jogadoras com experiência e que estão no banco. O problema é que o Zé ainda não teve a coragem necessária para fazer as mudanças. A titularidade da Camila Brait resolveria um monte de problemas e a entrada da Adenízia resolveria outros. Os fãs da Sheila que me desculpem, mas ela tá jogando a meia boca faz tempo. Acho que se ela tivesse pelo menos dois músculos em alguma parte do corpo, quem sabe ela conseguiria força necessária para colocar a bola no chão como uma boa oposta deveria fazer. A Tandara já devia está jogando de titular faz tempo.
    A Thaisa é incontestável; a Paula mostrou garra suficiente para ganhar a sua vaga; a Jaque precisa se preocupar mais com a defesa do que com o ataque.; A Mari pode até ser usada como coringa, mas não me inspira a mínima confiança; A Fabíola precisa aprender a ter paciência. Tenho a impressão de que qdo o passe não sai ou as atacantes param de pontuar, ela entra em desespero e quer resolver as coisas sozinha. Um jogo contra os EUA nunca seria fácil e, com a instabilidade do nosso ataque, ela precisa manter a cabeça fria e colocar ordem na casa até que o time ache equilíbrio de novo.
    Eu até entendo a necessidade do ZRG de tentar manter a Fabiana. A altura dela é uma vantagem, mas tudo tem um limite e acho que é qdo uma jogadora, além de não ajudar, está atrapalhando o time. E esse é o caso da Fabiana hoje.
    De qualquer jeito, a seleção feminina ainda pode ter jeito. É só o Zé começar a jogar com as jogadoras que estão em melhor fase e não ter medo de fazer as alterações necessárias. Eu tenho fé que ele vai fazer o que é preciso até as olimpíadas.

  • Luiz

    Vou direto na ferida:
    No masculino não temos um Kurek, e no Feminino não temos uma Hooker, muitos menos uma Larson.
    Como pode a Larson que em 2009 sofria com o passe, hoje passa melhor do que a Jaqueline que faz isto há anos?
    Como pode a Sheilla só viver de largadinhas?

    Para mim, o Bernardo deveria cortar o Dante (adoro ele, mas) e colocar o Lucareli na parada. A coisa está virando porradeira, chega de mão mole. Dante e Murilo estão fazendo figuração. Thiago Alves está melhor.
    E O Ricardinho, tem que melhorar aquela cara de moleque assustado e começar a dar uns gritos e chamar o time pra si. Já passou o tempo de pisar em ovos, chegou a hora de ligar o POR… os CARAL… da vida! É hora de pisar no rabo do capeta. O Bruninho faz isto, por que ele não vai fazer?

    E por falar em Bruno. Eu ainda acho que o Bernardinho deveria chamar atenção do Lucão que vive reclamando das bolas do Bruno. Eu pensava que o problema era só com o Ricardo, mas o problema é pior: ele não está jogando nada.

    Já na seleção feminina, Fabiola leva vantagem, mas as bolas dela para a saída são horríveis. Como pode? Se a Mari for oposta mesmo, ela vai precisar de bolas pelo menos “viráveis” – coisa que a Fabíola não tem feito.

    No entanto, mesmo achando a Sheilla muito apagada, acho que nosso ataque fica melhor com a Mari, Paula e Sheilla. Jaqueline demonstrou ontém o que eu e poucas pessoas já sabiamos: ela não é de nada. E só ver na final olimpica de 2008, quando a Mari sofreu com o passe no segundo set. Jaqueline entrou e só levou toco atrás de toco. Ela não é jogadora de seleção. QUEM A CONHECE DE VERDADE NÃO SE DEIXOU LEVAR PELA SUPER LIGA. ELA É UM ENCOSTO. TOMOU TOCOS MEMORÁVEIS TAMBÉM NA FINAL DO MUNDIAL DE 2010.
    Se é pra ficar sem passe, que seja sem passe com a Mari. Porque levar três tocos da Berng é o fim da picada.

    Não queria escrever muito, mas não deu.

    • CMA

      o problema do Brasil nunca foram os levantadores, sempre foram os ponteiros, o dificil foi os fanáticos verem isso, precisou o Ricardo voltar para a seleção para o povo ver.
      e agora ainda temos o problema do Lucão, que sempre foi a bola de segurança e hoje é um moloide.

    • Paula

      Acho que se o Ricardo voltar na fase final (acredito na classificação, mas não sei se o Bernardo vai tentar o Rapha desta vez), ele deveria realmente pisar firme e chamar o time. Ele não terá mais nada a perder. Tem que ser aquele Ricardinho bocudo, raçudo, chato mesmo. Mas que incendeia. Sempre acreditei que o diferencial da seleção com o Ricardo eram as bolas rápidas, o jogo imprevisível. Para isto, ele precisará de um passe melhor e, principalmente, de atacantes que arrisquem mais e metam o braço. O Wallace já faz isso, tanto que joga bem com os dois levantadores. Precisamos dessa postura dos outros também. Chega dos levantadores se adequarem aos atacantes.

      • Luiz

        Eu só acho que ficou nitido que o Ricardo joga fácil com o Rodrigão e com o Giba.

      • CMA

        não é assim tão fácil, o cara tem que ser um líder para ter moral de chamar alguém. isso pode muito bem acabar em briga. lembre-se que ele e Gustava já brigaram em quadra, imagina com pessoas que ele não tem nenhum relacionamento e joga a menos de 30 dias.

        acho que o time tem que jogar junto, todos tem que entrar num comum, fazer 6 jogadores se adequarem a um. não é mais fácil que fazer o levantador se adequar a eles.

        • CMA

          ps. tentar o Rapha nessa altura seria mais uma loucura, falta pouco mais de 30 dias para a estreia do time. suicídio.

          a verdade é que até o Bernardo acreditava no salvador da patria

          • Paula

            Eu entendo o que vc disse sobre a dificuldade de 6 jogadores se adequarem a um, mas o Ricardinho foi convocado para acelerar o jogo do Brasil, driblando os altos bloqueios adversários. Como ele pode fazer isso, mudar o jogo do Brasil, se precisa trabalhar mais com bolas altas e lentas? Por isso que eu acho que precisa haver uma mudança de postura dos nossos ponteiros e, principalmente, centrais. Se não, não há sentido nenhum nesta convocação.
            Quanto ao Rapha, não ficarei surpresa se o Bernardo fizer esta opção. Tambem nem sei como está a cabeça do Ricardo nesse momento.

        • Luiz

          Eu não sei não. Prefiro o Ricardinho do Vôlei Futuro a este calado e sem vida.

    • Daniela

      assino em baixo, o problema não é só o Ricardinho, o Lucão não joga nada. Rodrigão mais pra menos do que para mais e o Sidão mais ou menos. Ninguém vive de mais ou menos!

  • Luiz

    Só mais uma coisa:
    Como é bom ver novamente a Mari virando bola quando ela é a única opição de ataque e todo o time adversário sabe que só tem ela pra virar.

    Ver a cara de raiva da Sheilla bancando para a Mari foi de soltar gargalhadas.

  • daniel

    É, mas ontem que uma Sassá fez falta, fez.

  • Luciano

    Vamos pensar para o futuro. Essa olimpíada será o último ciclo da era Bernardinho, que com certeza revolucionou o cenário mundial, incomodou muitos, e colocou o Brasil no patamar mais alto que um time de voleibol conseguiu chegar até hoje no mundo. Vide todas as conquistas por mais de 10 anos. É claro que vamos cobrar mais, pois sem cobrança não há motivação, porém o cenário do volei muda, pois os outros times tendem a se mexer. Só não podemos cair na armadilha a qual Cuba caiu. Nossa renovação tem que ser geral a começar por um novo técnico que ao menos seja respeitado tanto quanto Bernardinho. E logo para 2013 com nova Liga Mundial, 2014 Liga Mundial e campeonato Mundial, 2015 Liga Mundial e jogos Pan Americanos, e 2016 Liga Mundial e Olimpíadas (Rio). Para tanto teremos seguir o cenário mundial com nossas características peculiares: criatividade, velocidade, conjunto. Esse cenário inclui, um levantador bom e alto ( Mulio Radke), um oposto matador que saiba jogar no cenário mundial ( Wallace), 4 centrais altos e com potencial de ataque, saque e bloqueio ( Lucão, Isaac, Otávio, e Eder), pontas altos, fortes, potentes, rápidos, com excelente passe e ótimo saque ( está pra nascer, mais vamos tentar), ( Lucarelli, Mineiro, Túlio, Mão se imagrecer), e um líbero de primeira linha ( Thales). Vamos que vamos..

    • Joau

      Murilo Radke é terrível.Melhor Ricardo a 50 anos e Bruno para a vida!

    • CMA

      a preocupação é grande, o Bruno é o único levantador com menos de 30 anos titular de algum clube no brasil. isso é terrível. ta na hora de Ricardo, Marlon, Marcelo, Sandro e vários outros irem jogar fora do Brasil, alias o Bruno também tem que ir jogar fora do Brasil. tem que dar chance para os garotos.

      Opostos estamos bem servidos, Wallace e Renan. centrais. também, alem de Sidão e Lucão terem menos de 30 anos, tem o Mauricio que era do VF que é bom também.

      ta na hora de renovar, nossos velhos campeões tem que largar o osso.

      • Joau

        Entre outras coisas, agora eu leio que Murilo Radke (repito: aterrorizante) é apenas 2 anos mais novo que Bruninho. Bruno não merecia os massacres que tinha por anos. Eu acho ele muito jovem e já com um nível elevado .

        • CMA

          pois é, o Daniel é da idade do Bruno, e também não é grandes coisas, tem o Gelinski que esta voltando para o Brasil, coloco fé nele e no Bruno para o RIo.

          tem também o Fidelli, mais de 2 metros de altura. esse também é reserva no clube dele.

          concordo, o massacre ao Bruno foi umas das coisas mais injustas do esporte brasileiros, acho que o Bruno é na verdade muito cascudo, por tudo que ele passou.

          • Joau

            Embora Bruno ainda tem que crescer , tecnicamente e piscologicamente, eu percebo também que ele tem um monte de influência positiva no grupo. Quando ele chama a atenção dos jogadores, mesmo mais velhos que ele, sempre fica uma reação. Isto é muito bom.
            Thiago Gelinski com certeza irá crescer em Floripa como aconteceu com Bruno, graças a Renan. Mesmo para mim, vai ser a dupla do Rio 2016.

  • matheus

    O que eu achei mais engraçado nesses jogos é ver tantos erros de passe da Fabi , e mesmo assim ela continua sendo a líbero titular da seleção.Enquanto a Camila Brait que estava nas primeiras colocações nos ranking defesa ,passe,e melhor líbero ,não ser titular !?

    Outro ponto que você e nós esquecemos Daniel foi a ausência da Fernanda Garay que poderia ter feito a diferença para nós ,tanto no ataque quanto na recepção !
    Acredito,infelizmente que a Natália não conseguirá ir para Londres , ela nem viajou com a seleção para a China ?Confirme isto para mim Daniel

    Nossa seleção antes de tudo precisa jogar com mais lucidez, o Zé Roberto precisa orientar melhor elas, o Brasil ficou muito em tocos desnecessários.
    Explorar o bloqueio é a melhor arma que se tem quando um bloqueio é muito grande !

    Bom enfim ,fiquei muito triste com a performance do Brasil neste domingo depois de um set incrível diga-se de passagem.

    Obs: Estudem a equipe americana , tirem várias conclusões e erros que precisam ser arrumados através desse jogo,que será possivelmente a maior pedreira para o Brasil,já que essa é a formação titular do USA para os jogos .

    • Rogério

      Essas historias de seleção é tudo uma panela.
      Assim como acontece na nossa vida, também acontece na seleção.
      Ex: Quando tu vais jogar uma pelada, tu não fazes a tua panela.
      Pois é, igual na seleção!

  • Naty

    Eu, sinceramente, não me preocupo tanto com a seleção masculina não….acho que os jogadores, com bastante treino até as olimpiadas, vão se acertar…..
    Agora a feminina deu desespero….tá tudo ruim: saque, recepção, ataque, levantadora….mas não é ruim, é muito ruim…..
    No jogo contra a Itália a Fabiola foi horrivel……a Fabiana não tá valendo a pena nem comentar….
    O que é aquele saque do Brasil? ninguém força……até eu recepciono aquilo…..o único que se salva é o da Thaisa….
    E os tocos da Jaque? Os tijolos da Fabiola? Totalmente previsivel e sem precisão…..
    Só estão salvando Thaisa, Ade, Camilinha, Garay e Fernandinha…….pra mim essas são titulares…
    Acredito na recuperação da Mari e na volta do bom jogo da Sheilinha…..

  • robert rj cidade de deus

    Acho que o grande problema da seleção brasileira tanto masculina quanto femenina é que estão surgindo grandes times com posteiros altos e super habilidosos…está na hora de vim uma geração de ambos com ponteiros mais altos,pois os que tem hoje apesar de serem super talentosos também estão sendo muito bem marcados pela altura desses novos adversários!

  • Luiz

    Gente, tenho que confessar uma coisa:
    nos anos 90 eu tinha um ódio motal da Fofão. Só em 2007 que eu passei a gostar dela.
    Ainda em 2000, eu detestava a Fernandinha, mas hoje tenho que dizer que estou começando a gostar desta garota.
    Será que daqui há um tempo eu vou olhar o Bruninho com outros olhos? kkkkkkkkk
    Só faltava esta.

    • Daniela

      kkkkkkk acho que sim. Ele vai melhorar, mas não será nenhum Maurício!!

  • Paulo

    O que mais me impressionou neste time dos EUA foi a evolução da Larson, sempre passou e sacou bem, mas esta última temporada na Rússia fez com que ela melhorasse MUITO seu ataque, com mais força e velocidade.
    Hoje na minha opinião o time delas tem a melhor dupla de centrais do mundo, essa Harmotto impressiona no bloqueio.
    Quanto ao Brasil, não gosto destas indefinições, penso que passa insegurança para as jogadoras e o entrosamento fica comprometido.

    • Luiz

      Realmente. Ela evoluiu muito. Lembro no Grand Prix de 2009. Ela não sabia passar.

  • Luish

    Daniel, bom dia!!! Desculpe desviar o assunto do post, mas você tem alguma notícia do Volei Futuro??? Cadê o anúncio do patrocionador master que seria divulgado em breve pela diretoria do time???? Corre boatos de que mais jogadores vão rescindir contrato e um deles é o Ricardinho!!! Se for vdd o time daqui já era!!! Tem como apurar isso pra nós???? Abs e parabéns pelo blog!!!

    • Daniel Bortoletto

      já deram vários prazos e não cumpriram. nos bastidores, o último prazo dado foi até o fim desta semana

  • Márcio

    Não vejo tanto motivo para todo esse pessimismo em relação as duas seleções. Claro que a derrota para a Polonia doeu e algumas coisas é de preocupar! Não classificar para as finais da liga, compartilho da opinião do Daniel, não sei dizer se é bom ou não jogar as finais. A recepção da seleção masculina está abaixo do esperado. Mas vamos analisar por partes. A recepção depende muito da condição física dos jogadores. Murilo vai mal pq ainda está fora de ritmo. Sobrecarregado o Serginho, atrapalhando as jogadas de meio dos nossos centrais. Talvez esse seja o motivo do Lucão estar abaixo do esperado. Ricardinho estava a muito tempo longe da seleção, precisa de um tempo a mais para o entrosamento. O que eu realmente acho que falta é um oposto que decida em momentos importantes, não temos um André Nascimento e nem um Marcelo Negrão. Wallace é muito bom, mas ainda falta rodagem para ele. Mas o considero melhor que Theo e Leandro Vissoto. Sobre Giba e Dante, aguardem, dois craques,em Londres eles mostraram quem realmente chama a responsabilidade e decide!
    No feminino vejo basicamente os mesmos problemas. O passe não funciona, mas isso porque a Fabi não passa bem e isso a anos, ela está no time pela otima defesa que ele tem. Por esse motivo o JRG mantém a Jaque, que não ataca bem mas faz muito bem o fundo de quadra. Ou ele arranja uma ponteira que ataque melhor que a Jaque ou coloca a Brait que tem a recepção bem superior. A Fernandinha também não está entrosada com as demais jogadoras, mas joga mais que a Fabíola e a Dani Lins, é questão de tempo. Fabiana faz tempo que não rende o esperado, Adenizia talvez seja a solução. Bem na posição de oposta vejo o mesmo problema do masculino. A Sheila não no mesmo nível de anos anteriores, a Mari também não inspira muita confiança. PP4 vai ter que chamar mais a responsabilidade e virar as jogadas das opostas, mesmo como ponteira. Mas vejo o time ainda com grande possibilidade de Ouro em Londres!!

  • daniel

    As 3 coisas mais revoltantes na seleção feminina são:
    1- Camila Brait assistindo do banco Fabi jogar.
    2- Fabiana (sem comentários)
    3- A insanidade cometida em todo o ciclo olímpico na escolha das levantadoras, e agora, nos acréscimos da prorrogação, querer correr atrás do prejuízo.

    *Lembro de uma entrevista do ZRG em 2009 falando que a diferença entre Fofão e Carol A. era maior que a entre Carol e as outras levantadoras mais jovens (Dani e Ana), e que por isso ele acreditava que em 4 anos elas estariam em um nível maior que a Carol A. E agora?

    Na seleção masculina cito um:
    1- William Arjona ver as Olimpíadas pela TV.

    • tuliobr

      Eu acrescentaria mais um ponto na tua lista: Manter a Natália no time. Nada contra a jogadora, e eu invejo os otimistas que têm certeza de sua recuperação a tempo de ser útil nas Olimpíadas e torço para estar errado, mas faltam quarenta dias para a bola subir prá valer e a notícia que nós temos é que a moça ‘está liberada para dar cinco saltos por dia’. Ela não joga há quase um ano. Creio que é injusto com ela, por gerar uma expectativa para a qual dificilmente poderá corresponder, e com atletas que jogaram a superliga e estão em condição física satisfatória e poderiam ocupar a vaga. Este caso me traz à lembrança outras ‘recuperações heróicas’ de lesões, que geralmente não acabam bem; o mais emblemático talvez seja o da inesquecível Ana Moser. Até hoje eu especulo se não teria abreviado sua magnífica carreira aquela recuperação a jato.

  • rogerio

    esse povo pediu tanto a adenizia no lugar da fabiana ela entrou e o time num melhorou em nada muito menos no bloqueio…fabiana muito melhor que a adenizia unica coisa que a adenizia sabe fazer melhor que a fabiana é sair gritando quando o brasil faz um ponto…fabiana é muito melhor q adenizia e vai calar a boca de todo mundo em quadra.

    • Rogério

      Não é o Rogério – Esta linguagem não existe!

    • daniel

      Cara, é difícil defender a permanência de Fabiana no time titular. Todos já a vimos em atuações fantásticas, e Adenízia hoje não joga o que ela já jogou um dia, mas infelizmente aquela grande Fabiana saiu de cena há algum tempo. Uma pena, já que ainda é uma jogadora jovem e que pode sem dúvida readiquirir o seu bom jogo, mas na seleção tem que estar as melhores e hoje ela não é a melhor. Na verdade, desde a Copa do Mundo ela deveria ter conhecido o banco de reservas. Não é nenhum estímulo manter um atleta no time titular só no nome, quem sabe se ela tivesse amargado a reserva ano passado talvez tivesse se estimulado mais e saído dessa apatia em que se encontra. Ela nunca imaginou que seria colocada no banco pela torcida, pois foi isso que aconteceu domingo em São Bernardo, quem estava lá viu. Agora é correr contra o tempo e tentar na bola e não no nome voltar ao time titular.

  • Luiz

    Repito:
    Até três semanas atrás, muitos já davam a “morte” da mari para o vôlei. E ela resolveu sapatear na cabeça de muitos. Muita coisa ainda pode mudar. Em uma aposta, eu nunca ficaria contra Mari, Ricardinho, Paula Pequeno e nem Giba.

    • meyre

      Vamos ver se o Bernardinho dará outra chance ao Ricardinho. Realmente este, está deixando a desejar… sinceramente torço para que ele tenha garra e sangue nos olhos.
      E acima de tudo torço para a seleção volte a dar show.

  • Concordo que á Fabiana,Jaque,Sheilla,não atuarão bem é fato ,porem o tecnico Ze Roberto tambem cometeu erros grave,á garay não jogou por problemas fisico seria titular no luagar da Paula tabem com problemas fisico,e á Tandara ficou de fora desta fase,que poderia substituir á Sheilla,e á Mari substituir á jaque,e o nosso grorioso Ze Roberto nos pedidos de tempos ficava aos berros com time,sendo os erros na escalação da equipe foram dele,

    • Luiz

      Eu tbm ainda espero a Mari no lugar da Jaque, mas neste momento é até bom ela recuperar a confiança aos poucos. O problema é que a Mari está com o dedo lesionato (coisa séria), ela não está bodendo fechar o movimento de manchete, então não vai poder fazer passe por muito tempo. Para o desespero da Sheilla.
      Mesmo não estando bem, espero que o Zé bote a Sheilla para jogar sexta-feita. É melhor deixar a Mari se recuperando.

      Gente, só a mídia mesmo pra se iludir com a Jaqueline. Quem comenta vôlei em blogs, e nas redes sociais já conhece muito bem a Jaqueline. Depois do ano passado em que ela pediu o Luisomar para sair de quadra no jogo contra o Unilever, ficou nítido que ela não é uma jogadora de decisão. Ela treme nos jogos difíceis. Na final da super liga deste ano, a Hooker vez mais de 20 pontos em três sets jogados. Eu fico me imaginando se o Osasco não tivesse a Hooker. Quem viraria bolas? E agora, que a Sheilla está mal e o Osaco a contratou? MEDO!!!!!!!!!!!!!!!

    • Selma

      É verdade, o ZRG não teve coragem de por a Daroit e vendo a Sheilla e a Jaque não jogando bem, ficou indeciso entre colocar a Mari no lugar da Sheilla ou Jaque, deu para perceber em determinado momento do jgo que ele chamou a Mari e ela ficou um bom tempo no banco aguardando, na minha opinião ele estava decidindo. agora se tivesse levado a Tandara, as opções no banco seriam melhores.

  • Luiz

    sei não. Todo mundo quebrando a cabeça aqui, e os caras da seleção rindo e brincando no embarque para o Brasil. Tem fotos deles todos na maior galhofada.

    • Paula

      Onde estão essas fotos Luiz? Você tem o link?

MaisRecentes

Semana positiva das Seleções adultas



Continue Lendo

Coluna: O polêmico teste na regra do vôlei



Continue Lendo

Vaivém: Mais estrangeiras na Superliga?



Continue Lendo