Não foi dia do Brasil



Sabe aquele dia que uma nuvenzinha parece acompanhar seu dia fazendo tudo dar errado? Você dorme mal, o despertador não toca na hora certa, pisa num buraco na correria até o trabalho, leva esporro do chefe, esquece o carregador do celular em casa, abre a carteira e percebe que está sem dinheiro? Tudo isso junto acontece raramente, né? Pois é. Infelizmente o dia ruim da Seleção Brasileira feminina aconteceu na semifinal do Mundial, neste sábado, contra os Estados Unidos.

O incontestável 3 a 0 americano diante do até então único invicto aconteceu e o sonho do inédito título mundial, que parecia maduro, foi adiado para 2018. E é possível explicá-lo por uma lista de coisas que não deram certo para o Brasil. E  outra lista de coisas que funcionaram perfeitamente do lado americano, admita-se.

O QUE DEU ERRADO

– O Brasil entrou mais tenso do que o normal na semifinal. E pagou caro por isso.

– O passe oscilou demais e tirou de Dani Lins, em grande parte do jogo, as bolas pelo meio com Fabiana e Thaisa. Mortal!

– Sabe aquele erro que vale mais do que outros? Então. O Brasil teve alguns. Jaqueline teve a bola no ataque para fechar o segundo set e desperdiçou. O terceiro set começou a desandar após Fabiana erra uma bola de xeque na rede.

– O saque não incomodou como deveria a linha de passe americana.

– A defesa, grande arma em outros jogos, não apareceu com eficiência na partida.

– A arbitragem errou bastante. Em momentos-chave que desestabilizaram o Brasil, é verdade. Mas não dá para colocar a derrota na conta dos juízes, que também falharam a favor do Brasil. O que aconteceu foi as jogadoras perderem o equilíbrio após os erros.

– A virada americana no segundo set foi o momento psicológico da partida.

– As mexidas de Zé Roberto, desta vez, não funcionaram como em outras ocasiões.

O QUE DEU CERTO PARA OS EUA

– Hill desequilibrou no ataque.

– Glass tirou da cartola bolas mágicas.

– O volume de jogo permitiu vários contra-ataques, que quase sempre foram aproveitados.

– As inversões de 5-1 funcionaram sempre. Mérito de Kiraly.

– O time todo jogou leve, sem ter apagões durante o jogo. Psicológico nota 10.

Por fim, é bom deixar claro. As americanas jogaram MUITO e mereceram a vitória. Esporte é assim.



  • luis

    E eu achei que as brasileiras iam entrar matando entraram mortas! Que Decepçao……

    • Roberto

      Pois é cara, eu não consegui nem me ajeitar direito no sofá e o jogo já tinha acabado, passaram o rodo sem dó, agora vamos ver o que sobra da xepa.

  • Saul Siffredi

    Estados Unidos deixaram o “pior” para a semifinal…

  • Rodrigo Coimbra

    Foi o que eu disse, tudo se espera das americanas, desde um jogo espetacular a um jogo ridículo. Reforçando também que eu disse que o jogo seria decidido nas pontas, e nesse quesito Larson e Hill deram um banho em Garay e Jaque, a Sheilla jogou muito, chamou a responsabilidade mas… Murphy em evolução ainda dará muito trabalho principalmente em 2016 assim como Kimberly Hill, anularam nossa referência (Thaisa e Fabiana) e Akirandew e Harmotto deitaram e rolaram, e o que falar da Alisha Glass? Deu um banho na Dani, infelizmente. Camila foi a melhor do lado do Brasil ao lado da Sheilla.
    Agora como eu disse ontem e no começo do post, tudo se espera das americanas, e nessa final não será diferente, onde são mais que favoritas, sem menosprezar a força da torcida italiana que pode desequilibrar amanhã (contando com o triunfo da Itália sobre a China).

    • Marcelo

      Rodrigo, a Garay nem tanto, vejam as estatísticas:
      a) Hill: Ataque 48%; Recepção: 43,48% X Garay: 54,55%; 77,27%
      b) Larsson: Ataque 59,09%; Recepção 65,22% X JAQUELINE: 20% (3/15); 62,50%.

      Assistam novamente o jogo e vejam como o Kyrali acabou com a festa de atacar em cima da levantadora. Era sempre inversão do 5X1. Foi estudo técnico e Alisha Glass com bola veloz que as brasileiras não sabem mais bloquear.

      • Rodrigo Coimbra

        As vezes estatísticas não valem nada, a Thaisa era a melhor bloqueadora e nada fez.
        Nas horas de aperto quem pensou que a Murphy e até mesmo a Larson chamaria a responsabilidade, enganaram-se, a Kimberly Hill que virou e foi a melhor jogadora em quadra com a sua chutadinha na ponta que o Brasil não conseguiu bloquear.
        Enfim… americanas deram um banho nas brasileiras, infelizmente. Principalmente por conta da Sheilla, merecia muito, assim como Mari e PP tbm mereciam!

  • aline

    Dificil,muito dificil,DIficilimo torcer p/volei feminino ! O psicologico fala mais alto q qquer outra coisa!
    Num post de ontem escrevi q o volei feminino vive uma enorme carencia na posicao de levantadora.
    Escrevi q Dani Lins eh uma boa levantadora,mas nao e craque de bola,e apenas esforcada!
    Escrevi q das craques q ja vi jogar num mesmo Mundial so restou Lo Bianco, Fofao e Takeshita deixaram as selecoes…
    Fofao foi a comentarista convidada do Sportv, se tivesse dentro de quadra, talvez o destino brasileiro pudesse ser outro.
    Fofao ja provou varias vezes na Unilever q sabe jogar com passe B. Pois sabemos q na Unilever temos passes B, C, D… e ate Z.
    O passe do Brasil hoje nao estava perfeito,mas tambem nao estava tao ruim assim.
    Uma levantadora para ser craque nao pode ser covarde de arriscar com passe B!
    Um dos grandes diferenciais do ataque brasileiro sao nossas Torres Gemeas,Fabiana e Thaisa.
    Hoje, nossas Torres Gemeas praticamente nao foram acionadas por inseguranca da levantadora.
    Nao podemos deixar Fabiana e Thaisa fora do ataque numa semifinal!
    E qdo se levanta pras centrais nao pode ser jacas!
    Por essas e outras, Dani Lins e Lo Bianco sao boas levantadoras, a diferenca e q Dani e esforcada e Lo Bianco craque de bola!!!

    • Cadê o meio do Brasil?

      Aline, não sei se te informar se a Dani Lins é craque ou não. O q

      • MEU PONTO DE VISTA

        Aline, não sei se te informar se a Dani Lins é craque ou não. O que eu posso te dizer hoje é que neste jogo ela foi mal, principalmente no segundo set que foi o diferencial do jogo. No primeiro set acho que ela não foi a culpada, porque o passe estava ruim. No segundo set o passe estava bom e ela não foi lúcida nas escolhas. Eu vi a Dani Lins oscilar muito neste campeonato. Não era a Dani Lins de Londres e até a ultima Superliga. Eu vi a Dani Lins de antigamente.
        Outra que não esteve bem foi a Garay. Cadê a Garay dos últimos 2 anos? Ela só sabe bater diagonal, está manjado. Depois de Londres ela se tornou uma jogadora mais estudada e toda comunidade do vôlei sabe que ela só bate na diagonal.
        Jaqueline esteve muito bem neste mundial no ataque, principalmente por não ter atuado na última temporada. Agora é nítido que o tempo inativo acabou prejudicando seu rendimento no passe e defesa. E a pergunta que não quer calar. Será que ela vai ficar mais uma temporada parada?Sim. Vai ficar mais uma temporada inativa. O foco dela não é mais a carreira de atleta e sim a vida de mulher do lar.
        Camila Brait que fez um mundial fantástico até ontem, hoje foi péssima. Conforme gosto de falar, hoje ela “peidou na farofa”. Hoje ela foi a Brait, reserva da Fabi. Sem personalidade, sem liderança e apática. Se omitiu do jogo, não defendeu e nem passou bem.
        E a Fabiana hoje? Ela não bloqueou nada. Não acertava uma china e insistia com essa bola. A capitã do Brasil hoje sentiu o jogo e não e comportou como capitã.
        A Sheila hoje que começou a ser aquela Sheila, virando bola, não foi acionada mais vezes pela Dani Lins. Vai entender.
        Hoje era jogo pra ter sacado apenas a Dani Lins depois do primeiro set e o Zé Roberto não fez. Foi muito conservador e ficou perdido em quadra. Sabia que tinha que mudar todo o time, mais não teve coragem de tirar o time todo pra ver o que dava. Assim como na final olímpica, não temos banco a altura dos titulares.
        Mais temos que reconhecer que as americanas foram superiores taticamente e tecnicamente.

        • Felipe

          Culpa do técnico José Roberto Guimarães e da Levantadora #Pani Lins!

        • Paulo

          Em situações como as que se apresentaram no jogo, se o técnico demora a mexer dificilmente o jogo muda. Acho que esse foi o principal erro do Zé nesse jogo. A posição dele não era de confiança em todo elenco? Mas a SFV só jogou bola na partida conta a China, em todos os outros jogos, embora tiveram destaques individuais, o jogo coletivo foi muito abaixo do que o Brasil costuma produzir. Enquanto pegou seleções com nível mais baixo tava dando certo, mas os USA são a seleção que mais estuda o jogo do Brasil e sempre tiveram um padrão de jogo parecido com o nosso. E deu no que deu. Uma pena! Fiquei triste.
          Agora, quando é que a SFV vai se acostumar a ser favorita em grandes competições? A única competição que entrou como principal favorita e levou foi Pequim, o resto sempre amarela.

          • Rogerio Andrade

            Hein? Como assim sempre amarela? Elas detém atualmente os títulos Olímpico, Panamericano, Grand Prix e Grand Champions Cup. São quatro títulos nos últimos 05 grandes torneios. Acho que você deveria acompanhar mais o esporte e se informar mais antes de fazer uma crítica sem embasamento. A julgar pela quase absoluta falta de incentivo e desprezo quase que total da mídia esportiva desse país, o que elas alcançaram – e continuam alcançando – é digno de honra. Tiveram um dia ruim, mas nós não temos absolutamente nada o que cobrar ou exigir delas, não enquanto o esporte não tiver um incentivo digno nesse país.

  • Rafael

    Antes de mais nada, parabéns ao time americano! Fez uma partida perfeita taticamente.
    Resta agora as meninas brasileiras juntar os cacos e lutar bravamente pela medalha de bronze.
    Fiquei com uma dó imensa da Sheilinha. Deu vontade de dar um forte abraço nela durante a entrevista, mas fazer o quê? Hoje o time adversário jogou melhor!
    Esperando agora as capivaras podres detonarem as jogadoras e a comissão técnica! Tenho certeza de que para cada 10 posts, 9 serão para ofender essas guerreiras, que se sacrificam para representar esse país sem cultura alguma esportiva!
    Já me antecipando: a seleção de vôlei masculina e feminina não merecem a “torcida” brasileira.
    Força Meninas! Estou com vocês em todos os momentos!!!

    • Bruflain

      Falou tudo!!

      • Salgueiro

        Concordo em gênero, número e grau.

    • Rogerio Andrade

      Comentário perfeito, Rafael

  • Paula Cerqueira

    A grande diferença no jogo foram as ponteiras. Enquanto Hill e Larson foram muito bem no passe e viraram tudo no ataque. As pontas brasileiras foram vulneráveis no passe e erraram d+.
    Aí Glass deu seu show, enquanto Dani Lins ñ tinha muito o q fazer.

    p.s. A entrada de Natália para “ajustar” o passe foi uma piada de mau gosto do Zé Roberto. A pior passadora do Brasil.

  • Luiz

    Vou imitar você agora, DaniBoy:

    O Mundial inédito went downHILL (foi ladeira abaixo) kkkkkkkkkkkkkkkk

    EU AVISEI NO FINAL DAS OLIMPÍADAS DE LONDRES QUE armar um time mais baixo pra jogar o tempo inteiro com passe na mão é MUITO ARRISCADO. Tudo bem, o passe na mão é pra armar o time pra jogar com as centrais, mas é ARROGÂNCIA demais achar que um dia um time não vai fazer um saque diferente ou pelo menos se adequar a esta situação. MUITA ARROGÂNCIA.

    E por falar em arrogância, Jaqueline disse que seria campeã no do Domingo, kkkkkkkkkk só se for campeão do título de JaqueTOCO que ela voltou a ser. E espero que o bandeirinha italiano denuncie esta jogadora NOJENTA por ter jogado a bola nele de raiva. Se Vale para o Timtim da Rússia, vale pra ela também.

    Meu Deus! Time sem passe tem que ter viradora de bola, foi assim que vencemos em Pequim (Mari e Paula). Se o time é armado pra jogar com centrais, então o que fazer quando o passe não funciona? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Alicia Glass, sua danada, andou estudando a dupla veloz Ricardinho x André Nascimento???? Parece que sim….. muito estranho isso. ADOREI

    • Bruflain

      Que comentario ridiculo! ! Quanta ignorancia num único post.

      • Luiz

        ahammm… e eu ligando muito. kkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Afonso RJ

      Jurei para mim mesmo nunca mais responder a um babaca só para não dar cartaz a quem não merece. Mas dessa vez não resisti.
      Adora descontar a própria frustração nos outros. Adora quando alguém é derrotado e não suporta ver o sucesso de ninguém. Deve ser realmente triste ser uma pessoa assim. Simplesmente tenho PENA …

      • Luiz

        Pena de você triste porque um bando de jogadoras arrogantes perderam um jogo. Vai dormir, sua tonta. Aposto que vai passar sábado a noite em casa, SOZINHA…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        • marcian

          Esse Luiz é destruidora mesmo.

    • Juliano

      Apesar do tom debochado, concordo com o que disse.

      É muita prepotência confiar só no jogo das centrais. É a mesma prepotência que ferrou o Brasil no masculino, que dependia muito do Sidão e do Lucão. Na final contra a Polônia, não teve passe, e aí como ficou? Aquele show de tocos, que tirou aquela abertura de três pontos do Brasil no quarto set.

      Nossas centrais são fabulosas, mas sem pontas que viram na hora do aperto não dá para jogar partidas em que os nervos atrapalham a qualidade do passe.

      ZR tentou a Natália. Mas esta não jogou sequer o Grand Prix. Não adianta nada contar com a experiência de banco (como que se conseguirá dar confiança para a jogadora?). A menina quina, como qualquer jogadora que geralmente vira na pancada, mas se não jogar contra as demais seleções não vai melhorar. Natália é a Kosheleva do Brasil. Mas tem que jogar, mesmo que para isto o Brasil perca algum Grand Prix, Montreux e competições “menores”. O que importa é o mundial e as olimpíadas, o resto é tudo preparação, a bem da verdade. Sorte do ZR que Natália voltará ao RJ, então que os adversários se preparem, considerando que ela capenga venceu, em final de Superliga, as intocáveis Sheila, Jaqueline e Thaísa. Agora fisicamente bem, e com a ajuda psicológica e técnica do Bernadinho e sua comissão, Natália volta.

      Das que vc citou, talvez a única que esteja bem para Rio seja a Mari. Tínhamos a Pri Daroit, mas esta caiu muito de rendimento, assim como a Paula. Porém, Pri é nova, então pode se recuperar, ainda mais que Dani Lins não estará no Sesi, de modo que o time precisará muito das ponteiras.

      • Rafael Takeshi

        Aff comparar Natalia com Kosheleva pelo amor em… Kosheleva é uma atacante mtooo melhor, leva um time nas costas… A Época da Natália ficou pra trás, ela foi a famosa eterna promessa…

      • Luiz

        Deus me livreeeeeeeeeeeeeeeeeeeee. Quero a Mari BEMMMMMMM longe da seleção. De nada vale agora jogar Grand Prix. Por mim, ela iria para a praia vencer o outro – porque na quadra não vai dar mesmo, é Rússia campeã no Maracanãzinho, já até sonhei com isso -, depois ai sim volta pra quadra pra jogar o mundial de 2018, ela vai estar com 34 anos. Ainda da caldo.

    • Sou Mais Brasil

      Clame mesmo por Deus! Vc ta precisando e muito.. !!! Quanta ignorância, qtas bobagens, qta inveja, qto clubismo, Qto “Marismo”, qto “Paulismo”.. Qta falta de educação!!!
      #aindaexistegenteassim!!!

      E é claro que vc nao vai ligar pra nada mesmo… E é claro tbm que vais continuar dizendo as mesmas asneiras… Ser humano, (se é que posso chamá-lo assim), retrógrado, comentário sem fundamento, inútil, deve ter estacionado na vida e consequentemente na forma de pensar. Limitado(Percebe-se no texto acima). Indigente, pobre de espírito, desprezível, ignóbil… E tantos outros adjetivos pífios que vc se enquadraria, mas que nao vou nem me dá ao trabalho. Voce é digno de pena e oração!

      Uffff
      Desabafei!

      #poucoderevolta
      #acaboudepassar
      #rs

      Agredir uma equipe vitoriosa como essa, que suou, batalhou até o último minuto de jogo, etc, etc..

      P.S. 1. Essa seleçao ai, já tem “alguns” títulos mundiais, inclusive o tal Olímpico.. E a grande e talentosíssima jogadora que vc citou, e que, acho eu, gostaria de ser ela, chamada Jaqueline, foi Top 10 nos fundamentos, recepão, defesa e ATAQUE!!! Voou nesse mundial e no Grand Prix. Outra, ela pode até nao ser nada pra vc(aliás, quem é voce???rs), mas é uma exímia atleta para o restante do Brasil E DO MUNDO. Focada e disciplinada. Que ja deu VÁRIAS VOLTAS POR CIMA NA VIDA, várias alegrias ao verdadeiro torcedor de volei brasileiro, juntamente com todo o restante do grupo, e que acabara de rejeitar US$500 mil, de “uma das” maiores potencias do voleibol mundial.

      P.S. 2. Só Fofão sabe o qto sofreu com passes X, Y, Z, nessa geraçao tbm campeã, diga-se de passagem, que vc tanto idolatra!!! Mas que nao nada a ver, e que tbm merece o reconhecimento e os nossos parabéns!
      E que TBM nao foram campeãs mundiais. #sópraconstar

      Chaga..
      Vai dormir, criançinha. Tem muito o que aprender ainda!!! Inocente..

      • Luiz

        kkkkkkkk

        defendendo a seleção….

        Por isso que deve estar sem namorado. Sai da frente da tv, desgraça! Vai namorar… kkkkkkkkkk

        nojenta igual a JaqueTOKO. Bem da sua laia mesmo. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Eu to shitting pra você, amor! Bye.

    • Rogerio Andrade

      Aham. Por que não se oferece pra ser técnico então, espertão?

  • Eraldo

    Estou chateado porque parecia que ganhar este mundial era uma questão de tempo e esta geração merecia demais. Mas era dia das americanas. Nada deu certo. Em outro blog ja começaram os comentarios pejorativos. Acho que nao é por ai. Temos de aprender a valorizar o processo. E nao apenas o resultado. E que o Brasil consiga a medalha de bronze qua também tem grande valor.

  • Leo

    Gente que triste….esperava mais do Brasil. Perder sem ganhar um set sequer…o passe tava horrivel hj. Thaisa e Fabiana quase nao jogaram. Jaque errou tudo…Sheilla foi a que jogou melhor. To muito triste mesmo. Droga.

  • Roberto

    Sabe essa nuvenzinha tem um nome e chama-se: EUA. Chau. Daniel, quanto é que vale o Bronze porque os 4,5 milhões foi pra cucuia.

  • Juliano

    Não adianta tampar o sol com a peneira. O Brasil durante o campeonato inteiro oscilou.

    Sofreu para ganhar da Holanda, da Sérvia, da Turquia (esta então), da Rússia etc.

    O único jogo razoável foram dois: das nossas reservas contra as reservas americanas; das titulares contra as chinesas.

    O passe sempre com alguns problemas, Dani Lins imprecisa (“pane lins” de volta), Sheila sem bolas, meio fundo inexistente etc. E lógico o que quase todo mundo abordou: falta de uma ponteira que virasse bola sem passe.

    É evidente que todo mundo esperava algo do Brasil mesmo com estas falhas. Mas a seleção norte-americana foi esperta. Assistiu aos jogos contra a Turquia e usou a mesma tática, sabia que o Brasil teria os mesmos problemas com as bolas nas pontas. Tinha hora que eu via a Sonsirma atacando, mas era a Hill mesmo. rs

    Não posso deixar de dizer que Sheila estava fenomenal nas bolas de meio fundo. É a bola dela. Mas a seleção só começou a utilizar agora e a estratégia não deu muito certo. Quem assistir aos jogos de 2013, verá que o Brasil praticamente atacava só meio fundo, e não entendi a mudança de jogo. Fica a lição e nos mostra que a Sheila precisa é de impulsão e velocidade para atacar, e estas bolas precisam ser mais usadas.

    ZR tentou quase tudo, só faltou tentar tirar a Jaqueline. A defesa não estava funcionando mesmo, e o Brasil já jogou sem ela em 2013, portanto tinha que arriscar.

    Sobre a Natália, o que me irrita é que todos sabem que ela quina. Ela é boa no ataque, tem potência. Nestas horas, se ela é alvo de saque, Jaqueline tem que deixar de ser tonta e receber no lugar da Natália para a colega virar. Mas não, toda bola para a Natália é esta mesmo que acabava recebendo. Jaqueline melhorou muito no ataque, isto é visível, mas ela está lá para o fundo, então não poderia deixar a Natália patinando daquele jeito. Ora, se ela fizesse isto, mais Tandara de oposto, haveriam pancadas que poderiam mudar a história do jogo.

    Poderíamos ter tido uma troca simples de levantadora para ver como fica o time. Fabíola jogou a temporada com a Sheila, poderia algo bom acontecer.

    Cansei de tantos “se”.

    As americanas foram melhores e usaram as nossas folhas óbvias: bolas de pontas a estilo Sonsirma do adversário e a falta de ponteiras que viram com passe ruim do nosso lado.

    Espero que a lição faça com que o ZR definitivamente mude sua visão. Na hora de que tudo na defesa falha, é momento de ponteiras que viram na marra, como Natália e Mari (não sei se esta última vira ainda). Para isto, não adianta a jogadora levar um ace e sair de quadra. Tem que fazer igual a Rússia, colocar Kosheleva na roda e esperar que ela ganhe confiança. Rússia foi eliminada, mas se tivesse uma Gamova em boa fase a história seria diferente, convenhamos. Mas para isto ela tem que jogar, não é entrando no pior momento da partida que resolverá.

    Boa sorte para as meninas. Imagine que a derrota deve ter sido muito ruim para a autoestima delas, principalmente Sheila, que tanto aspirava pelo ouro.

    Agora é bola para frente. Ganhar o bronze, e depois continuar o ciclo rumo às olimpíadas. Se sentiram a pressão agora, elas não sabem nem a matade do que está por vir no Rio.

    Que a comissão deixe de só focar nas nossas centrais (ainda que sejam as melhores), para que também desenvolva a jogadora de bolão alto quando tudo quinar. Natália estava sendo treinada na defesa, e vai ser treinada com o Bernadinho de novo, vejo grandes possibilidades no futuro. É arriscar e dar experiência.

  • marcian

    Sinceramente, não foi aquele “dia ruim”. Foi porque foram reflexo do que foram em uma boa parte da competição: oscilação. E os EUA se aproveitaram disso. Errar quando não deve. Largar quando devia atacar com força. Perder na hora errada. Passe instável, enfim…é preciso rever muitos conceitos. E mais 4 anos de tabu pro Brasil. O que resta é a medalha de bronze. Uma pena. E saldo negativo pra Sheilla, que não apareceu nos momentos decisivos desta vez. Saldo negativo pra Natália, que não fez a diferença. Saldo negativo pra Garay que não foi aquela de londres e nem de 2013. Saldo negativo pra Dani Lins, que se mostrou a velha Dani de 2010. Saldo positivo pra Jaque, mas todos sabemos que ele é referencia é no passe, no volume, não no ataque, ou seja, faltou Garay e Sheilla. Saldo positivo pras centrais, que hoje infelizmente, não puderam jogar tudo (seja pelo passe sofrível, ou pelo bom bloqueio dos EUA). Saldo positivo pra Brait, mostrou que é uma líbero a altura. Enfim, resta o bronze. Pela campanha das duas seleções, e pelo jogo de hoje, EUA mereceu estar na final. E soube ganhar na hora certa! Parabens as meninas do Brasil, apesar dos pesares.

  • Guilherme

    Espero que Mari faça uma excelente Superliga, já começou bem o Paulista, e volta à Seleção. E que em 2016 e no próximo mundial Sheilla e Mari, nem que só joguem as partidas decisivas. Natália… faz o que na seleção mesmo?

  • Adelson

    Não é a primeira nem a última vez que as equipes de vôlei americanas (masculina e feminina) “entregam” o jogo que não vale nada para depois surpreender. A primeira partida é para estudar nosso jogo, depois é isso.
    Quem viu as Olimpíadas de 1984 sabe do que digo.

  • Juju

    O Brasil foi engolido taticamente pelo EUA, a Dani foi excelente, quanto a ela arriscar com o passe B, no Sesi ela fazia muito isso, mas seleção é diferente se der errado o ZRG e o resto do país crucifica a pobre coitada. Agora se alguém souber o que faz a Natália na seleção me avisa, porque eu não consigo ver, não sou fã da gêmeas, mas acho que são mais jogadoras do que a Natália, pelo menos sabem passar e explorar bloqueio. O grande problema da seleção hoje são as ponteiras, a Garay é irregular no passe e as vezes é pouco inteligente no ataque, mas a Jaque, aquele jogo contra os EUA em Londres foi uma exceção, não tem como ponteira só virar bola rápida ou com bloqueio quebrado, ponteira tem que virar bola alta com bloqueio montado, esse negócio de fundo é besteira, pra isso que o líbero está lá. Gostaria de ver um outro treinador a frente da seleção, de preferência um estrangeiro. O grande problema hoje foi tático mesmo.

  • Edu

    Um campeonato se ganha nos detalhes.E eles fizeram a diferença.Zombaram da solicitação de uma respiração mais profunda do Kiraly nas pedidas de tempo como sua deficiência didática técnica.Na hora da decisão é que se pesa a inteligência emocional.Não existe lógica no esporte, um dos seus maiores fascínios.Existe a probabilidade técnica e ela se guia pela melhor estrutura de trabalho.Não e possível desmerecer a seleção:ela perdeu, infelizmente, quando não poderia falhar.No contexto geral talvez a Sheilla e a Garay tenha jogado uma partida razoável e até boa.Tandara e Fabíola entraram não comprometendo.Fiquei com a impressão, já no segundo set, que a inversão tinha muito mais consistência nas partida hoje e deveria permanecer mais tempo em quadra.Acho que algumas jogadoras não tiveram uma jornada particularmente feliz.A própria Foffão fazendo , por insistência do Sportv um apanágio a excelencia da Dani, numa partida fraca que a levantadora realizava, cometeu uma baita sandice.Ânimos mais serenos a as jogadoras foram francas ao reconhecer o estilo de jogo dos EUA que infelizmente casa, muito a favor delas na comparação de estilo de jogo,Na Olimpíada de Londres, não comparando momento e época, tínhamos um time inferior e lhes retiramos o título na final.Quando elas não poderiam errar.Hoje, figura por figura, tínhamos um time de jogadoras e campanha melhor e infelizmente falhamos.Essa é a natureza do esporte.Só abominei veementemente a tentativa de indução da justificativa de derrota pelo Sportv e sua reportagem a condução questionável da arbitragem em certos lances.A própria Sheila foi definitiva :”houve os desacertos mais nós estávamos seis pontos a frente e não garantimos essa vantagem”.Amanhã, depois da final e hora de considerações maiores sobre o futuro do trabalho da seleção brasileira.Por hora, melhor sorte.

  • Jairo(RJ)

    Em partida que nada valia, os americanos escondem o jogo. Lembro que entrevista após o jogo do Brasil x EUA na segunda fase desse campeonato, o técnico americano foi bem ironico quando perguntado sobre o favoritismo do Brasil e riu. E o Brasil como sempre cai na mesma armadilha. Lembra 1984 em parte. Quem estava lá? Kirally e seu técnico, que saíram campeões. 30 anos depois o jogador virou técnico e na sua comissão está o antigo técnico.

    Quanto ao Brasil, não tiveram a lucidez, controle de nervos e passe para mudar o panorama do jogo. Perdemos e temos que recomeçar o processo.

  • daniel

    Há que se respeitar jogadoras e comissão técnica, mas não é hora de passar a mão na cabeça de ninguém. Os EUA não tem time para vencer o Brasil dessa forma. Como um time experiente entra em quadra com a concentração necessária para atropelar a República Dominicana e no dia seguinte chega de salto alto em plena semifinal? Foi o maior mico que já pagamos em Mundiais.

  • Mário

    Enfim, uma seleção inteligente percebeu que pra ganhar do Brasil basta neutralizar as meios. Agora o mundo descobriu o caminho. Enquanto ainda, por aqui, supervalorizam as intocáveis atacantes de composição: a Toco, que não cruzou mais com levantadora, foi caçada na recepção e voltou ao normal, e a oposta, insubstituível que só decidiu num jogo das Olimpíadas e vive tratada como a última bolacha do pacote. Aliás, esta derrota de hoje deve ser culpa da Mari, né? Que fez 37 pontos numa partida e saiu crucificada. Enquanto a Toco fez 3, errou a principal bola, e a senhora Blassioli, que assumiu a partida e fez a diferença! rárárá. Parabéns Estados Unidos!!!

  • Mari

    O Brasil jogou muito mal hj.
    Perdeu quando não devia.
    Uma pena.
    Nada deu certo.
    Agora é juntar os caquinhos e tentar o bronze amanhã.
    Eu ainda confio muito na seleção e não adianta nada a gente ficar falando mal das atletas agora.
    Força Brasil!!
    Força meninas!!!

  • Thiago

    Daniel, gostaria muito de sua opinião ou de outra pessoa aqui no blog pois a galera aqui entende, sobre uma dúvida que fiquei durante o jogo e ainda está martelando na minha cabeça. Claro que nada justifica a derrota, mas a estratégia de saque do Brasil não foi totalmente errada? Lembrando, o Brasil foi campeão olímpico em Londres justamente quando tirou o saque da Larson, que acelera muito o passe e facilita o estilo veloz de jogo americano? Ok que a líbero não é mais a Davis e a Banwarth passa muito bem também dentro da filosofia de jogo americano… Porque então não bombardear a Hill que estava virando todas, para tentar tirar a confiança dela? Mesmo ela acertando alguns passes, pois também passa um pouco bem, ela é jovem e não é craque como a Larson (que mesmo voltando de lesão e sendo poupada em alguns jogos, até Londres o Brasil não ganhava dos EUA pois insistia em sacar nela). Sei que depois da derrota é fácil apontar defeitos e não é sobre isso que quero comentar, mas analisando a estratégia pré jogo, não seria o mais óbvio forçar o saque o tempo todo na Hill? Pq não adianta culpar a Dani Lins, pq foi a menos culpada

  • Lilika

    Que pena….times norte americanos são encardidos mesmo…parabéns para elas, parece que guardaram o melhor para hoje…Brasil merecia mais…e EUA jogou mais…fazer o que. Abs.

  • Alex Lima

    O jogo é jogado e o lambari é pescado… Infelizmente não foi dessa vez (novamente)!!!
    Nem no masculino e muito menos no feminino.

    Parabéns aos jogadores das seleções, mas é hora de rever algumas coisinhas!!!

    • Bernardo

      Fala isso pra CBV, que não se importa com o futuro do volei brasileiro.

  • Guilherme

    Os puxa-sacos Marcos de Freitas, Nalbert, Carlão e outros que parecem empresários de Sheilla, passam campeonato todo defendendo a permanência da intocável “Sheillinha”, dizendo que se trata de uma jogadora técnica, especial, essencial, que cresce e aparece nos momentos decisivos, importantes e na hora certa. Que é a melhor, mais eficiente e mais inteligente oposta do mundo. Tá bom, têm toda a razão. Só que não! Passou. Mudem o discurso, caras. Não somos mais bobos e o mundo inteiro neste mundial sabe que vocês fazem um discursinho besta e ufanista. Coitado do time que a contratou por salário milionário…vão levar um fusquinha achando que teriam uma ferrari!

    • Rodrigo Coimbra

      Discordo de vc!!!! Não sou fã da Sheilla e muito menos da Mari, mas sim da Paula Pequeno.
      A Sheilla foi uma das melhores em quadra, senão a melhor! Virou muitas bolas importantes, inclusive na pype… jogou só no 1*set. Quem infelizmente decepcionou foi a Jaque (no passe e volume pq o ataque não é e nem será seu forte, ela está ali para fazer as demais jogarem) e Garay (no ataque).

      • Mario

        Eu concordo plenamente, Guilherme. Se esta oposto fosse o que dizem, ela teria chamado o jogo, pedido bola, pontuado, tirado o time do sufoco – já que as meios estavam minadas pela inteligência da equipe norte-americana. Agora falarem: ah, tadinha da Sheilla…ela que não recebeu bola…etc e tal! Que é isso? A jogadora diferenciada, excepcional, teve hoje a oportunidade de botar em prática a imagem teórica que constroem dela. E não fez, porque não é nada disso. Que o digam a Zhu, a Kim, a Hill, a nova oposto da Turquia, de apenas 19 anos. Pelamor, gente, menos, muito menos nessa defesa intransigente e apaixonada desta jogadora. Ela pode ter sido. Mas não é mais…e há um bom tempo. Ponto.

  • Patricia

    Infelizmente perdemos, nem sempre se pode ganhar tudo. A nossa seleção já está muito estudada e não apresenta nada de novo. Só espero que o Zé Roberto mude os seus critérios de convocação, em 2013/2014 ele convocou jogadoras que se destacaram na SL, mas para o nível internacional não funcionam, assim, acho que ele deveria colocar o time reserva completando com as jogadoras jovens e altas até 23/24 anos para jogar os próximos torneios como Montreaux e GP2015, porque precisamos de novas jogadoras urgentemente, tem que dar chance pra todas que principalmente tenham potencial independente se estão ou não se destacando na SL. Um título a menos nesses torneios menores não farão falta pra nossa seleção. Pessoalmente prefiro mil vezes ser tricampeã olímpica aqui em casa e se não mudarmos um pouco, apresentarmos algo diferente… pode ser muito mais triste em 2016 e isso não quero nem pensar…

  • LEONARDO DELGADO

    decepção.essa palavra resume o jogo de hoje. temos um excelente time que vai brigar pelo tri olímpico más vamos ficar mais 04 anos sem a chance de ganhar um mundial.temos que aprender com esta dolorida derrota.

  • Queline

    Se não ganhou esse não ganha mais pos esse campeonato o nivel ta muito baixo diferente do masculino Bernardinho e mestre tira leite de pedra.

  • Caco

    Que tristeza! O Brasil teve um ótimo Mundial de novo e acabou perdendo.
    Acho que o time não merece isso. Esse time merece o ouro. É a melhor equipe dentre todas as outras nos últimos anos.
    Fica um gosto amargo da derrota.
    Hoje, os EUA foram melhor e acabaram vencendo.
    A única coisa que me alenta é o fato de termos perdido os três últimos mundiais, mas vencido as duas últimas Olimpíadas. Tenho certeza de que o nosso time continuará a nos surpreender e virá forte em 2016 para igualar Cuba.
    Não sei quanto a vocês, mas para mim esse time é e sempre será um campeão!

    • Daniel_Sam

      Pra mim tbm.

    • Rogerio Andrade

      Ganhamos também o último Panamericano (que sempre é complicado de vencer, especialmente contra Cuba) o último Grand Prix e a última Grand Champions Cup. ´Realmente foi chato não conseguirmos mais uma vez o mundial, apesar da boa campanha nas duas primeiras fases, mas o vôlei feminino ainda vai trazer títulos importantes. Ano que vem tem a Copa do Mundo, outro grande título inédito. Quem sabe dessa vez não virá definitivamente para o Brasil ?

  • Euripedes Jr.

    O contra ataque americano funcionou , infelizmente não aproveitamos as oportunidades que apareceram para concluir o ponto , a velocidade pelas pontas , o bloqueio adversário foi cirúrgico mesmo com poucos pontos mas nos momentos certos e a inversão de 5×1 americana não comprometeu e a nossa a Tandara até que tentava virar mas a defesa americana bem postada . Agora tem a Itália na disputa do bronze que está jogando com o coração e se a nossa equipe não tiver o foco podemos ficar de fora do pódio . A comissão técnica americana soube mudar bem e enquanto a nossa ficou na superstição de um bom saque da Gabi e outras mexidas , no momento que tirou a Garay deveria ter vindo com a Gabi do que a Nathália . Agora é recuperar e esperar a próxima oportunidade .

  • Gonçalo E. Vale

    Este foi um campeonato da resistência física, os times mais jovens foram as finais, EUA e China. Renovaram a dois, três anos e agora estão colhendo frutos. Não entendi até agora porque Zé Roberto após ganhar o 1º sete contra a R. Dominicana, manteve o time titular ainda. Hoje o time estava lento, parecia cansado. Para a olimpíada espero que ele reveja certos conceitos. Nossas meninas estão muinto marcadas e estudadas.

  • moura Br

    O Zé Roberto tirar a Garay, que tava entregando na mão o passe e salvando no ataque, pra colocar a Natália foi o ponto alto pra mim. Ele não viu que quem tinha que dar um tempo era a Jaque e quem deveria entrar era a Gabi. No fim, elas brigaram muito, mas não mera o nosso dia! Bola pra frente!

  • moura Br

    Também acho que a Carol podia ter entrado no lugar das duas centrais, nosso bloqueio estava lento e ela podia botar velocidade pra chegar na chutada da ponta.

  • Euri

    A verdade é que foi um baile tático e técnico dos EUA. O técnico americano estava sempre mudando o time, fazendo uma substituição ou outra. E o ZRG mantendo o jeito dele teimoso de não querer mudar o time. Ele deveria ter feito alguma alteração para melhorar o passe já no primeiro set, mas ficou parado vendo tudo se perder. Ele deveria ter feito alguma coisa pra melhorar o meio de rede, nem que fosse substituindo a Thaisa ou a Fabiana, que não estavam atacando bem e nem bloqueando. A inversão do 5×1 demorou pra acontecer e não foi muito eficiente porque a Tandara não estava melhor que a Sheila. Ele deveria ter experimentado tirar a Dani, mantendo a Sheila, mas como sempre ele mantem o princípio de ganhar ou perder com as “escolhida” dele. O mais triste é que, ao contrário do masculino, o feminino tem um banco com capacidade de mudar o jogo se for bem utilizado.

  • Roberto

    Me chamou a atenção a desolação do excelentíssimo presidente da FIVB ao final da partida, contrastando o sorrisinho irônico do mesmo quando da final na polônia, sem mais, foi bem feito para que o Brasil comece a rever alguns pontos como oposta e também outra ponteira. Se nada for feito, a coisa tende só a piorar.

    • CCCP

      Impagável realmente. A vingança veio a cavalo! Tanto pra ele, quanto para para seu “personal” blogueiro…

  • Rafael Takeshi

    As brasileiras ainda estão procurando as bolas da Glass kkkkkkkkkkkkkk será que já acharam? EUA ACABARAM com elas, simplesmente sambaram na cara delas. Finalmente quando a Sheila chega na Itália a Jaque sai de férias… A Fabiana parecia uma barata tonta na rede hauahuahahuahauaha tadinha hj não foi o dia dela… Hj só a Brait e mais ou menos a Garay jogaram bem… Mtos erros, além de erros básicos e primários…

    Embora a Sheilla tenha jogado bem no fundo, fica complicado vc jogar quando se tem uma oposta não sabe bater bola de entrada e saída de rede, o jogo fica marcado na ponteira da rede, além disso se o passe não sai ai já era, pois se tem apenas uma jogadora que pode atacar na entrada ou saída…

    No final das contas essa coisa de experiência é balela de perdedor, quem nasce pra vencer, vence e pronto e acabou, isso é bem típico no Brasil, dai o cara envelhece e não ganha nada, exemplo disso é a Natália que piora a cada ano, a eterna promessa, espero que com a Gabi seja diferente.

    Mas fizeram um bom campeonato, agora é torcer nas olimpíadas, e deixar torneios que não são importantes como o Grand Prix pra treinar novas jogadoras, por que em breve as nossas grandes jogadoras vão parar de jogar…

  • Alex Lima

    Na real… Os mundiais, tanto feminino qnd masculino, mostraram que precisamos rever questões de táticas e treinamento. O volei nos dia de hoje está nivelado e ganha quem tem carta na manga. Vence quem consegue estruturar, reestruturar e rever estratégias. O problema maior dos nossos técnicos está nas filosofias ultrapassadas. Foram e são grandes técnicos, mas precisam rever seus conceitos sobre o novo volei. Estamos levando verdadeiros bailes estratégicos dos adversários!!!!

  • Felipe

    Por favor bola de contra ataque senta a pancada, NÃO LARGA!!!!

    • Mari

      Disse tudo Felipe!!
      Que ódio da Fê Garay ontem!!
      Na hora de soltar pancada ela largava!!
      Na mudança, ao invés da Natalia eu colocaria a Tandara pq pelo menos teríamos ela e a Sheilla na rede e poderia ser diferente, quem sabe?
      Pro próximo ano eu espero q ele descanse a Sheilla, Fabiana, Jaqueline e a Garay e coloque a Gabi, Carol, Bia, convoque a Pri Daroit de volta, Mari, Rosamaria, e provavelmente com a Natalia jogando com o Bernardinho de novo possa voltar em grande forma. Outra coisa, eu ando pensando e acho q o Zé poderia tentar transformar a Thaisa em oposta, o que vcs acham?

  • Marcio T.

    Não sou anti Brasil, muito longe disso, torço e muito para todos os esportes, voley especialmente. Mas ontem quando eu li os post sobre o favoritismo do Brasil, me preocupou e muito. Todos achando que a final seria Brasil e Itália e nem no que deu. Esporte é assim só se ganha quando entra em quadra, não se ganha de véspera, o restropectro não vale nada. EUA sempre aprontam dessas. Fica a lição do esporte. Não se pode pensar do adversário do dia seguinte!!! Fica para o próximo ciclo!!!

  • Bryant

    Here are my two cents:

    1. I always think USA is the strongest opponent of Brazil. If there is one team who can beat Brazil in this tournament, it will be USA. Today Brazil played its worst game while USA played its best game, so here we have this result. Actually Brazil’s performance in WCH was not consistent and convincing in the first two rounds, in sweaty games vs Turkey (Jacque’s reception was horrible there), Serbia, Netherlands, Russia and so on. Brazil had hard time to keep the lead at times, like what happened in the 2nd set today. Brazil is still the strongest team in my opinion, but in a tournament where one game decides, this kind of blackout does happen……

    2. I think FIVB needs to change the schedule, and gives one day off before semi-final. Today both teams with one day off won and it was NOT coincident. The two teams lost were heavy favorites for the matches. Go figure.

    3. Today’s game – Ze’s substitutions were totally wrong. I have no clue why in the world he would take out the two best players on court (i.e., Sheilla and Garay) in the 2nd set, and leaving the worst on court. In my humble opinion, he should take out Jacque, Dani Lins, and Fabiana, and put Gabi, Fabiola and Carol and see what happens. Jacque and Dani were by far the worst today, Fabiana didn’t do a thing either, and Sheilla and Garay were the best Brazilian players. Dani Lins had been underperforming in quite a number of games in the first two rounds, and today she was totally outplayed by Glass, although I admit partly due to Brazil’s poor reception today.

    • logan

      O problema em tirar a Jaqueline é o prejuízo ainda maior na recepção. Nenhuma ponteira reserva tem a característica de atacar bolas altas como consequência de um passe ruim. Gabi é jogadora de bolas rápidas e Natália não joga bem há muito tempo. O Zé poderia colocar Tandara como ponteira e tirar ela do passe (como o técnico italiano fez e como o próprio Zé fazia no time que ele dirigia, o Amil Vôlei), mas faltou-lhe culhão.

      A Fabiana não jogou bem, mas Carol é uma meio de rede de 1,84m (pequena para a posição). Ela fez um jogo razoável apenas na partida entre reservas entre Brasil e USA. Carol não tem o mesmo nível técnico da Fabiana ou da Thaisa. Ao passo que a Fabiana é uma jogadora capaz de entrar no jogo e desequilibrar a qualquer momento.

      E se você acompanhasse a seleção brasileira, perceberia que as substituições realizadas são exatamente as mesmas que o ZRG realiza em qualquer jogo. É uma estratégia engessada e burocrática. Pegue o histórico dele: o Zé raramente faz uma substituição simples de levantadoras ou de opostas. Ele prefere mexer nas ponteiras, mesmo que a culpa do mal desempenho não seja delas, colocar uma ponteira para sacar no lugar da meio (mesmo que essa meio tenha um saque que surta efeito) ou inverte o 5/1. É sempre igual!

      Agora eu concordo contigo quanto à tabela de jogos. Itália e Brasil foram prejudicados. Mas também nada justifica o fato do ZRG ter colocado o time titular para jogar contra a República Dominicana quando já estava classificado. E daí se perdesse o jogo e ficasse em segundo? O Kiraly teria esse pensamento, mas o ZRG coloca jogadora titular até para jogar torneio de Montreaux!

      A Itália fez isso depois que garantiu o primeiro lugar contra a Russia. A Itália perdeu hoje, mas era uma equipe que tinha ido mais longe do que o mais otimista imaginava para aquela seleção. E se você for analisar bem, o jogo da Itália com a China foi bem mais parelho do que o jogo do Brasil com EUA.

      • Bryant

        Well, Ze never did that doesn’t mean what he did today was right. When the game was starting to slip away, he should try something different to see if it works. Carol is short and no way to replace the twin towers, yes, but it doesn’t mean she couldn’t make a difference in a particular game, just to look at what she and Gabi did in the GP game vs Turkey. Today’s game Garay was way better than Jacque in both ends, and he took out her??? Hello?? The reason they were losing was certain players performing way below their normal level, so he needs to take out the underperforming ones – otherwise it won’t help.

  • Oguienkho

    Gamova aplaudindo de pé e apontando para as amarelas. Depois tomando vodka em comemoração a derrocada de JRG. As brasileiras ficaram sem o título mundial mais uma vez e fiquem no aguardem novamente a Rússia em 2016, desta vez com Sokolova e Gamova em forma.

    • Rogerio Andrade

      Por outro lado, Gamova continua sem ganhar um ouro olímpico ou mesmo um Grand Prix. Se ela riu, foi um risinho amarelo

  • Carlos Alexandre

    E aquele outro blogueiro que torce contra o time masculino, como bem disse o Bernardinho na final do Mundial da Polônia, DEVE TER TOMADO UM PORRE OU SE FERRADO COM O PRÓPRIO VENENO, pois até agora não postou uma notinha sobre a derrota brasileira, sobre o vexame brasileiro. São 21:45 e nada. Quando o time masculino perde, já existem posts prontos, prontos para serem disparados tão logo acabam as partidas. Quando é o feminino, a história é outra, bem outra.

    • CCCP

      Realmente, caro colega. Chega a dar nojo a imparcialidade de tal jornalista. Sempre pronto a defender ZRG e a defenestrar Bernardinho e a seleção masculina.

      • Roberto

        CCCP me desculpe, mas na verdade você quis dizer parcialidade, enfim, concordo com você.

  • Uma pena realmente o dia que parecia que ia ser o passaporte das meninas acabou de forma trágica para o Brasil como eu temia voleibol e jogado na quadra e favoritismo fica por conta da impressa que está de fora as brasileiras deixaram pra jogar a pior partida delas na semifinal e contra os Usa isso é fatal a nossa linha de passe muito inconstante no jogo todo e a nossa virada sempre com muitas dificuldades para cair mas eu já via nos rosto das jogadoras no 1set que a partida ia ser muito mais difícil do que se esperava pelo rosto nervoso das jogadoras muito tensas e preocupadas em fazer o jogo e o peso da responsabilidade de ser a melhor equipe até aquelas horas o simplesmente travou os Estados unidos muito mas leve e sorrindo a cada ponto sem responsabilidade de título ou final fez da agressividade do saque até as defesas maravilhosas foi acabando com a paciência de todas!! mas eu prefiro agradecer a garra e a coragem das nossas meninas e que venha rio 2016!! o vôlei feminino muitas das vezes o psicológico sobressai sobre a técnica hoje infelizmente não foi o dia das nossas douradas!

  • Roberto

    Desta vez eu paro de vez,nada de vôlei feminino nem masculino,tão cedo ficarei na frente de uma tv pra assistir isso.

  • BRASIL x EUA

    AI MAS QUE ANTIPATIA FICAR AGORA DIZENDO QUE BRASIL JOGOU MAL E QUE TEVE UM DIA RUIM, POR ISSO PERDEU.

    SABE PORQUE A SELEÇÃO JOGOU MAL E NÃO CONSEGUIU FAZER NADA??? SIMPLESMENTE PORQUE O TIME DOS EUA ANULOU O BRASIL, NÃO PERMITINDO QUE AS BRASILEIRAS REALIZASSEM O SEU SISTEMA DE JOGO. SIMPLES ASSIM!!

    OS AMERICANOS ESTUDAM NÃO É À TOA NÃO! VOLEIBOL MAIS TÉCNICO DO MUNDO. TANTO FEMININO QUANTO MASCULINO.

    BRASIL FOI BARRADO ESSE ANO DUAS VEZES PELOS ESTADOS UNIDOS: NA LIGA MUNDIAL E AGORA NO MUNDIAL FEMININO. PENSO QUE SERÁ UMA QUESTÃO DE TEMPO ATÉ O TIME AMERICANO VOLTAR AO TOPO ASSIM COMO NA DÉCADA DE 80. ELES DEFINITIVAMENTE QUEREM A HEGEMONIA DO ESPORTE QUE CRIARAM DE VOLTA.

    MAS O A SELEÇÃO BRASILEIRA NÃO TEM QUE SE ENVERGONHAR DE FORMA ALGUMA. FIZERAM UM CAMPEONATO EXTRAORDINÁRIO, O QUE ACONTECE É QUE CHEGOU O MOMENTO EM QUE APARECEU UM ADVERSÁRIO A ALTURA. MAS ISSO NÃO É NOVIDADE PRA NINGUÉM, A NÃO SER PARA AQUELES QUE NÃO QUERIAM ENXERGAR.

  • Bernardo

    Infelizmente perdemos, talvez não existisse pessoa no mundo que estava torcendo mais do que eu por essa seleção. O que eu achei foi que o Brasil estava muito tenso, sem confiança, muito pressionado, não vi os EUA jogarem tudo isso, o que vi foi o Brasil abaixo do normal, se jogasse o que sabe não tinha pra ninguém, mas como dizem perdeu pra si mesmo.

    • Daniel_Sam

      É verdade, mas acho que eu tava no páreo com vc viu?

      Com relação ao desempenho do Brasil, a seleção já vinha oscilando durante todo o torneio, sempre alternando bons e maus momentos com única exceção do jogo das reservas e o jogo contra a China, em 2006 e principalmente 2010 a seleção tava jogando bem mais redondinha.

  • Gonçalo E. Vale

    Após o espetacular predomínio de Cuba nos anos 90, tivemos o mundial ganho pela Itália em 2002 e a olimpíada de 2004 ganho pela China. Depois disso só deu Brasil e Russia que durou até ontem. Foram 10 anos de domínio só dos dois países, evidente que isto iria passar um dia. Como disse Kirally: nós aprendemos com o passado, e um passado doloroso contra o Brasil. Agora vão mudar o regulamento no proximo mundial, sendo contado o numero de vitórias, tarde demais pelo menos para o Brasil que só teve uma derrota antes da final, enquanto que os outros finalistas tiveram 2 derrotas cada até agora. Não valeu nada a campanha invicta do Brasil, tendo ganhado ou chegado em primeiro lugar em todas as 3 fases anterior. Se igualou a todos sem nenhum benefício. Neste ponto o Grand Prix foi mais justo pois classificava 8 times para a final todo mundo jogando contra todo mundo em pontos corridos. Caso o mundial fosse assim, mesmo com a derrota o Brasil ainda estaria no páreo para conquistar o titulo.

  • Luiz

    Se o Zé Mané tivesse coragem colocaria a Tandara como Ponteira no lugar da Garay. Jaqueline e Brait empurrariam ela só pra atacar, como o técnico italiano fez. Deixava a Tandara fazer apenas uma passagem no passe, já que está tudo mesmo uma porcaria. Era poder de fogo que a seleção precisava, virar bolas sem passe como a seleção de 2008. Deixa a ANTA QUEBRADA da Natália para as inversões. Técnico BURRO

    • Billy

      Luiz minha amiga pobre aqui do blog,você não muda mesmo- sempre com seus comentários insignificantes,não é mesmo.Ainda estou na itália(para sua inveja,eu tirei fotos e mais fotos com todas as principais jogadoras do Mundial).Pena que você é pobre e não possa ter a vida de luxo que eu tenho,né ? Agora voltarei ao Brasil carregado de lembranças caras que comprei na Itália(afinal isso só é pra quem pode)Agora vou acompanhar as superligas de vôlei no Brasil,mas em todos os principais torneios no mundo sempre viajarei de primeira-classe e acompanharei sempre ao vivo,pois sou muito querido por onde passo e todos sempre desejam a minha volta.Tchauzinho LUIZ invejosa e insignificante…

      • Luiz

        kkkkkkkkkkk

        Vai com tudo, linda. Você é fabulosa mesmo. Só não esqueça de tirar that stick off your ass.

  • Antonio

    Saber que um time que perdeu 4 vezes (Russia) poderia estar na final e um time que perdeu 2 vezes (USA) está na final, enquanto um time que perdeu 1 vez (Brasil) não está na final, é querer brincar com a inteligência de quem acompanha voleibol.

    Perder faz parte, mas um regulamento esdrúxulo como este, que atende quem querem atender, é capaz de afastar de frente da tv as pessoas que ainda tentam acompanhar o voleibol.

  • Aline

    Culpa do total descontrole emocional de Zé Roberto,DESCONCENTRANDO O PRÓPRIO TIME,logo no primeiro set,ao reclamar de um ‘fora de posição’ dos EUA,com o Brasil começando com 2×0 no placar. As americanas rodaram e fizeram 5×2 sem esforço. Apenas porque o Brasil desconcentrou-se. A partir dali NADA deu certo. Completamente fora do ar, Zé Roberto demorou,COMO SEMPRE,a MEXER NO TIME.E MEXEU ERRADO, só pra variar!!!Quando trocou a ponteira em vez de Gabi Guimarães,optou por Natália,PIADA de mau gosto, no lugar daquela entre as titulares que já tinha conseguido estar mais lúcida no jogo:Fê Garay.Porém,em menos de 5 minutos desfez a substituição.Garay ainda terminou o jogo como maior pontuadora do Brasil com 14 pontos. Dani Lins errou na distribuição, errou na trajetória das bolas, principalmente nos contra-ataques,o PIOR DE TUDO:DANI LINS,com MEDO DO ZÉ,isolou nossas TORRES GÊMEAS do ataque.Medo de arriscar usar as TORRES GÊMEAS com passe B e levar esporro do técnico. Será que Zé Roberto e Dani Lins achavam mesmo que ganhariam o jogo somente pelas pontas? O grande diferencial do Brasil são as TORRES GÊMEAS,se elas NÃO RECEBEM BOLAS PARA ATACAR,o Brasil perde sua força!!! Porque Zé Roberto não deu CARTA BRANCA para Dani Lins usar as TORRES GêMEAS mesmo com PASSE B? Se o problema era mesmo INSEGURANÇA da Dani Lins, porque não deixar a Fabíola de titular e por a Dani nas inversões do 5×1? Porque o TÉCNICO é o PRIMEIRO a SE DESCONTROLAR? As jogadoras olham para o banco e em vez de ver alguém com soluções veem alguém descontrolado que não mexe no time ou mexe errado aumentando ainda mais os problemas em vez de solucioná-los! É o fim do mundo o time campeão olímpico em Londres, tendo trocado apenas sua líbero, perder para um time americano muito inferior ao que estava nas olimpíadas. É DEVER de um técnico JOGAR COM O REGULAMENTO DEBAIXO DO BRAÇO e FACILITAR A VIDA DO TIME SEMPRE. Zé Roberto foi o PRINCIPAL CULPADO pela eliminação do Brasil, os motivos são: 1. Se o regulamento permite eliminar adversários mais fortes, não se deve pensar 2 vezes, devemos eliminá-los! China e Eua após serem arrasados por 3×0 por Brasil e Itália, dependiam de Brasil e Itália para se classificarem. Se Brasil e Itália jogassem com o regulamento, as semifinais poderiam ser: Brasil x Rússia e Itália x Rep.Dominincana, e hoje, em vez de estarem disputando o BRONZE, poderiam estar na final. 2. Zé cometeu vários erros nas Olimpíadas e teve que contar com a ajuda dos EUA para se classificar, o Ouro olímpico se deve mais À reunião das jogadoras para mudar a situação do que mérito do técnico. O ouro olímpico acabou sendo ruim, pq Zé foi quem levou as HONRAS DA VITÓRIA e mascarou seus erros! 3. O que Natália, ETERNA PROTEGIDA, estava fazendo nas Olimpíadas e nesse Mundial? Natália não era para sequer estar no banco! Colocar Natália no lugar de Garay foi a MAIOR PIADA DESSE MUNDIAL!!! 4. Porque o Zé insistiu durante o GRAND PRIX em desgastar e sobrecarregar as INTOCÁVEIS titulares e não deu chance às reservas, mesmo em jogos fáceis? Só para dar oportunidade de os adversários estudarem de cabo-a-rabo as titulares? Quando o time titular empaca, Zé demora a substituir, porque ELE MESMO NÃO CONFIA NAS SUAS RESERVAS? CLARO, ELE NÃO DÁ CHANCE A ELAS! Tá mais que na hora de DAR UMA BASTA DE ZÉ ROBERTO NA SELEÇÃO! LARGA O OSSO, PASSA A BOLA, DÁ CHANCE A OUTRO!!! Individualmente o Brasil é melhor que os EUA, tem um BANCO DE RESERVAS tbém melhor que os EUA, no jogo reservas x reservas deu Brasil 3×0 EUA. O erro é a COMISSÃO TÉCNICA: descontrolada, lenta para tomar decisões e com decisões erradas(vide NATÁLIA)! Troca TUDO AGORA ou TCHAU, TCHAU 2016!!!

  • Alex Lima

    Aquele outro blogueiro deve ofertar uma ex libero pra ser técnica da seleção…. Kkkkkkkk

  • cesinha

    na boa ontem foi um dia atipco , mas o ze falhou tinha que ter tentado alguma coisa a pani lins e fraca fabiola e melhor que ela poderia melhorar ja que o passe nao estava bom , poderia por a GABI que como TANDARA usa força e o time precisou de força e teve largada e outra coisa muito importante nao se ganha jogo na vespera isto serve pra italia que como o BRASIL nao viu nem por onde a zhu passou o time e tecnicamente fraco mais a menina resolve foram so 34 pontos a levantadora nem pensa e bola pra ela ja a pani lins insiste em ficar repetindo bolas ta manjado , mas se mudar umas peças o time funciona bem ! agora estou curioso pra saber qual time o kiraly vai por em quadra hoje ! o time de ontem ou o time ridiculo que jogou contra a italia eu aposto na china pela regularidade .

  • César Castro

    Derrotas acontecem. O Brasil não é imbatível, mas é um time espetacular de voleibol.
    Vamos ficar com as lições de um campeonato onde conhecemos a força máxima de nossos principais concorrentes pro Rio 2016.
    Força meninas!

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo