Não foi dia do Brasil



Sabe aquele dia que uma nuvenzinha parece acompanhar seu dia fazendo tudo dar errado? Você dorme mal, o despertador não toca na hora certa, pisa num buraco na correria até o trabalho, leva esporro do chefe, esquece o carregador do celular em casa, abre a carteira e percebe que está sem dinheiro? Tudo isso junto acontece raramente, né? Pois é. Infelizmente o dia ruim da Seleção Brasileira feminina aconteceu na semifinal do Mundial, neste sábado, contra os Estados Unidos.

O incontestável 3 a 0 americano diante do até então único invicto aconteceu e o sonho do inédito título mundial, que parecia maduro, foi adiado para 2018. E é possível explicá-lo por uma lista de coisas que não deram certo para o Brasil. E  outra lista de coisas que funcionaram perfeitamente do lado americano, admita-se.

O QUE DEU ERRADO

– O Brasil entrou mais tenso do que o normal na semifinal. E pagou caro por isso.

– O passe oscilou demais e tirou de Dani Lins, em grande parte do jogo, as bolas pelo meio com Fabiana e Thaisa. Mortal!

– Sabe aquele erro que vale mais do que outros? Então. O Brasil teve alguns. Jaqueline teve a bola no ataque para fechar o segundo set e desperdiçou. O terceiro set começou a desandar após Fabiana erra uma bola de xeque na rede.

– O saque não incomodou como deveria a linha de passe americana.

– A defesa, grande arma em outros jogos, não apareceu com eficiência na partida.

– A arbitragem errou bastante. Em momentos-chave que desestabilizaram o Brasil, é verdade. Mas não dá para colocar a derrota na conta dos juízes, que também falharam a favor do Brasil. O que aconteceu foi as jogadoras perderem o equilíbrio após os erros.

– A virada americana no segundo set foi o momento psicológico da partida.

– As mexidas de Zé Roberto, desta vez, não funcionaram como em outras ocasiões.

O QUE DEU CERTO PARA OS EUA

– Hill desequilibrou no ataque.

– Glass tirou da cartola bolas mágicas.

– O volume de jogo permitiu vários contra-ataques, que quase sempre foram aproveitados.

– As inversões de 5-1 funcionaram sempre. Mérito de Kiraly.

– O time todo jogou leve, sem ter apagões durante o jogo. Psicológico nota 10.

Por fim, é bom deixar claro. As americanas jogaram MUITO e mereceram a vitória. Esporte é assim.



MaisRecentes

Vaivém: “Livre”, Thaisa seguirá atuando no Brasil



Continue Lendo

Jaqueline chega ao Japão para substituir Drussyla



Continue Lendo

Vaivém: Abouba espera aproveitar chance da vida no EMS/Taubaté



Continue Lendo