Mundial começa com quedas de Sada/Cruzeiro e Zenit Kazan



Os fãs do vôlei não podem reclamar de falta de emoção na abertura do Campeonato Mundial masculino de clubes, na Polônia, nesta segunda-feira.

Dois dos quatro jogos foram para o tie-break. E ambos terminaram, para surpresa geral, com derrota dos favoritos e últimos campeões Zenit Kazan e Sada/Cruzeiro.

O time mineiro viveu um turbilhão de emoções na partida. Viu Asseco Resovia, dono da casa, abrir 2 sets a 1 e ter 23 a 21 na quarta parcial. Virou, dominou o quinto set e teve três match points diante dos poloneses. Uma derrota que parecia certa, se transformou numa vitória praticamente consumada e terminou com um dolorido revés, parciais de 23-25, 25-18, 25-23, 24-26 e 17-15.

O francês Rossard anotou 22 pontos para o Resovia. Mesmo número de acertos do oposto Evandro, que teve um a mais do que o americano Taylor Sander.

Sander encara o block do Resovia (FIVB Divulgação)

Agora o Sada terá de vencer os italianos do Trentino, na quarta-feira, para seguir vivo no Mundial. O maior vencedor da competição em todos os tempos estreou com vitória sobre o Khatam Ardakan, do Irã, em sets diretos.

Já no outro grupo, o poderoso Zenit Kazan perdeu o duelo russo diante do Fakel Novy Urengoy, parciais de 25-23, 26-28, 21-25, 25-22 e 15-11.

Resultado que coloca uma pressão absurda no time de Ngapeth, Matt Anderson e Mikhaylov, obrigado a vencer “apenas” o Civitanova (ITA) e Belchatow (POL) para poder avançar para as semifinais no grupo da morte.

O trio de craques, inclusive, quase ficou no empate técnico no quesito pontuação na estreia. O francês e o russo anotaram 19 cada, com o americano fazendo 17.

Comemoração do Fakel no duelo russo (FIVB Divulgação)

Pelo Fakel, outro trio foi ainda mais arrasador: Udrys (22), Volkov (21) e Kliuka (20). O bloqueio fez a diferença, com 14 pontos para o vencedor e apenas seis para o perdedor.

No outro jogo, o Civitanova passou pelo Belchatow em quatro sets: 25-21, 22-25, 25-21 e 27-25.

O cubano naturalizado brasileiro Leal anotou 16 pontos para o time italiano. Simon, outro velho conhecido dos brasileiros, fez mais nove. O levantador Bruninho colaborou com quatro.

Pelo outro time da casa, Wlazly e Szalpuk tiveram 18 acertos cada.

LEIA TAMBÉM

+ Mundial é prova de fogo para o Sada/Cruzeiro



MaisRecentes

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo

Coluna: Sinal de alerta com as chuvas no Brasil



Continue Lendo