Meus parabéns para dois eliminados de sábado na Superliga



Vou inverter a lógica para exaltar Volta Redonda e Móveis Kappesberg/Canoas, que foram eliminados por Sada/Cruzeiro e Sesi, respectivamente, no sábado, nas quartas de final da Superliga Masculina.

Sem tirar qualquer mérito dos favoritos, que sempre estiveram na lista de prováveis vencedores da temporada e tinham como obrigação o avanço para a semifinal, os times comandados por Alessandro Fadul e Paulão devem servir de exemplo. Modelos para concorrentes e equipes que possam aparecer em breve no cenário nacional, sem orçamentos milionários.

Em Volta Redonda, o projeto de quatro anos esteve com os pés no abismo. Atraso de salário na temporada passada, jogadores insatisfeitos,  credibilidade em xeque e até alguns embates com a CBV, como já relatado aqui no blog. Mas, com trabalho sério, o cenário mudou. E o tal profissionalismo, que todo mundo fala, dá resultado quando levado ao pé da letra. E assim o Voltaço, sem astros badalados do país e muito menos estrangeiros, entrou nos playoffs, encheu seu ginásio e fez uma série duríssima com o atual campeão Sada/Cruzeiro. Deve sair de cabeça erguida e acreditar que plantou um semente para a próxima temporada.

Já em Canoas, uma vitória de persistência. Não sei se vocês se recordam, mas o time gaúcho já queria ter jogado a Superliga na temporada passada. Não jogou, ficou p. da vida com a CBV, mas resolveu encarar a segunda divisão. Subiu e ainda assim não teve vida fácil, mesmo sendo o único representante de um estado tão tradicional quanto o Rio Grande do Sul. E olha a persistência aí de novo. Paulão formou um grupo de jogadores experientes, cientes de que o projeto precisaria ser abraçado por todos, já que o orçamento não cobria toda a temporada. Gustavo aceitou o desafio e virou uma espécie de “manager”, passando a conviver com reuniões com políticos, empresários e dirigentes das mais variadas esfera de poder.  Tentou usar sua imagem e seu currículo em prol do projeto. Muitos atletas acreditaram nele, toparam fazer parte da empreitada. Já outros deixaram o barco, como André Nascimento. Um apoio aqui, outro ali e o Móveis Kappesberg/Canoas, time mais velho da competição (30,8 anos em média), fez uma série muito parelha com o estrelado Sesi, após brigar até o fim da fase de classificação pelo quarto lugar, algo muito além do que se esperava.

É muito saudável para o vôlei nacional ver o resultado positivo de dois projetos que pararam nas quartas de final, mas já dão como certa a manutenção para a temporada 2013/2014.

 

 



  • Lucas Rodrigues

    Por que não se fala tanto de ranqueamento qdo se trata do volei masculino? Deve ser porque a safra de atletas de alto nível é bem superior ao feminino. No masculino os jogos são muito mais equilibrados e não se fica jogando o mérito de derrotas ao ranqueamento (muitas vezes incoerente) da CBV. Se isso não for revisto pelo presidente da CBV e tb da FIVB sr. Ary Graça, quem mais o fará? Gustavo cogita aposentadoria mas se sair mesmo já entrou pra história do vôlei brasileiro e ainda continua jogando bem. Daniel, por onde anda o André Nascimento “Canha”, o melhor oposto de seleção e clubes q o Brasil já teve?

    • bsb

      Falam tanto do ranking no feminino, mas ninguem fala do RJX que tem uma seleção sem ter nenhum jogador formado na base (até pq não tem). Não vai ser o ranking que equilibrara a SL.

  • Peri

    Nossa! Como eu torci pelo Canoas. Fiquei encantado com a trajetória do time desde o seu começo nessa Superliga, sem patrocinadores e com um jogador de peso como o Gustavo lutando por patrocínio. Uma pena não ter chegado às semis.

  • Emanuella

    MUito legal mesmo o desempenho desses dois times. torci muito pelos dois, e espero uma superliga mais equilibrada ano que vem.
    Uma coisa interessante que você falou, não sabia que eles queriam entrar ano passado e a CBV não deixou. Mas o time do EIKE pode entrar tranquilo né?? Como explicam isso.
    Muita coisa precisa ser mudada no nosso volei. A coisa ta muito complicada

  • ana maria

    Eu adoro volei e como apreciadora desse esporte só tenho a agradecer a esses fantásticos atletas e comissões técnicas que lutam por manter projetos. Que gosto dá ver o Gustavo, pra falar no mais “badalado”, jogando com aquela garra e o Ezinho, um “velho” jogador ali firme apoiando sua equipe, o Volta Redonda. O espetáculo que proporcionaram foi muito lindo. Parabéns a todos.
    Aproveito pra deixar meu agradecimento ao volei mineiro. Sou torcedora do MInas mas sempre admirei o trabalho do Cruzeiro e que se mantenham firmes um dando continuidade a uma tradição e o outro construindo uma sólida tradição também.

  • newton

    Bom dia Daniel, alguma noticia a respeito do time do sao bernardo? Existe possibilidade de continuar a disputar a superliga na proxima temporada?

MaisRecentes

Semana positiva das Seleções adultas



Continue Lendo

Coluna: O polêmico teste na regra do vôlei



Continue Lendo

Vaivém: Mais estrangeiras na Superliga?



Continue Lendo