Mesmo sem Mari, Brasil vence e está na semi. Chegou a hora de perder?



A Seleção Brasileira está na briga por medalhas no Grand Prix de 2011.

Nesta madrugada, vitória sobre o Japão por 3 a 0 (25-17, 25-22 e 25-21), parciais um pouco mais apertadas do que o triunfo sobre as italianas, na véspera. O resultado, somado ao da abertura da rodada (EUA 3 x 2 Itália), garantiu as duas vencedoras na semifinal. Nesta sexta, às 2h30, Brasil x Estados Unidos brigam pelo primeiro lugar do grupo B, para, provavelmente, enfrentar a sempre temida Rússia, derrotada pela Sérvia por 3 a 1, que deve ficar com o segundo posto do grupo A. E vão, mais uma vez, começar as suspeitas de que alguém pode jogar com menos vontade de ganhar?

Desconfianças  à parte, a boa notícia na vitória sobre as japonesas foi a boa atuação de Fernanda Garay, substituta de Mari, poupada com um estiramento na região abdominal. Ela marcou 17 pontos, sendo 14 deles no ataque e três no bloqueio. Ela teve o desempenho elogiado por Zé Roberto também no passe, o fundamento que mais preocupava antes do início da fase final. Thaisa (12, quatro deles no block) veio a seguir.

Pelas declarações do médico Julio Nardelli, Mari dificilmente irá se recuperar em tempo para a semifinal e a decisão de ouro ou bronze do GP. Um desfalque e tanto.

Agora, sobre a polêmica que pode cercar o jogo com os EUA, minha opinião. Não acredito que o Brasil, ainda invicto no GP, entre para perder. E vocês?



MaisRecentes

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo

Coluna: Sinal de alerta com as chuvas no Brasil



Continue Lendo