Mendez: “O caminho de Leal é a Seleção Brasileira”



Marcelo Mendez não fica em cima do muro ao comentar sobre o futuro de Leal. melhor jogador da final da última Superliga.

– O caminho de Leal é esse mesmo: a Seleção Brasileira- falou ao blog.

O cubano quer defender o time verde-amarelo na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro. A comissão técnica vê com ótimos olhos a naturalização do ponta, que não defende Cuba desde 2010 e atua no Brasil há três. Bernardinho, em entrevista coletiva ontem, pela primeira vez falou sobre o tema, deixando em aberto a possibilidade de convocá-lo:

– A CBV deu apoio ao pedido dele, mas agora não posso dizer mais do que isso. Se ele se naturalizar, é claro que interessa. Leal já contribui para o clube, quem sabe um dia possa contribuir para a seleção.

O cubano quase brasileiro Leal (Divulgação)

O cubano quase brasileiro Leal (Divulgação)

Desejos à parte, existem trâmites burocráticos no Brasil e regulamentos da FIVB que precisam ser considerados para que o sonho mútuo vire realidade.

Se der certo, Mendez não vê problemas de relacionamento dentro da Seleção ao receber um estrangeiro.

– Aqui o grupo abraçou o Leal desde o início. Acho que não vai ter problema na Seleção, não.

Sobre o momento do jogador, eleito o melhor da decisão contra o Sesi, o argentino é só elogios:

– Ele está chegando próximo do auge. Tem 27 anos, é um grande atleta, gosta de treinar. Ele sofreu muito quando chegou ao Brasil, deixando seu país, sua seleção. Mas o objetivo era mostrar quem ele era. Ele amadureceu, é um grande atacante, um grande sacador, está melhorando no bloqueio e ainda mais na recepção. Veja na final. Sabíamos que era seria o alvo do Sesi, até para que fosse tirado do ataque. Foram 32 bolas nele e Leal respondeu muito bem. Para isso, ele se preparou. Semanas antes da final ele pediu para trabalhar mais a recepção, pois sabia que seria muito exigido.



MaisRecentes

Evento na Polônia reúne craques históricos do vôlei



Continue Lendo

Um fim de semana para esquecer na Bulgária



Continue Lendo

Raridade: Brasil perde a segunda seguida por 3 a 0



Continue Lendo