Mari Paraíba volta para “casa”



Finalmente a confirmação da notícia que os fãs do Camponesa/Minas esperavam. Mari Paraíba voltará a defender o time de Belo Horizonte nesta temporada.

Mari pelo Minas (Divulgação)

Mari pelo Minas (Divulgação)

A ponta, que joga as quartas de final do Paulista pelo Bauru (perdeu hoje o primeiro jogo para o Molico/Osasco por 3 a 1), voltará a defender o clube que traz boas lembranças para ela e para os torcedores. A apresentação acontecerá após a eliminação do time do interior no Campeonato Estadual.

Foi nas quadras do Minas Tênis Clubes que Mari Paraíba viveu sua melhor fase no vôlei, na temporada 2011/2012.

De lá pra cá, a vida de Mari mudou demais. Ela virou musa do vôlei ao posar para a Playboy ( http://wp.me/p1b2tr-11u http://wp.me/p1b2tr-10y  http://wp.me/p1b2tr-X2), se arriscou no vôlei de praia e agora tenta reencontrar suas melhores atuações, após passar por Barueri, Bauru, além de uma frustrada tentativa do Maranhão em contratá-la.

Se para Mari a volta para o Minas deve ser comemorada como retomada da carreira, imagino que para o time de Marco Queiroga a recíproca é verdadeira. Com Ju Nogueira voltando de lesão, Walewska e Carol Gattaz como centrais, Lia na saída de rede, a equipe ganha ainda mais corpo (sem trocadilhos) com Mari Paraíba como opção na ponta para a Superliga.

 



  • Raffael

    Notícia boa e ruim ao mesmo tempo. Com a chegada da Mari Paraíba, acho que a ida da Jaque pro Minas está quase que descartada, ja que o clube procurava investidores pra arcar com a ponteira da Seleção.

    • PRIORIDADE É SER DONA DE CASA

      Raffael, Jaqueline não quer jogar em outro clube que não seja um grande do estado de São Paulo, ou seja, Molico/Osasco ou Sesi. Por que? Porque o marido joga em São Paulo. Podem oferecer um caminhão de dinheiro para ela que ela não vai.
      Infelizmente a prioridade da Jaqueline não é mais a carreira, e sim a vida de dona de casa. Ela não quer ficar longe do marido e do filho.
      Na temporada 2015/2016 ela já disse que vai pro exterior junto com o Murilo e o filho.

  • Léo

    Tem o lado bom e ruim dessa notícia:
    Bom, porque o Minas tem deficiencia neste setor.
    Ruim, porque a jogadora se mostra mais concentrada em aparecer na mídia que jogar bola.
    Bom, porque ver una jogadora bonita (gostosa) jogando aqui vai dar uma vontade extra de ir ao ginásio.
    Ruim, porque quem outrora sonhara com Jaqueline agora acorda com Mari …Paraíba.
    O sentimento que fica é aquele de quando a gente vai comprar um remédio e o dinheiro não dá, temos que comprar um genérico.
    Tipo Ivete e Claudia Leite, Debora Secco e Fernanda Freitas, Xuxa e Angélica, Silvio Santos e Gugu….. Jacqueline e Mari Paraiba.

    • Fabrício

      Até parece que a contratação daquela intragável da JaqueTOCO vai resolver a vida e qualquer time. Não se esqueçam de que ela foi prata no mundial graças à exímia atuação da seleção dos EUA que anulou a nossa toqueira completamente. A coitada nem viu a cor da bola.

      Se a JaqueTOCO vier para o Minas, bem, se não vier, amém.Vida que segue. Só sei que o Minas está se reforçando e isso é excelente para a Superliga Nacional!

      • Fabrício

        Corrigindo:

        Até parece que a contratação daquela intragável da JaqueTOCO vai resolver a vida e qualquer time. Não se esqueçam de que ela foi bronze no mundial graças à exímia atuação da seleção dos EUA que anulou a nossa toqueira completamente. A coitada nem viu a cor da bola.

        Se a JaqueTOCO vier para o Minas, bem, se não vier, amém.Vida que segue. Só sei que o Minas está se reforçando e isso é excelente para a Superliga Nacional!

  • Bob

    EU VOU NU PÊLO

  • Edu(ardo)

    A mari pb já era certa no minas antes até mesmo dessa volta de conversa sobre jaqueline. Jaqueline é um sonho distante, que se conseguissem um patrocínio seria uma cereja no bolo. Mas time nao pode ficar esperando jaqueline e perder uma boa possibilidade de passe, grande carência desse time. Muito boa contratação.

  • Paulo Torres

    Além de Mari e Ju Nogueira, o Minas tem a Carla disputando uma posição de ponteira. Ela foi o único destaque do time nas duas últimas temporadas, e tem bola pra ser titular. Vamos ver…

  • lucas

    Assisti a final do mineiro entre praia clube e minas.
    Ju nogueira foi péssima e a única que salvou foi a Carla. A gattaz também foi muito mal e não deve ter feito nem 3 pontos.
    bom reforço pro minas tendo em vista as opções do elenco

    • Edu

      Cada vez mais fico com a impressão que a Ju Nogueira vai se destacar de forma mais profunda por ser uma mulher de beleza exuberante e não uma jogadora de vólei no minimo competitiva.Quanto a Gattaz, respeitosamente, ela tem se encaixado com muita competência como uma meio de rede que não bloqueia e não pontua.Numa visão mais cínica nem ela mesmo sabe o que faz no time.O próprio ZRG não sabia o que fazer para reverter esse quadro no Campinas e já havia dispensado antes mesmo do sepultamento definitivo da equipe.Uma pena com uma atleta com passagem em seleção.

  • Jeferson

    Só queria dar uma lambida nela !

  • @alcidesxavier

    Daniel, sempre acompanho seu blog…
    Sobre as quartas de finais realmente pela falta de tempo Bauru tem poucas chances, estive presente em Bauru e o jogo foi muito apertado e muitas vezes Bauru estava na frente do marcador, Mari e Carcaces tem potencia no ataque, mas passe impossível! Se tratando do maior investimento e devido a chegada de jogadoras de seleção é difícil Bauru passar para semi. Mas não gostei da sua colocação “A apresentação acontecerá após a eliminação do time do interior no Campeonato Estadual.”
    Bauru passou muitos anos fora do cenário da mídia do volei, então por favor um pouco mais de respeito.

    • André

      A Mari Paraíba vai sair do time do Bauru assim que o time for eliminado, independente de ser nas quartas, semifinal ou na final!! Foi isso que ele quis dizer, após o final do paulista para o time do Bauru, a Mari irá para o Minas

MaisRecentes

Dentil/Praia Clube e Sesc abrem vantagem



Continue Lendo

Corinthians faz melhor jogo na Superliga



Continue Lendo

Coluna: A imprevisível Superliga feminina



Continue Lendo