Mari Paraíba fala sobre convocação, futuro, rótulo de musa…



Mari Paraíba irá se apresentar à Seleção Brasileira na próxima segunda-feira, em São Paulo, ao lado de Monique, Bárbara e Suelle (leia aqui a notícia antecipada ontem pelo blog http://blogs.lancenet.com.br/volei/2015/04/23/mari-paraiba-tera-chance-na-selecao/). Antes, curte alguns dias de folga com a família, na terra natal.

Por e-mail, ela respondeu, na manhã desta sexta-feira, algumas perguntas sobre a convocação, fez um balanço da temporada, da parceria com Jaqueline e Naiane, além de confirmar o destino na próxima temporada. Confira:

Melhor fase da carreira rendeu chance na Seleção (Divulgação)

Melhor fase da carreira rendeu chance na Seleção (Divulgação)

1 – Como você recebeu a notícia da convocação? Já chegou a falar com o Zé Roberto ou alguém da comissão técnica?
Recebi a notícia primeiramente pela supervisora do Minas, a Patricia Axer, na quarta-feira, antes de vir para a Paraíba ver a família. Não cheguei a falar com ninguém da comissão técnica ainda.

2 – Recebeu mensagens ou telefonemas de outras jogadoras?
A Jaque me ligou dando os parabéns. As meninas do Minas, a comissão técnica e a supervisão me parabenizaram também.

3 – Em algum momento da carreira achou que isso não iria mais acontecer?
Já passou pela cabeça sim, mas sempre tive meus pes no chão. Se tivesse que acontecer, aconteceria. Tudo tem seu momento e hoje vou ter uma oportunidade.

4 – Pelas estatísticas da CBV, você é a sexta melhor atacante e a oitava melhor passadora (as outras sete são líberos) da Superliga. Dá para cravar que você vive o melhor da carreira na quadra?
Acho que venho numa evolução. Também acho que posso evoluir e aprender muito mais. Não quero parar aqui. Quero evoluir mais.

5 – Ter atuado ao lado da Jaqueline nesta temporada ajudou de que forma no seu desempenho?
sempre admirei muito a Jaque e acho que ela contribuiu bastante, me ajudou muito. Era alguém que eu podia ter do lado para me espelhar e aprender.

6 – Queria que falasse um pouco da Naiane, talvez a maior revelação da última Superliga.
Joguei com a Nai em Macaé, ela tinha 15 anos, se não me engano, e chegou para ser a terceira levantadora. Quando cheguei ao Minas lá está ela de novo, só que com 20 anos e contratada pra ser a terceira levantadora também. De repente, de uma hora pra outra, ela está de primeira levantadora. Acho que nem ela mesma acreditou (rs). A Naiane é uma das promessas do nosso vôlei, jovem e alta e com uma técnica que pode ir longe. Levou nosso time numa pressão que foi imposta a uma menina de 20 anos e jogando sua primeira Superliga. Ela está de parabéns. Acho que tem muito para crescer e ser uma grande levantadora.

7 – De alguma forma, você já se incomodou ou ainda se incomoda com o rótulo de musa do esporte?
Já me incomodou sim, hoje sei lidar melhor. As pessoas falam muito sobre o que não sabem e acreditam que seja a verdade. Isso sempre me incomodou! Mas nós amadurecemos e aprendemos a lidar com a vida e as pessoas, graças a Deus.

8 – Seu contrato com o Minas já está renovado? O que pode falar sobre o futuro?
Meu contrato já está renovado com o Minas.

9 – Para encerrar, tem algum palpite para a final entre Rexona e Molico, domingo?
Eu acredito que será um grande jogo, sem favorito!!! Eu torço pra que seja mais uma grande final de voleibol.



MaisRecentes

Mais seguro, Brasil vence e está nas finais da Liga das Nações



Continue Lendo

Vaivém: Mais uma campeã da Superliga no Osasco/Audax



Continue Lendo

Na estreia de Lucas Lóh na Liga das Nações, Brasil se recupera



Continue Lendo