Mari MVP no ABC



O fim do jejum do Banana Boat/Praia Clube aconteceu na noite de segunda-feira, com uma boa notícia para o torcedor de Uberlândia. Mari foi eleita a melhor em quadra no 3 a 1 sobre o São Cristovão/São Caetano.

A ponta, mais uma vez titular, marcou oito pontos (saque no ataque e dois no bloqueio), ficando atrás de Monique, que anotou 14.

O prêmio serve muito com estímulo para Mari, que se recuperou da cirurgia no joelho e agora busca ritmo de jogo e entrosamento com Ju Carrijo. Não vi todo o jogo (preso na chuva e no trânsito de São Paulo), mas acompanhei a virada no quarto set e a entrevista pós-jogo. Vale lembrar que a escolha do VivaVôlei é feita pela comissão técnica da equipe vencedora. E como vocês sabem a relação entre time e Spencer Lee estava abalada.

Mari foi sincera ao dizer que ainda não está entrosada com a levantadora titular do Praia e tem tentado errar pouco para não tirar a segurança do restante do time, neste momento de instabilidade na Superliga. Percebi que ela tem ciência do momento individual e coletivo, além de sua importância nos playoffs.



  • Matheus

    A Mari é de extrema importância para esse time, possui experiência de sobra,
    o que falta ao Banana Boat é um pouco mais de segurança e confiança, o time precisa se unir mais

  • Luiz

    Gostei bastante da atuação da Mari no jogo contra o São Caetano.Embora não tenha feito tantos pontos, achei que ela esteve muito consistente na recepção (achei ela melhor que a líbero Tássia, inclusive) e sacando bem ela conseguiu por varias vezes quebra a recepção do adversário.
    Não vamos meter o carro na frente dos bois, mas… a Mari já começa a dar sinais de recuperação de seu melhor ritmo de jogo e de sua melhor forma física. Torço demais por ela

    P.S.: Agora, pelo amor de Deus, não aguento mais ver a Mari se contorcendo pra atacar as bolas levantadas pela Ju Carrijo. É um festival de levantamentos baixos e colados na rede!! Tem hora que dá vontade de entrar na televisão e levantar a bola pra Mari. E olha que não culpa do passe não… Várias bolas de contra-ataque chegam na mão da levantadora e ela acaba desperdiçando!! A Juliana tem sido a minha principal decepção na equipe do Praia nessa temporada.

    • wms

      As bolas que a Julana está acostumada são ao estilo de ataque das gêmeas. Na vitória do Praia em Brasília, na sexta, foram inúmeros os levantamentos que tinham a altura e velocidade certos para a Monique (ou eram jacas mesmo), só que eram pro ataque da Mari…
      A Mari errou muito pouco, numa postura que já repetiria no jogo contra o São Caetano e justificaria ao fim dessa última partida: minimizar os erros pra não gerar insegurança. Tá faltando sensibilidade e treino da Juliana pra acertar essas bolas. Pro azar geral, a reserva da Carrijo é de longe pior, e sua entrada não é opção em nenhum cenário inteligente.
      É interessante ver como a recepção da Mari está evoluindo nesse retorno dela (ou voltando ao que já foi na seleção em 2008), as duas últimas partidas foram bem regulares nesse sentido, uma boa notícia nesse momento de declínio da Tássia.
      É bom essa evolução pegar ladeira acima e rápido, porque o primeiro time que marcar bem a Monique faz uma bagunça no jogo do Praia, e uma Natália sozinha não faz verão.

  • Luiz

    não vejo o momento conturbado do Praia como problema de relacionamento; acho natural uma equipe que agora é uma realidade, sentir o peso e responsabilidade de se apresentar bem, ainda mais agora com a mídia que a Mari atrai.

  • Wasley

    Realmente a recepção e o saque da Mari foram os pontos fortes dela na partida do Praia contra o São Cristóvão/São Caetano. Achei franca e muito legal a entrevista dela ao final do jogo, comentando sobre o seu voleibol e sobre a falta de entrosamento com a Juliana. Quem acompanhou o jogo, percebeu que ela demonstra paciência com a Juliana, não reclamando das bolas levantadas, mas com uma fisionomia de certa frustração com os levantamentos. Se houver um entrosamento melhor entre a Juliana e ela, e se a Mari evoluir mais no ataque e na recepção, certamente será uma peça importante nos play-offs. Agora, é estranho ver que a Tássia anda inconsistente no passe e que a Juliana anda imprecisa em vários levantamentos. É bom ver a Natália pontuando bastante no ataque e observar a regularidade de Mayhara nas partidas. Eu ainda acho este time uma incógnita porque o Praia é um time muito diferente com a presença da Glass e com a Herrera. O Spencer percebeu que o time fica muito vulnerável com a Mari e a Herrera na linha de passe. Isso obriga a Monique a participar da linha de passe. A presença da Michelle trouxe uma menor vulnerabilidade (mas há de se convir que a Mari ajudou muito a equipe no passe na última partida). O problema é que o retorno da Glass e a regularidade da Monique tornarão a decisão do Spencer sobre a equipe titular mais difícil nos play-offs. Acho difícil a Monique perder a posição dela para a Mari e acho que a Glass assumirá a posição da Michelle, com a Mari ocupando a da Herrera.
    Pelo lado do São Caetano, a Mara parece ser uma central interessante, bem como a Sabrina, que passou a atuar como ponteira, pelo que me parece, com uma recepção regular.

  • O time do Praia clube/BananaBoat no papel é um timaço…Mas é um time com um um bom fundamento: ataque…Mas para ter um bom ataque precisa que o passe chegue na mão da levantadora…. O time ao meu ver, tem 3 estrelas (Mari, Glass, Herrera) pra uma vaga, já que acredito que a Monique e Michelle tem que serem titulares. Só que tem a pressão da diretoria em colocar todas as estrelas em quadra. O Spencer Lee, tem que ter firmeza pra manter duas das estrelas no banco, o correto tem que ser sempre pensar no time….Usar a Herrera e/ou Mari nas inversões e bancar o time… Mas caso não dê certo, tem que ter pulso pra mudar, porque no mata mata, não tem que ficar dando moral pra jogadora não, tem que vencer e pronto…..

  • CCCP

    Será que só eu penso que o Praia não deve ficar em 5° colocado e sim em 6°? Jogar contra Sesi e porventura Osasco, seria no momento muito mais complicado que Rio e Campinas. Sem demérito algum as equipes, porém acho que o jogo do Praia casa melhor com Rio e Campinas. Sesi e Osasco vivem momentos de muita confiança, enquanto o Rio sente pressão por cobrança de sua comissão técnica por melhores resultados.

    • Concordo totalmente. Para o praia clube é muito melhor ficar em sexto lugar, e fugir no osasco…Caso fique em 5º o risco de cair para o Sesi é gigante….

      • Bárbara

        Penso o mesmo há mto tempo. Atualmente melhor pegar o RJ do q o SESI.

MaisRecentes

Vaivém: Jaqueline no Hinode/Barueri



Continue Lendo

Cai o primeiro técnico após UMA rodada da Superliga



Continue Lendo

Luizomar e Rizola não conseguem vaga no Mundial



Continue Lendo