Maranhão pode desistir até da Superliga B



A divisão de acesso da Superliga feminina corre o risco de perder um participante que estava inscrito.

O Maranhão, que disputou duas edições da elite do vôlei nacional, alega falta de tempo para levantar a verba necessária para participar da competição.

Segundo o clube, a ideia inicial era obter o dinheiro via Lei de Incentivo ao Esporte do governo local. O projeto foi aprovado em 22/12, já tarde e sem tempo hábil para cumprir os demais trâmites.

Time do Maranhão já jogou a elite do vôlei nacional (Divulgação)

Time do Maranhão já jogou a elite do vôlei nacional (Divulgação)

A ideia, então, passou a ser uma parceria. Mas as duas tentativas realizadas também não deram certo.

A estreia do Maranhão está marcada para o próximo dia 16, contra o Fluminense, em São Luis.

– O fato é que nos vimos impotentes diante das circunstâncias. Inscrevemos a equipe na Superliga B, pagando a taxa devida e enviando a relação com os nomes das pessoas a serem contratadas pela Lei de Incentivo, tanto atletas como comissão técnica e de apoio. A Cemar mais uma vez disse que entraria com o patrocínio. Mas a falta de tempo nos atrapalhou e o projeto até ontem não havia sido aprovado. Se existem culpados, fomos nós, que demoramos em entregar o projeto para análise e aprovação da Sedel – disse  Edivaldo Pereira Biguá, presidente da Federação Maranhense.



MaisRecentes

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo

As duas formas de ver o novo Sesi



Continue Lendo