Máquina de ganhar! Sada/Cruzeiro fatura a Superliga



28 campeonatos disputados desde 2010, 25 finais e 21 títulos.

O assombroso currículo do Sada/Cruzeiro ganhou mais um caneco neste domingo. No Ginásio Nilson Nelson, em Brasília, o time mineiro derrotou o Brasil Kirin por 3 sets a 1, parciais de 23-25, 25-23, 25-15 e 30-28, para faturar a Superliga 2015/2016.

Difícil encontrar mais adjetivos para dar ao time comandado pelo argentino Marcelo Mendez. Talvez rotulá-lo como “Máquina de ganhar” seja o mais correto.

Apenas na atual temporada foram seis conquistas em seis campetições: Mundial, Sul-Americano, Copa Brasil, Supercopa, Mineiro e agora a Superliga. 100% de aproveitamento. Uma marca difícil de ver em qualquer esporte, em qualquer país do mundo.

 

Wallace encara o block campineiro (Divulgação Brasil Kirin)

Wallace encara o block campineiro (Divulgação Brasil Kirin)

Neste domingo, parecia que os números perfeitos tinham prazo de validade.  Os paulistas, na primeira decisão de Superliga do projeto, começaram muito sólidos. Um dos diferenciais foi a confiança do levantador Gonzalez com os centrais Luizinho e Maurício Souza. O argentino abusou das jogadas rápidas pelo meio, fazendo delas a bola de segurança do time. Outro mérito foi a consistência do passe, com Brendle, Lóh e Olteanu, levando em consideração que boa parte da receita do sucesso do Sada/Cruzeiro vem do saque forçado, com Leal, Eder, Isac & Cia.

A segunda parcial seguia equilibrada, mas com os campineiros na frente até o 21º ponto. Mas um erro numa bola fácil mudou o rumo da partida. O Sada, implacável como sempre, virou, fechou com um ace de Eder e empatou o jogo em 1 a 1. Daí para frente atropelou, sem dó. O oposto Wallace passou a virar quase todas as bolas, Leal, sempre decisivo, distribuiu pancadas, Serginho deixou o passe na mão de William com perfeição, Filipe usando a técnica para explorar bloqueios… E o equilíbrio desapareceu como passe de mágica, já que os cruzeirenses cresceram demais, enquanto os paulistas sentiram psicologicamente demais a virada no segundo set.

O quarto e último set não foi uma contagem regressiva para a conquista do quarto título de Superliga do Sada, o terceiro de forma consecutiva. O valente time de Campinas partiu para um saque mais forçado, ou seja, foi para o tudo ou nada. O jogo voltou a ficar igual, mas no eletrizante fim deu Sada, um time especialista em crescer nos momentos finais de decisões.

Não vou aqui destacar um MVP, creio que seria injusto. William, Wallace, Filipe, Leal, Isac, Eder, Serginho, Marcelo Mendez. Um time que todo fã de vôlei no Brasil sabe de cor e salteado. E com um treinador muito acima da média, que sempre prefere enaltecer o grupo, quase tirando sua parcela imensa de contribuição. Marcelo, essa máquina de vencer foi construída por você!

 

Maurício Souza tenta vencer Isac (Divulgação Brasil Kirin)

Maurício Souza tenta vencer Isac (Divulgação Brasil Kirin)

Para o vice, é preciso também registrar elogios. O Brasil Kirin entrou na temporada longe de ter o maior orçamento. À frente dele estavam o próprio time mineiro, além dos rivais paulistas Sesi e Funvic/Taubaté. Todos eles com atletas mais renomados nos elencos. No banco, o técnico Alexandre Stanzioni, que liderou o time à primeira conquista, em 2014/2015: a Copa São Paulo. Por trás deles dois campeões olímpicos: o ex-levantador Maurício (embaixador do projeto) e André Heller (coordenador técnico).

Estive no lançamento do time, em agosto de 2015, na fábrica da patrocinadora, em Itu. E a sensação que tive ao sair era o propósito de dar um passo a mais no projeto que tem o Brasil Kirin como patrocinador desde 2013. Figurar entre os quatro do país e buscar o título estadual… No Paulista, presença na final, mas derrota doída para Taubaté. Na Copa Banco do Brasil, novamente presença na decisão. E outro vice, o mesmo que aconteceu na Superliga. É a tal história do copo meio cheio ou meio vazio. Você pode ver pelas dois ângulos. Eu veria pelo lado bom, com presença em três decisões na mesma temporada. O passo na temporada 2016/2017 será transformar em título. Se o Sada/Cruzeiro deixar…



MaisRecentes

Atuação ruim tira Brasil da final da Copa Pan-Americana



Continue Lendo

Vôlei Renata anuncia novidades para a temporada



Continue Lendo

Jaqueline anuncia aposentadoria da Seleção



Continue Lendo