Mais um 3 a 0 brasileiro no Grand Prix



Já está virando rotina. Nesta sexta-feira, em Catania (ITA), o Brasil venceu pela oitava vez neste Grand Prix, mantendo o aproveitamento de 100%. Azar da Bélgica, que caiu em sets diretos, parciais de 25-14, 25-17 e 25-23. Foi a sexta vez que a Seleção venceu sem ceder uma parcial sequer para o adversário.

Block brasileiro contra  Charlotte Leys (FIVB Divulgação)

Block brasileiro contra Charlotte Leys (FIVB Divulgação)

Um jogo com as duas primeiras parciais bem tranquilas. Mas no terceiro set o Brasil, após dar aquela desconcentrada básica, viu a rival abrir cinco pontos: 15 a 20. Mas o time soube reagir, com a defesa fazendo sua parte, o contra-ataque pontuando e o bloqueio, até então meio desaparecido, dando as caras.

Natália, com 15 pontos de ataque, liderou o Brasil no fundamento. Ela pontuou uma vez cada no saque e no bloqueio. Bom que ela apareça mesmo neste momento, já que Fernanda Garay e Jaqueline estão um patamar acima, além de Gabi, opção mais utilizada nesta temporada por José Roberto Guimarães e Paulo Coco.

Falta agora apenas o duelo com a Itália, dona da casa, antes do embarque para as finais, em Omaha (EUA). Vai ser um bom teste para esta formação antes de encarar as pedreiras China e Estados Unidos na briga pelo título.

 



  • Luis Carlos Martins

    Não acho que Garay esteja um patamar acima, pra mim Natália está em uma fase melhor e vai disputar com igualdade com Garay e Gabi.

  • Cauã

    China vai com a equipe reserva e técnico auxiliar para a fazê final, GP mais fraco dos últimos anos.

  • Rafael

    Vou repetir aqui, quero ver a formação Natália/Jaque na seleção.
    Acho que daria muito certo!

  • Guilherme

    Oras, por favor: Brasil com várias titulares campeãs olímpicas, rodadas, com diversas competições internacionais nas costas. EUA com reservas e reservas das reservas. China que deve levar também reservas….então, não é mais que obrigação Brasil vencer este campeonato. Um dos mais fracos de todos os tempos!

    • klaus

      Várias?Pelo que sei somente a Natália e a Dani são .E as americanas virão com o time completo, ou vc acha que na casa delas, vão usar reservas das reservas?Por favor, não escreva bobagens e deixa essa síndrome de terceiro mundo.

    • Fernando

      Guilherme por favor! Para de pagar de mico.
      Tenho absoluta certeza que vc não acompanha os jogos e nem conhece as demais seleções, principalmente suas jogadoras e quem são as titulares e quem são as reservas, pois, se soubesse não estaria aqui comentando coisas sem fundamento nenhum.

      Bons estudos.

    • Guilherme

      Errei. No comentário acima eu confundi com o Pan. Onde estão Jaqueline, Garay, Adenizia…as mesmas do último mundial, onde se inclui também a Brait. Estas, sim, têm obrigação de vencer! Enquanto no Grand Prix, temos praticamente o time do Rexona.

  • Alex Lima

    O grande teste será contra Itália, EUA e China.

    • Fernando

      Sim, as três grandes seleções (EUA, CHINA e ITÁLIA) que estão se preparando até os dentes para as Olimpíadas do ano que vem.

      A Rússia também deve vir forte ano que vem, com a volta de algumas titulares e a Turquia que teve algumas baixas esse ano devido ao Europeu e lesões.

  • Leo

    Em minha opinião, a Natália está jogando muito mais que Garay e Gabi, mas o ZR não a deixa jogar. Quando põe ela em quadra para substituir uma das duas, no primeiro erro, já tira ela de quadra não nem tempo de entrar em ritmo de jogo. Natália ataca, bloqueia e defende melhor que a Gabi. No Rio, a Gabi foi bem a superliga toda, mas quem segurou o jogo a partir dos playoffs foi a Natália pq a Gabi sumiu. Muitos reclamam que a Natália não deixou de ser promessa mas a culpa é do ZR que deixa ela no banco o tempo todo, então como a jogadora vai evoluir. No mundial ano passado, a Garay não estava jogando nada e permaneceu como titular o tempo todo.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo