Lucarelli: o garoto que jogou como gente grande



Lucarelli é o caçula da atual Seleção: 23 anos. Nesta quinta, no Maracanãzinho, na partida que poderia marcar a eliminação do Brasil da Liga Mundial, demonstrou maturidade de gente grande e foi o nome da vitória sobre os Estados Unidos, por 3 sets a 1.

Você até pode contestar o primeiro parágrafo deste texto, alegando que Lipe, que entrou no decorrer terceiro set, foi o cara do jogo. Ele foi importante mesmo, verdade, incendiando o time com vibração ao fazer pontos decisivos, como escrevi na crônica do duelo já publicada no blog. Mas Lucarelli, no geral, jogou mais.

O ponta terminou o duelo com 21 pontos (atrás apenas de Matt Anderson, com 30), e um aproveitamento de 52% no ataque. Números consideráveis, levando em consideração que Bruninho usou Lucarelli como seu “homem de segurança”. Quando o passe não saiu (e foram várias as vezes que os americanos quebraram a recepção brasileira no saque), o ponta foi a opção. E deu conta do recado.

O amadurecimento foi enaltecido após o jogo por Bruninho, o capitão, e por Bernardinho.

– Hoje ele está entre os cinco melhores atacantes do mundo. Fico muito contente pelo progresso que ele vem demonstrando. Mas ainda tem muito para dar. É só o início – elogiou o levantador.

– Tive a oportunidade e a honra de trabalhar com alguns dos maiores ponteiros deste país. Como jogador, com Renan e Bernard, dois dos grandes da história. Como treinador, com Giovane, Nalbert, Dante e Giba… Em capacidade técnica, Lucarelli não deve nada para eles. Tem potencial para entrar para a história como um destes grandes citados – reforçou o treinador, que citou o trabalho que vem sendo nos últimos três anos com o ponta, desde que foi levado para Londres, em 2012, como observador, para vivenciar a experiência olímpica com foco na Rio-2016.

Lucarelli vem mesmo sendo trabalhado nos últimos anos para assumir uma posição até certo ponto carente para quem já teve tantos craques nos ciclos olímpicos recentes. Deixou de ser o menino formado pelo Minas, transferiu-se para o Sesi, foi criticado em alguns momentos, e busca agora atingir agora um nível de excelência, para poder se transformar em referência da atual Seleção.

Nesta sexta-feira, para seguir na briga pelo título, o Brasil não precisará dos ataques do tão elogiado Lucarelli. Terá de torcer para algumas possibilidades de resultado para França x EUA. Triunfo por qualquer placar dos franceses ou 3 a 0 e 3 a 2 a favor dos americanos classifica a Seleção. Se der 3 a 1 para os EUA, os três times ficarão empatados e a decisão sairá nos pontos average (divisão dos pontos feitos pelos sofridos).



MaisRecentes

Atuação ruim tira Brasil da final da Copa Pan-Americana



Continue Lendo

Vôlei Renata anuncia novidades para a temporada



Continue Lendo

Jaqueline anuncia aposentadoria da Seleção



Continue Lendo