Lucarelli chegou para ficar!



O post de hoje começa com a reprodução de uma coluna publicada em fevereiro de 2012 no LANCE!:

http://blogs.lancenet.com.br/volei/2012/02/26/coluna-de-domingo-o-futuro-da-selecao-passa-por-lucarelli/

Leram?

A preocupação naquele momento já era a transição de uma vitoriosa geração de pontas (Giba e Dante são dois exemplos), que aconteceria depois da Olimpíada de Londres. Lucarelli já era a bola da vez. Apareceu bem no Minas, teve a chance de seguir com a Seleção para os Jogos, mas ficou fora da lista final já que Giba foi mantido no grupo. Uma decisão que até hoje bem discutível, na minha modesta opinião.

Uma revelação que vai se firmando no vôlei mundial (Alexandre Arruda/CBV)

Uma revelação que vai se firmando no vôlei mundial (Alexandre Arruda/CBV)

Dois anos e meio depois, Lucarelli está disputando sua primeira grande competição pela Seleção. Trocou o Minas pelo Sesi, fez uma Superliga abaixo do pode e ganhou responsabilidade na Seleção, alternando altos e baixos em competições recentes. Mas já é titular absoluto ao lado de Murilo e vem, aos poucos, mostrando aquele potencial que muita gente já via nele no início da década.

No Mundial, ele começa a assumir papel de protagonista. Foi o maior pontuador nas vitórias sobre Alemanha e Tunísia. Nesta sexta-feira, contra a Finlândia, novamente se destacou, principalmente nos dois primeiros sets da vitória por 3 a 0, parciais de 27-25, 25-21 e 26-24. Quando caiu de produção no passe e no ataque, os finlandeses cresceram.  E ele voltou a aparecer no fim, após reação brasileira que garantiu o triunfo sem necessidade da quarta parcial. E marcou, no saque e no ataque, os pontos decisivos.

Lucarelli sempre foi um “menino com cabeça boa”. É assim que já ouvi ele ser definido por muita gente do meio do vôlei. E demonstra isso em quadra. Não é de reclamar, parece ouvir os companheiros e Bernardinho com atenção, não costuma alternar demais o comportamento. É o tal low profile, como alguns gostam de tratar.

Talvez o Mundial se transforme em um marco na carreira dele. Sai a revelação, entra a confirmação.

 

 



MaisRecentes

Brasil impõe primeira derrota à Turquia na Liga das Nações



Continue Lendo

Entrevista com Kerri Walsh, três vezes campeã olímpica



Continue Lendo

Vaivém: Oposto troca Sada/Cruzeiro por Ribeirão



Continue Lendo