Lipe fala sobre novo projeto em Ribeirão Preto



Durante um jantar entre dois casais, boa comida, clima descontraído, bom papo e no fim uma “aposta ousada” para os meses seguintes: um precisava ser campeão olímpico e o outro ser eleito prefeito de uma das principais cidade do estado de São Paulo. Menos de um ano depois, o resultado foi apresentado após as duas metas serem cumpridas. O campeão olímpico Lipe lançou, nesta terça-feira, o Ribeirão Preto Vôlei, um projeto que começou a ser desenhado antes dos Jogos Olímpicos do Rio com o prefeito da cidade Duarte Nogueira.

– A doutora Samanta (Pineda), esposa do Duarte, é sócia da minha esposa em Curitiba em um escritório de advocacia. Nos reunimos para um jantar, na minha casa, em Curitiba, antes da Olimpíada. Durante o encontro eu falei: “Olha, se eu for campeão olímpico e você for prefeito, a gente cria um time e desenvolve um projeto bacana em Ribeirão”. Ficou aquela conversa, o desejo, o sonho. Eu fui campeão, ele foi eleito e então começamos a desenvolver a ideia. O desenho do projeto começou a aparecer na minha cabeça depois dos Jogos, avançamos nas premissas e ele saiu do papel – contou Lipe ao blog.

Lipe na apresentação do projeto (Divulgação)

Lipe na apresentação do projeto (Divulgação)

O time de Ribeirão terá como principais compromissos na temporada o Campeonato Paulista e a Superliga B. E, neste primeiro momento, sem Lipe, o idealizador. O ponta voltou de uma temporada na Turquia para defender o Sesi. A estreia no interior paulista acontecerá apenas em 2018, de preferência já com a vaga garantida na elite do vôlei nacional.

– Meu foco agora é ganhar a Superliga com o Sesi, que montou um time muito forte para esta temporada. Assim vou conseguir manter meu vôlei em altíssimo nível e chegar em Ribeirão em alta. Nossa ideia é montar uma equipe de estrelas, de altíssimo padrão, para brigar por títulos. Ribeirão Preto é uma cidade com reconhecimento grande no país. Então temos de fazer projeto à altura de Ribeirão, para ajudar elevar a moral do cidadão ribeirão-pretano – completa Lipe.

O jogador deixa claro que o projeto não se baseia apenas no vôlei de alto nível.

– É uma coisa maior do que a gente pensa. Não é só chegar lá e jogar vôlei. O projeto está vinculado ao fundo social da cidade, então o time estará voltado para a área social da cidade. Montar um time vitorioso ajudará a cidade a abraçar a equipe, se sentir parte dela. E assim vamos conseguir fazer algo diferente, maior. Queremos criar uma cultura diferente, desenvolver a base, fazer a capacitação de professores, desenvolver a iniciação esportiva e não apenas do vôlei, mas do esporte em geral: caratê, handebol, ginástica, basquete… O esporte desenvolve socialmente a criança, tira a criança da rua. É a nossa ambição e queremos torná-la realidade e fazer algo diferente – explica o jogador, que pretende inicialmente manter o projeto durante os quatro anos de gestão de Duarte Nogueira como prefeito e sempre com verba privada.



MaisRecentes

Copa altera o status da Seleção Brasileira masculina



Continue Lendo

Coluna: Vale prestar atenção na vizinhança



Continue Lendo

Coluna: Já esperava ver a Seleção em outro patamar



Continue Lendo