Legítimo cubano, sob a bandeira americana



Pedro Angel Leon Garcia é um dos bons exemplos da atual geopolítica mundial. Nascido em Havana, ele, como outros milhares de cubanos, deixou o país nos últimos tempos e foi morar nos Estados Unidos.

O curioso é que o árbitro aparece no guia oficial do Mundial como americano. Parte da família ainda mora na ilha caribenha, lugar que ele não pode mais retornar, com risco de ser punido por Fidel Castro, por deserção.

Tive a sorte de encontrá-lo ao desembarcar em Milão, no início da semana, ao lado do brasileiro Rogério Espicalski, representante do país bicampeão do mundo na arbitragem aqui e que apitará, na primeira fase, jogos em Reggio Calabria, sede da seleção americana.

Preferências políticas à parte, gostaria de ver a reação de Pedro, caso aparecesse na escala de algum dos jogos de Cuba, aqui em Verona.



MaisRecentes

Vaga no Mundial de Clubes em jogo neste sábado



Continue Lendo

Como a crise institucional no Sesc pode atingir o vôlei



Continue Lendo

China confirmada como sede das finais da Liga das Nações



Continue Lendo