Leal na Seleção Brasileira em 2019



Oficialmente começou a contagem regressiva para a estreia de Leal pelo Brasil.

O cubano naturalizado brasileiro teve o processo de documentação aprovado nesta quinta-feira pela Federação Internacional de Vôlei, que está reunida no Marrocos.

Desta forma, o ponta do Sada/Cruzeiro já começa o período de “carência” de dois anos para poder jogar pela Seleção Brasileira. Uma notícia e tanto para Renan Dal Zotto, que poderá convocá-lo para a reta final do ciclo olímpico para Tóquio-2020.

Ontem, em entrevista ao SporTV após o treinamento cruzeirense para a final da Superliga, o jogador comemorou a decisão.

– Não estou ansioso, mas estou um pouco nervoso. Faz muito tempo que não jogo a nível internacional. No primeiro dia que eu chegar lá, talvez sinta um pouco a pressão. Mas é normal – disse Leal.

Para o torcedor também será difícil não se empolgar com a notícia. Leal é um dos melhores jogadores do planeta, faz a diferença no Sada/Cruzeiro há algum tempo e atua numa posição cada vez mais carente no país.

Sobre a resistência de alguns jogadores, que sempre torceram o nariz com a possibilidade de ver um cubano defendendo o Brasil, não vejo solução. Eles irão aceitá-lo, já que não se trata de qualquer atleta. É um fora de série.



MaisRecentes

O “Fora, Bolsonaro!” virou mais um incêndio



Continue Lendo

12 anos. Mas parece que foi ontem em Pequim



Continue Lendo

Unir concorrentes mostra o tamanho de Rodrigo Rodrigues



Continue Lendo