Lançamento do uniforme em grande estilo



Os novos uniformes das Seleções Brasileiras masculina e feminina foram lançados com pompa e cerimônia pela Asics, na manhã desta sexta-feira.

Com direito a uma quadra montada na Praça Mauá, ao lado do Museu do Amanhã, um dos mais recentes cartões postais do Rio de Janeiro, a gigante de material esportivo reuniu craques do passado e do presente para o evento. Nova parceira da CBV para o ciclo olímpico Tóquio-2020, a Asics mostrou que pretende marcar época, algo que a Olympikus, antiga fornecedora, conseguiu fazer na última década ao apoiar o esporte.

Uma partida com equipes mistas, misturando campeões olímpicos (Bruninho, Evandro, Lipe, Lucarelli, Lucão, Eder, Maurício Souza e Douglas Souza), outro convocados para a Liga Mundial (Thalles, Tiago Brendle, Rodriguinho, Otávio, Lucas Loh, Murilo Radke, Rapha) e representantes da Seleção feminina (Natalia, Roberta, Carol, Rosamaria, Mara, Drussyla) reuniu um bom público, principalmente pessoas que passavam pela região portuária da capital carioca. Até o sol, que andava sumido nos últimos dias, deu as caras com intensidade).

A empresa também organizou uma partida com craques do passado e celebridades. Estiveram presentes Nalbert, Carlão, Fabi, Adriana Samuel, Paulão e Giovane. Malvino Salvador e Giovanna Lancelloti foram dois dos artistas mais assediados.

Os modelos de uniforme masculino e feminino apresentam diferenças no design. Por preferência das atletas, a camisa feminina é sem manga e a bermuda com compressão. Já o uniforme masculino conta com camisa de manga. As meninas usarão pela primeira vez o modelo nos amistosos contra a República Dominicana, na próxima semana, em Manaus e Belém. Já os homens vão estrear na Liga Mundial, na sexta-feira, contra a Polônia.

Uma das principais reclamações que costumo ouvir dos fãs de vôlei é a dificuldade para encontrar produtos oficiais. Uma realidade. Tanto que a CBV também já se incomodou com a presença constante de torcedores, em dias de jogos das Seleções no país, com a camisa do futebol, com aquele escudo da CBF no peito. E esse é um dos pontos que a Asics pretende atacar.

Estão previstas ativações em partidas, eventos com atletas (a Asics é patrocinadora de Bruninho, Brendle, Serginho Escadinha, por exemplo). Patrocinadora dos Jogos Olímpicos de Tóquio, a marca esportiva vê o vôlei como chave em sua estratégia.

 

 



MaisRecentes

Conheça Kadu, a novidade da Seleção nos jogos pré-Mundial



Continue Lendo

Em dia de justa homenagem por ouro em Pequim, Brasil perde a quarta seguida



Continue Lendo

Coluna: Uma semana estranha para o vôlei brasileiro



Continue Lendo