Jogo sem torcida, clássico empolgante em Minas e vitória de favoritos. A sexta da Superliga



A Superliga feminina teve uma sexta-feira animada.

A começar pelo jogo que ninguém viu, uma novidade desta edição da competição. Com o Ginásio do Tijuca sem dois laudos obrigatórios para receber torcedores, o campeão Rexona-Ades jogou com portões fechados e fez 3 a 0 no São José.

Não me perguntem como foi o jogo, por favor. Vamos apenas lamentar a principal competição de vôlei do país ter chegado a este ponto, justamente na cidade que será sede da Olimpíada, daqui um ano e meio. Este assunto será tema da minha coluna Saque de amanhã, no LANCE!. Assim deixarei a análise para publicar aqui no blog no domingão. Mas vocês já podem seguir comentando o assunto.

No jogo da TV ontem, uma agradável surpresa. O clássico mineiro entre Dentil/Praia Clube e Camponesa/Minas foi de tirar o fôlego, com o tie-break mudando de mãos várias vezes. Admito que não esperava que o Minas demonstrasse tanta resistência diante de um dos favoritos ao título, principalmente por ter contratado duas das titulares há pouco tempo: a levantadora Camila Torquette e a ponta Mari Paraíba. Por mais que ainda exista falta de entrosamento, o time de Marco Queiroga se superou e esteve muito perto de vencer. Perdeu pois do outro lado Tandara e Ramirez desequilibraram no ataque mesmo quando o passe não saiu e o levantamento de Karine ou Ju Carrijo não foi perfeito. Para incomodar os demais grandes da competição, a equipe de Ricardo Picinin precisa melhorar bastante a linha de passe, para que o meio, que não é tão matador quanto o de Molico/Osasco, Rexona-Ades e Sesi se transforme em opção. Caso contrário, vai contar com as bolas de segurança com Tandara e Ramirez sempre. E pode ser muito pouco para pensar em título. Para encerrar, mais uma vez um jogo terminou com erro da arbitragem. O ataque “errado” de Carla que deu vitória ao Praia bateu no bloqueio de Naty Martins. A arbitragem não viu e o bom jogo terminou em um erro.

Nos demais jogos da rodada, a lógica prevaleceu. O Molico fez 3 a 0 no Equibrasil/Rio do Sul, mesmo placar de Sesi x Maranhão/Cemar e Pinheiros x Uniara. No Sesi, parece que definitivamente Carol Albuquerque assumiu a posição que era de Claudinha. Em um outro post, vou colocar frases distribuídas pela assessoria do Molico sobre a disputa de posição entre Samara e Mari, outro assunto importante deste início de temporada. No Pinheiros, Rosamaria continua sendo o destaque neste bom time comandado por Wagão.



  • Léo

    Que grata surpresa o Minas. Walewska voltando ser a jogadora que estamos acostumados. Lia muito bem (apesar de ser instável), Carol Gattaz segura, Mari Paraíba com bola de segurança (acreditem).
    O Praia ganhou o tie break mais pela insegurança do Minas do que por méritos. Além de um erro crucial do segundo árbitro que não viu o toque no bloqueio.
    Enfim, a sensação que fica é que se o Minas tivesse uma ponteira matadora o time poderia alçar planos maiores.

  • Paula Cerqueira

    O jogo foi bom. Mas, o Praia precisa mexer nesse suposto “time titular”. Sassá e Natasha titulares ñ da.
    Passou da hora d Letícia Hage e Aline terem uma oportunidade. E Ju Costa joga mais q a Sassá em todos fundamentos (passe, ataque, bloqueio).
    Sem falar q Ramirez passa melhor q a Tandara, logo, é mais lógico deixar Ramirez de ponteira e Tandara de oposta!

    • Carlos

      Eu só vi o primeiro set e o começo do segundo, infelizmente, mas eu ia dizer exatamente que Letícia Hage tem que ser titular, pois é melhor bloqueadora, disparado, que Natasha e Natália Martins, fora que ataca bolas de 1º tempo, ao contrário das outras que só atacam china. Mas o Praia, teoricamente, tem o elenco mais completo e equilibrado da Superliga, pois tem boas jogadoras em todos os fundamentos e várias opções no banco, com jogadoras com diferentes características em cada posição. O problema maior é o técnico saber encaixar as peças e saber fazer as substituições certas, nas horas certas.

  • “Doidinha por vôlei”

    Pela ordem:
    1. Incrível que na cidade dos Jogos Olímpicos de 2016 tenhamos jogos de dois times campeoníssimos como Flamengo (basquete) e Rexona (vôlei), sem a presença da torcida.
    2. Terrível que no jogo da TV, “um jogaço”, terminasse com mais um erro da arbitragem! Gente a Superliga ainda nem começou e os juízes já mudaram o resultado de dois jogos. Aliás quem são os dois juizinhos horrorosos que colocaram num jogo deste? Eles são de onde, acompanho a Superliga há anos e nunca vi estes caras apitando, com a palavra dona CBV.
    3.O Osasco ganha do Rio do Sul, como ou sem Mari, em Osasco e em Rio do Sul também. Pinheiros do excepcional Wagão, vai ganhar sempre do Uniara e a campeã olímpica Carol Albuquerque não pode ser banco de “Claudinhas” no SESI.

    • Zelirbem

      A Carol A. só não comete infração de 3 toques ao executar o levantamento, porque não tem 3 mãos, é incrível como ela levanta bolas ruins, ela não pode é ser titular em cima da Claudinha. O Zé conseguiu manipular o público com as broncas dele.

  • paulittus

    O Minas precisa melhorar na defesa… muitas bolas caíram muito próximos a Carla e ela não defendeu… A Camila Torquette também precisa errar menos!!! Não entendi as entradas da Jú Nogueira!!! Mas o time está bem, gostei do que ví, torcendo muito aqui pra Jaqueline vir também, o time ganha no passe, defesa e alguns cm no bloqueio!!! Torquette, Lia, Gattaz, Walewska, Mari, Jaqueline e Tica!!! Já gosto!!!

  • Marcio Fu

    O que mais me alegrou no jogo do Minas foi perceber que, diante de um time bem melhor que o adversário da primeira rodada (Pinheiros), conseguimos fazer muito mais pressão. O time ainda precisa de uns ajustes (não sinto tanta confiança na Lia, para mim ela é sempre uma Ivna canhota), mas acho que podemos fazer os grandes passarem muitas dificuldades.

  • paulittus

    Achei que a Lia estava instável, porém o que faltou pra ela foi um entrosamento melhor com a Camila Torquette, as bola na saída de rede com a Lia devem ser encurtadas e mais velozes e na entrada da rede mais alongadas por ela ser canhota, as bolas da Walewska e Gattaz estavam um pouco baixa!!! Mas o time ainda pode crescer!!! Alguém sabe se a Jaqueline vem mesmo ou como andam as negociações????

MaisRecentes

Bauru garantido nos playoffs. Uma vaga em jogo



Continue Lendo

Vaga no Mundial de Clubes em jogo neste sábado



Continue Lendo

Como a crise institucional no Sesc pode atingir o vôlei



Continue Lendo