Jaqueline fala sobre gravidez, futuro e a reação de Murilo e Zé Roberto



A ponta Jaqueline concedeu uma entrevista para a Revista Época, após revelar que está grávida. Confira na íntegra o que a esposa de Murilo contou sobre a interrupção que a carreira irá sofrer um ano antes da Olimpíada de Londres.

Você tem uma carreira marcada por interrupções de todo tipo. Profissionalmente, como você encara essa nova interrupção?
É minha maior conquista, diferente de tudo que eu passei lá atrás, que foram momentos difíceis. Agora está sendo o contrário, é uma coisa que está me valorizando como mulher, com pessoa, é o melhor momento da minha vida. Tudo que passou foi sofrimento, agora é só alegria. Não sei o que vai acontecer daqui pra frente, como vou estar fisicamente, como vai ser o retorno. Posso dizer, com certeza, que eu estarei motivada. Depois de tanto tempo sem treinar, vou estar com muito mais força.

Quando você planeja voltar?
Jaqueline – Vou tentar voltar nas finais da Superliga, não sei onde, mas vou tentar. E, se for convocada para a seleção, vou voltar.

Está pensando em alguma preparação especial para não perder a forma durante a gravidez?
Vou cuidar da alimentação pra não engordar muito. Mas não deixo de comer nada que eu gosto. Todo atleta tem uma alimentação diferenciada e eu evito doces e frituras. Ainda não tive desejos, mas já andei fazendo umas brincadeiras com o Murilo e ele não caiu muito não. Ele disse que eu podia pedir algo a ele de meia em meia hora. Domingo pedi a ele uma mexerica.

Acha que foi a hora certa?
Acho que sim, porque antes disso teria sido uma grande falta de respeito com meu time, minhas colegas e meu treinador. As coisas aconteceram exatamente quando meu contrato com o Sollys/Osasco tinha acabado e antes de começarem os trabalhos na seleção. Não deixei ninguém na mão.

Qual foi a reação do José Roberto, o técnico da seleção?
Ele gritou no telefone.

De raiva?
Não, de felicidade! Porque ele sabia que eu queria ter filho, que queria formar família. Ele só brincava que eu deveria deixar para ter filhos depois de 2012 das olimpíadas. Quero voltar à seleção? Claro. Mas mais importante é o que está acontecendo comigo agora. Já ganhei uma olimpíada, quero ganhar outra, mas sou realizada tanto na parte profissional quanto na minha vida pessoal.

Como você conheceu o Murilo?
Eu estava nas categorias de base e ele também, eu com 15 anos e ele com 17. Ele foi assistir a um jogo com uns amigos dele, me viu e foi pedir meu telefone pra uma das minhas amigas. Eu dei, mas ele demorou três meses pra me ligar de tão tímido. Ficamos um, duas vezes e eu não queria mais ficar, queria namorar. Começamos a namorar e estamos juntos até hoje, 12 anos depois.

Como percebeu que estava grávida?
Estou na sexta semana, não sinto ainda nada, só um pouco de sono. Descobri porque tinha atrasado minha menstruação e não sabia o porquê. Pensei que faria um exame depois do campeonato para não parar nada. Fiz um teste de farmácia e depois o exame de sangue.

Era preciso parar mesmo?
Era, porque, no vôlei, nós temos muito impacto, é correria o tempo inteiro, atrito entre as jogadoras. É perigoso, sim. Nada que fosse me afetar, mas preferi tomar cuidado. A Paula Pequeno é um exemplo de mulher que jogou até os quatro meses de gestação e não teve problema nenhum.

Era planejado?
Sempre sonhei em ter uma família, só não imaginava que fosse agora, estava pensando depois das olimpíadas de 2012. Mas já que Deus me deu agora, vou aproveitar o momento, quero aproveitar todos os meses, é algo único.

Qual deve ser a sua rotina?
Nos três primeiros meses quero cuidar de mim e do bebê, depois quero fazer alguma atividade como hidroginástica. É a primeira vez, desde que comecei a jogar vôlei, que eu vou ficar parada, então não sei como vai ser. Eu estou curtindo tanto o momento que eu esqueci do vôlei. Mas acho que no próximo mês vou começar a sentir. Não quero ficar na rotina de casa. O Murilo está viajando muito, então vou aproveitar para trazer minha família para São Paulo para ficar comigo. Ainda está tudo muito louco na minha cabeça, faz só duas semanas que eu soube da gravidez. Vou tentar fazer tudo que não podia quando estava treinando.

Quando você contou para o Murilo?
Eu soube um dia antes do aniversário dele. Tentei guardar ao máximo guardar e segurar a informação, e consegui! No dia do aniversário dele, imprimi o resultado e dei pra ele de presente. Acho que foi um dos melhores presentes da vida dele.

Em geral, as mulheres param a carreira pelos filhos, os homens não. Isso te incomoda?
Não. É um momento pelo qual toda mulher passa. E já ouvi homem se lamentar que não podia experimentar esse momento… O Murilo mesmo outro dia estava enjoado e com desejos… Acho que às vezes eles sentem um pouco grávidos também.

Você já morou na Itália e na Espanha. Comparando as condições de um atleta na Europa e no Brasil, você acha que estamos preparados para 2012?
Sim. O trabalho que temos aqui no Brasil é mais forte. Nós treinamos mais do que jogamos. Lá eles me colocaram para jogar desde o primeiro dia, não existe tanta ênfase na preparação física, o que é, na minha opinião, importante. Tive que me adaptar muito rápido. Aqui, eles preferem guardar a jogadora para um jogo importante. Acho que os incentivos, os campeonatos, aqui, melhoraram muito, com a vantagem de que estou perto da minha família. Posso dizer que dá para viver disso aqui no Brasil.

Você é uma mulher bonita e tem um forte apelo sexual. As mudanças com o corpo preocupam?
Nada! Eu vejo mulheres que engravidaram e voltaram melhores ainda. Acho que a mulher tem que se gostar. Isso não vai afetar a minha cabeça. Pelo menos é o que eu penso, mas nunca tive filho. Não sei se daqui a quatro meses, quando começar a alargar o quadril, crescerem os peitos, a bunda, se eu vou falar a mesma coisa…

Você já fez ensaio sensual. Posaria nua?
Hoje em dia não. Sou casada, vou ter um filho… Acho que não faria mais para preservar meu marido e meu filho…

O Murilo tem ciúme de você?
Não, ele é supertranquilo. Assim como eu também sou, porque ele é um homem bonito, tem muita mulher que dá em cima. Acho que o mais importante é o respeito. Por enquanto ele nunca me deu motivo para ficar com ciúme



  • Afonso (RJ)

    Muito bonitinha a entrevista com as perguntas tradicionais e as respostas politicamente corretas, mas podemos resumi-la em três palavras:
    “Foi planejado? – Não.”

    Tem muita gente questionando se esse seria o momento oportuno, tendo em vista a proximidade das Olimpíadas. Acho que como atletas de ponta, tanto a Jaqueline quanto o Murilo acabam por se tornarem figuras públicas o que fatalmente os torna alvo de críticas e comentários, alguns até válidos, mas a maioria não. Mas, no frigir dos ovos, trata-se de decisões de vida que só a eles compete tomar.

    Podemos até lamentar a ausência temporária da Jackie nas quadras, mas no final só nos resta mesmo respeitar suas escolhas e desejar-lhe muitas felicidades e um breve retorno.

  • Lukas

    Comprei a Revista por causa da Jaque! Amo essa jogadora, e torço por ela em qualquer circunstância!
    Torço para que ela volte, e volte ainda melhor!

MaisRecentes

Definidos os grupos do Mundial masculino de clubes



Continue Lendo

As quartas de final do Paulista masculino



Continue Lendo

Bruninho e Renan analisam conquista



Continue Lendo