Itália vai de Bonitta em 2016



Campeão mundial com a seleção feminina da Itália em 2002, Marco Bonitta voltará ao comando da Azzurra para o ciclo olímpico que terminará no Rio de Janeiro em 2016.

O treinador foi o escolhido para assumir o time, após uma série de rumores sobre outros nomes. Giovani Caprara e o brasileiro Marco Aurélio Motta foram dois deles.

A passagem de Bonitta pela Itália começou em 2001 e de cara conquistou a medalha de prata no Europeu do mesmo ano. Na temporada seguinte, surpreendeu ao vencer na Alemanha o Campeonato Mundial. Para os mais novos, não custa lembrar de que o Brasil vivia uma crise e várias atletas não aceitaram a convocação de Marco Aurélio Motta para a competição. Bonitta se manteve no comando da Itália até 2006. No seu currículo também consta uma passagem pela seleção feminina da Polônia, entre 2007 e 2008.

Bonitta  comanda atualmente o Ravenna, time masculino da Primeira Divisão. Antes, passou por times pequenos, como Taranto e Cavriago.

Uma escolha que não deixa de ser surpreendente. Alguns amigos italianos defendiam Giovanni Guidetti para o cargo. Ele, porém, renovou recentemente seu contrato com a seleção feminina da Alemanha.

 



  • Iuri

    Daniel, é bom recordar que ele saiu da seleção perto do mundial de 2006 porque as jogadoras ameaçaram boicote. Elas não vinham se dando bem com o técnico, principalmente a Piccinini que tinha sido inclusive cortada no GP um ano antes. O Barbolini assumiu o time na época, e de certa forma, chegou ao 4o lugar no mundial, o que foi um bom resultado pra Itália. Vamos ver se essa volta dele não causa problemas com as principais e veteranas: Piccinini e Lo Bianco.

    • carlos antonio pereira

      Vamos ver qual será a linha de trabalho dele. Acho que nenhuma das jogadoras veteranas tem mais voleibol para bater de frente com o treinador , nem mesmo a Lo Bianco , considerando os péssimos resultados que tiveram nos últimos torneios. Gioli e Piccinini não devem ser mais convocadas pelo baixo rendimento e idade. O Problema é que as opções são bem escassas. Del core é somente regular e já passou dos 30 a algum tempo. As melhores opções são a Costagrande que voltou a jogar em alto nível e as irmãs Bosetti. Falta ainda uma ponteira mais porradeira , mas dos jogos que vi do Italiano nenhuma tem essa característica. A Diouf vem crescendo muito e deve ser a oposta titular. Em um jogo arrebenta e em outros joga mal demais. Falta um pouco de velocidade e com um block forte torna-se presa fácil. Arrighetti é uma das centrais titulares, para a outra vaga tem várias opções , mas todas bem comuns. O Brasil tem uma série de centrais bem melhores. A única posição que a Itália tem sobrando em qualidade é libero.

      • Iuri

        O tempo da Lo Bianco realmente ja passou, mas eu acho que a Piccinini ainda tem nivel pra seleçao sim. Nos ultimos anos, tem jogado bem e ganhou muitos titulos pelo Bergamo nas ultimas temporadas q atuou por la. Vamos aguardar.

        • Matheus

          Nossa nos ultimos anos quando ?
          Pra mais de cinco anos atrás isso , época em que até Paula Pequeno e Giba jogavam bem…
          o auge dessa atleta já passou e faz muito tempo

          • iuri

            Nem falei que ela esta no auge. Alias, pra uma jogadora ir pra selecao ela obrigatoriamente precisa estar no auge? Se for assim, cada jogador so joga pela selecao por 3 ou 4 anos no maximo. Eu acho q ela tem nivel sim de seleçao, principalmente perto das opçoes que a Italia tem. Sinceramente, ela ainda joga muito mais do que a Paula estava jogando na epoca de Londres, por exemplo.

          • Francisco Lopes

            Iuri,

            Desculpe-me mas a Itália, se quiser vislumbrar algum futuro, tem que se livrar dessas múmias de uma vez e apostar na juventude. Francesca já teve seu tempo e jogou muito quando esteve bem fisicamente. Já são mais de 3 anos que a Piccinini não chega longe em seu clube, sem esquecer que o próprio Italiano hpje é o quarto ou quinto campeonato do mundo, bem longe do nível de outrora.
            O Brasil teve a sorte/competência de fazer boas transições entre gerações. A Itália não. Ou o time aposta nas Bosettis, Diouf e deixando uma Arrighetti e Costagrande como pilar ou vai pagar mais um mico daqueles que só elas dão em 2016.

  • Carlos

    O Guidetti fez bem em continuar na Alemanha, as jogadoras a disposição são bem limitadas, mas dá para ver que é um grupo bem unido, diferente da Itália onde o problema da vaidade paira a seleção.

    A seleção feminina da Bulgária também trocou de técnico, e olha que por lá as coisas estavam indo bem, participação no GP, classificação para o Mundial e única equipe a derrotar o Brasil ano passado…

  • Matheus

    Acho que só juntando Zé Roberto, Karch Kirally e Karpol
    pra resolver essa péssima seleção italiana…
    Daniel você sabe se a Lo Bianco, Gioli voltam a vestir a camisa da seleção ?
    E se a Serena Ortoloni voltou a jogar , dpois da gravidez ?

    • Daniel Bortoletto

      Qualquer resposta antes de o Bonitta assumir será prematura, Matheus

    • carlos antonio pereira

      A Ortolani já retornou e atualmente defende o Busto Arsizio. Foi sacanagem o careca ( Barbolini) te-la cortado dos jogos olímpicos levando todas as atacantes com as mesmas características ( Lúcia , Caterina , Costagrande , Del Core e Piccinini) . Depois nenhuma delas conseguia virar as bolas mais importantes , típicas de uma oposta. Quanto a Lo Bianco e Gioli acho que já deu né? Renovação é preciso , mas como o time precisa de renovação e as atacantes são muito jovens imagino que ele deve tentar levar a Lo Bianco ou a Ferretti.

  • klaus

    Daniel, você sabe o que está fazendo o Marco Aurélio Motta?Desde a sua saída da seleção turca, não tive mais notícias .Acho ele um técnico muito bom e a CBV deveria colocá-lo novamente para treinar as categorias de base da seleção feminina.Não gosto do trabalho do Luizomar de Moura e de outros técnicos da base ,exceção feita ao Piccinin.

  • Rafael Pais Fernandes

    Onde a Gioli tá jogando? Acho que ela, a Lo Bianco e a Del Core podem integrar a seleção, por falta de opção. A levantadora ainda é a principal do país, e a ponteira e a central podem ser bastante úteis tb. Quem tá virando bola ultimamente na Itália são as irmãs. Se a Ortolani estiver bem, um time com Lúcia-Costagrande (Del Core-Catherina), Lo Bianco-Ortolani (Diouf), Arriguetti-Gioli e Cardullo é razoável. Elas vão jogar em casa o Mundial, não vão arriscar tanto. Mas não sei se sobra espaço pra Picci.

  • Rita C.P. Cruz

    Desculpem-me mas quem disse que o tempo da Eleonora Lo Bianco já passou na seleção equivoca-se. Tenho acompanhado a atuação dela no Galatasaray e no CEV CL e, para mim, Eleonora é a melhor jogadora italiana na posição de levantadora e uma das cinco melhores do mundo. O próprio JRG acha que ela é uma jogadora completa. Não sei se ela terá vez pois, ao que soube, ela foi uma das que bateram de frente com Marco Bonitta em 2006 devido à truculência com que ele tratava as jogadoras. Renovar é preciso, sim, mas vimos no que a renovação do Mencarelli deu. Um time pífio que não chegou a lugar nenhum. E olha que ele chamou Arrighetti, Costagrande, Bosetti, Guigi das veteranas. Quanto às levantadoras italianas mais jovens temos a Signorilli, a Caracuta, a Ferretti entre outras. Mas eu acho que o técnico não pode abrir mão do talento de uma levantadora como é Eleonora, ou de uma Gioli, de uma Piccinini e de outras veteranas devido a desentendimentos do passado. Se ele levá-las e completar o elenco com as mais jovens aí sim ele terá um bom elenco, com condições de disputar títulos daqui até as Olimpíadas. Sem falar que para várias delas será a última oportunidade de servir ao seu país. Por tudo que elas já fizeram pela Azzurra creio que Eleonora e compania deveríam ser convocadas, até como forma de homenageá-las pelos bons serviços prestados à pátria. Sem querer criar atritos, foi muito triste para mim ver a Mari ser cortada da seleção em 2012 por causa de divergências entre JRG e ela e ver a Natália cuja performance se resumiu a entrar, sacar, voltar pro banco, ganhar uma medalha de bi campeã olímpica no lugar da que fez tanto pela nossa seleção. Será que o Bonitta vai fazer a mesma coisa com as divergentes de 2006? Espero que não. Quem perderá será o público que será privado de vê-las atuando com a camiseta azul pela última vez.

MaisRecentes

Vaivém: Jaqueline no Hinode/Barueri



Continue Lendo

Cai o primeiro técnico após UMA rodada da Superliga



Continue Lendo

Luizomar e Rizola não conseguem vaga no Mundial



Continue Lendo