Irmã de goleiro que jogou a Copa do Mundo de futebol desponta no vôlei



No esporte, o sobrenome Courtois ficou famoso graças às defesas do goleiro belga, titular na última Copa do Mundo de futebol e que se transferiu nesta temporada do Atlético de Madrid (ESP) para o milionário Chelsea (ING).

No vôlei, aos poucos, a família Courtois também começa a ganhar reconhecimento internacional. Valerie, 23 anos, é líbero da seleção da Bélgica, estreante no Grand Prix e que chegou à fase final da competição.

Ela é pouco menos de dois anos mais velha do que o irmão Thibaut e seguiu os passos dos pais. Tanto Gitte e Thierry foram jogadores profissionais de vôlei. Na infância, o goleiro também arriscou saques e ataques, como vocês podem ver neste vídeo que achei na internet. Pelo viagem que ele arriscou e por possuir 1,99m, até que poderia ter feito carreira no vôlei…

– Como nossos pais foram jogadores de vôlei, as crianças jogaram também. Thibaut jogou uma temporada por um time belga, quando tinha 11 anos. Mas ele já havia começado com o futebol, aos oito. Aos 12, resolveu focar no futebol. Ainda assim, ele gosta muito de vôlei e durante as férias de verão ele joga vôlei de praia com a família. Ele é muito talentoso – conta a irmã-coruja.

Valerie não teve a mesma “sorte” do irmão no quesito estatura e parou no 1,70m. E assim podem chamá-la de baixinha. Por isso, acabou optando pela função de líbero. Pelos “Tigres Amarelos”, apelido da seleção belga, ela teve como grande momento o último Campeonato Europeu, em setembro de 2013, na conquista da inédita e surpreendente medalha de bronze, vencendo a Sérvia. De quebra, ela foi eleita a melhor líbero da competição, premiação individual que atletas belgas nunca haviam recebido. E daí você pode pensar que ela conseguiu uma transferência internacional e passou a jogar em grandes ligas? Errado.

Os irmãos atletas belgas

Os irmãos atletas belgas

Valerie resolveu passar um ano sem defender clubes, dedicando-se aos estudos na área de engenharia.

– Eu já havia tomado essa decisão em janeiro de 2013. Eu poderia ter mudado de ideia após o Campeonato Europeu, mas mantive meus planos originais para finalizar meus estudos – contou a líbero, que ao menos manteve sem atividade durante o período sabático, treinando por clubes do país para manter a forma física.

A relação com o irmão goleiro sempre foi próxima, principalmente pela faixa etária de ambos. Sempre que pode, Thibaut acompanha os jogos de Valerie. E ela faz o mesmo. Ela, por exemplo, esteve presente na surpreendente classificação do Atlético de Madrid, na Liga dos Campeões da temporada passada, diante do poderoso Barcelona. A retribuição do irmão mais novo aconteceu meses depois, quando ele começava a retomar a carreira após a pausa para os estudos.

Será que o irmão vai dar uma espiadinha no Campeonato Mundial da Itália, no próximo mês? A irmã, que fará sua estreia em uma competição deste porte, espera que sim.

 



MaisRecentes

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo

As duas formas de ver o novo Sesi



Continue Lendo