Coluna: O efeito Hooker no Minas



Coluna Saque deste dia 19 de fevereiro, volta ao assunto Hooker no Minas.

No dia 20 de novembro, usei este espaço para escrever sobre a contratação de Hooker pelo Camponesa/Minas. A festa na apresentação havia sido bacana, o nome da americana tem peso no cenário internacional, a torcida estava empolgada. Mas, encerrei o texto com a seguinte ressalva: “A pergunta do milhão agora é: qual o impacto que Hooker terá em quadra? Atualmente, o Minas está no segundo escalão da Superliga. Rexona-Sesc, Vôlei Nestlé e Dentil/Praia Clube são os favoritos, possuem os maiores orçamentos, o maior número de selecionáveis e são os últimos invictos após quatro rodadas. Logo depois aparece um bloco equilibrado com Terracap/Brasília, Genter/Bauru, Flu, Pinheiros e o próprio Minas. Hooker, 29 anos, tem currículo para ajudar o Minas a ser a quarta força da temporada. A dúvida fica sobre o tempo que precisará para estar 100% técnica e fisicamente à disposição de Paulo Coco. No último ciclo olímpico, Hooker deu um tempo no vôlei para ser mãe. Agora busca reerguer a carreira para reviver seus melhores momentos. Ela e o Minas têm muito a ganhar”.

E três meses depois é possível escrever que Hooker mudou o Minas de patamar. Na sexta-feira, ela marcou 20 pontos na contundente vitória sobre o Vôlei Nestlé por 3 a 0. Dias antes, ela ganhou o prêmio de melhor em quadra no triunfo sobre o Terracap/Brasília por 3 a 1, marcando 26 pontos.

Hooker no bloqueio na ponta (Orlando Bento)

Hooker no bloqueio na ponta. Americana mudou patamar do Minas na Superliga (Orlando Bento)

Fisicamente, Hooker vive uma das melhores fases da carreira. E tem feito questão de mostrar os músculos nas redes sociais. Tecnicamente está bem mais entrosada com Naiane, com a confiança em alta e assim se transformando na definidora que passou a dividir a responsabilidade dos momentos decisivos com Rosamaria. E, para completar, ela começa a ver Jaqueline, que chegou por último, no fim de 2016, começar a ganhar espaço no time titular.

O Minas, que no primeiro turno chegou a ficar fora do G8, deu uma arrancada espetacular e já se encontra em quarto lugar. São 36 pontos, dois a mais do que o Genter/Bauru e quatro à frente do Brasília. Com quatro rodadas a disputar até os playoffs, dá até para sonhar com uma posição melhor. Dentil/Praia Clube tem 43 pontos e o Vôlei Nestlé, 42. O time de Paulo Coco ainda receberá Fluminense e Renata/Valinhos e sairá para jogar contra Praia e Rexona-Sesc. Os dois duelos fora serão excelentes termômetros para medir o ímpeto do Minas nos playoffs.



  • #Volei #SPFC #Speed

    Ao mesmo tempo que a Hooker passa a ser a bola de segurança do Minas, a Rosamaria começa a cair de produção. Não me espantaria se a camisa 9 terminar a Superliga na reserva, o que é bem provável que aconteça. E tem quem diga que ela merece seleção. Me poupe, se poupe e nos poupe! Cavalo paraguaio não tem vez!

MaisRecentes

Dia de aplaudir o Zenit Kazan



Continue Lendo

Praia x Minas e Sesc x Vôlei Nestlé. Quer mais?



Continue Lendo

Agora líbero, Murilo volta a ser relacionado após 8 meses



Continue Lendo