Giba é operado. Médico diz que intervenção foi um sucesso



Terminou a cirurgia realizada pelo ponta Giba nesta segunda-feira. O próprio jogador já se manifestou via Twitter e publicou uma foto no hospital:

– Todas as pessoas que rezaram e oraram por mim!! MUITO OBRIGADO ! Já acabou ! UFA !!! Pronto pra outra!

Giba após realizar cirurgia na tíbia

Segue abaixo o release divulgado pela CBV sobre a cirurgia. O prazo de retorno é entre dois e três meses, algo que não prejudicaria a participação na Olimpíada de Londres.

O ponteiro da seleção brasileira e da Cimed/SKY, Giba, passou por cirurgia na tíbia, no Rio de Janeiro, e, após cerca de duas horas de duração, o procedimento foi concluído com sucesso. Giba sofria com dores na canela esquerda há aproximadamente cinco meses e a decisão de operar neste momento foi tomada em função do tempo necessário para a recuperação do atleta antes dos Jogos Olímpicos de Londres, em junho deste ano.

Giba foi operado pelo médico da seleção brasileira, Ney Pecegueiro, que afirma que tudo correu como planejado.

– A cirurgia foi um sucesso e tudo aconteceu como esperávamos – afirmou Pecegueiro, explicando o que foi feito durante a cirurgia. – Colocamos uma haste de titânio por dentro do osso. Essa haste é presa com parafusos e ela imobiliza o osso por dentro. Isso faz com que a fratura consolide e propicia que possamos acelerar um pouquinho a volta aos treinamentos. Quer dizer, não precisamos esperar colar totalmente para começar a se preparar, pois como está fixado com essa haste, nos dá a liberdade de cada vez ir intensificando os treinamentos mesmo antes da fratura colar totalmente – explica Ney.

A haste mencionada pelo médico tem o tamanho do osso inteiro.

– Ela entra por cima do joelho e vai até o tornozelo. Fixa o osso de cima até embaixo. Com isso, a tíbia fica 100%, a fratura consolida e a gente espera que, desta forma, o problema esteja resolvido – diz Ney Pecegueiro.

A previsão de retorno do capitão da seleção brasileira aos treinos é de dois meses. Ney Pecegueiro ainda calcula um prazo de três para que Giba esteja liberado para jogar. Antes disso, o jogador passará por um processo de recuperação.

– Ele deve ficar de duas a três semanas com o auxílio de muletas, com carga parcial, ou seja, pisando com um pouco do peso e, em torno de três semanas, fazemos novos controles de radiografia. Conforme for, já passamos a intensificar o trabalho – detalha Ney Pecegueiro.

 



MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo