França sai da Série B, é campeã e mostra muita força



Pela primeira vez a Liga Mundial tem um campeão vindo da “Série B”. Neste domingo, a França derrotou a Sérvia, no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, por 3 sets a 0, parciais de 25-19, 25-21 e 25-23.

E não quero desmerecer o inédito título francês com esse lead, que fique claro. Para quem não está tão por dentro do regulamento da competição, uma explicação: nos últimos anos a FIVB inflou o número de participantes da competição, criando três divisões e permitindo que o vencedor da segunda tenha a possibilidade de participar das finais com os destaques da primeira no mesmo ano. E foi isso que a França fez, na bola, em 2015, apenas cumprindo o regulamento, que não me agrada, que também fique claro.

Franceses antes da final no Rio (FIVB Divulgação)

Franceses antes da final no Rio (FIVB Divulgação)

Na primeira fase da Série B, ela atropelou Japão, República Tcheca e Coreia, vencendo os 12 jogos disputados e se credenciando para a etapa decisiva da “Segundona”. Na sequência, fez incontestáveis 3 a 0 sobre Argentina e Bulgária, se garantindo entre os seis finalistas (os outros cinco jogaram na elite). Já no Rio de Janeiro, a França venceu Brasil, Polônia e Sérvia, perdendo apenas para os EUA, no jogo que eliminou os donos da casa.

Regulamento à parte, o título coroa uma seleção que está em franco crescimento no cenário mundial. E ainda tem muito espaço para evoluir. O técnico Laurent Tillie possui uma geração jovem e talentosa nas mãos, incluindo o filho Kevin (24). O líbero Grebennikov, o melhor da posição atualmente, fará 25 anos no próximo mês. O levantador e capitão Toniutti fará 26 em outubro.  O ponta Ngapeth, o termômetro do time, tem 24 e um longo caminho a percorrer ainda. Le Goff e Le Roux, os centrais, possuem 23 e 26, respectivamente. O “tiozão” dos Bleus é o oposto Rouzier, que fará 29 no próximo mês.

E esse time vem jogando um vôlei de gente grande. Destaco principalmente o volume de jogo, que em alguns momentos me faz lembrar dos times asiáticos. A diferença da França para eles é possuir um ataque muito mais explosivo, com Rouzier e Ngapeth.

Pensando na Rio-2016, a França deu o recado para os rivais das Séries A e B do vôlei mundial. É bom tratar os Bleus como candidatos a um lugar no pódio olímpico.

 

 



  • Hebert Freitas

    Do jeito que está às outras seleções e a capacidade dos seus técnicos, eu prevejo uma derrota do Vôlei brasileiro masculino ainda nas oitavas de finais dentro de casa.
    Bernardinho está acabando com a seleção brasileira por causa do filho dele e as panelinhas que trocaram o vôlei pela vaidade.

    • Mario

      Sim realmente o problemas da selecao brasileira é o levantador kkkk quanta incompetencia kkkk

      • Hebert Freitas

        Você é muito limitado igual ao técnico Bernardinho. Kkkkkkkkkkkkkkkkk

        • Renato

          Você prever ou não, pouco importa. Já vi times subestimados chegarem longe, e até campeões. Veja o primeiro ouro olímpico do volei masculino. A nossa seleção, mesmo cambaleando, chegou em finais. Essas pessoas que preveem pra mim nada significam.

        • Marcio

          Me dica uma coisa Herbert, no momento, qual é o levantador brasileiro que ficaria no lugar do Bruno? Eu mesmo respondo, nenhum!!! Bruno é o melhor na posição no Brasil, Rafael e Willian são muito baixos, não tem bloqueio e nem defesa. Enfim, gostando ou não, Bruno é a melhor opção no levantamento. Agora, panela existe e sempre existirá em qualquer esporte coletivo, não tem jeito. Nessa seleção atual, acho que as convocações de Murilo e Serginho não tem cabimento, nenhum dos dois tem condições de atuar na seleção brasileira atual.

        • Mario

          Limitado? kkkkkkk Ainda nao entendeu que o problema de selecao é ter um atacante em menos e o passe mais ridiculo (sim serginho tambem é culpado) da liga mundial? kkk

  • Hebert Freitas

    Do jeito que está às outras seleções e a capacidade dos seus técnicos, eu prevejo uma derrota do Vôlei brasileiro masculino ainda nas oitavas de finais dentro de casa nas olimpíadas.
    Bernardinho está acabando com a seleção brasileira por causa do filho dele e as panelinhas que trocaram o vôlei pela vaidade.

  • jose herbert arujo

    E lembrando o fato inédito: Pela primeira vez uma seleção foi campeã duas vezes no mesmo ano em uma mesma competição, da 2ª divisão e da 1ª divisão. Parabens França. Jogou bonito de se ver. Agora Daniel eu acho legal essa abertura que a FIVB deu na liga mundial criando 3 divisões. Sei que existe a politicagem(que está em qualquer segmento), mas essa abertura dar chances a várias seleções que com certeza não teriam vez nas principais competiçoes mundiais como olimpíadas, mundial e copa do mundo. Veja o caso do Egito que conquistou um título inédito para o vôlei africano, campeão da 3ª divisão(para alguns não vale nada), mas para os egípcios e africanos…imagine, vencendo seleções européias, teoricamente superiores aos africanos. Mas entendo que cada um tem uma idéia a respeito. Eu aprecio este modelo da liga.

    • Cauã

      Quênia idem no feminino, muito legal a festa delas.

  • Guilherme

    Enquanto o mais velho jogador do campeão da liga tem 29 anos, a seleção brasileira joga com atletas de 40, 35, 34, 33, 32 e alguns por mais incrível q possa parecer são novatos na seleção com Riad e Evandro. Se essa situação não for suficiente para q repensemos o vôlei brasileiro, eu não sei mais oq vai precisar acontecer, talvez o rebaixamento pra segunda divisão. Já passou da hora do Bernardo ter coragem de reformular essa seleção mesmo q signifique resultados ruins a curto prazo ao invés de pensar no imediatismo de ganhar a qualquer preço comprometendo gerações futuras, até porque nem assim ele tem conseguido ganhar.

    • Guilherme

      Ou então ter a decência de reconhecer falta de condições para comandar uma reformulação e abrir caminho para alguém com novas idéias.

      • Renato

        Concordo… Mas a safra não Eh muito boa hein? Só Lucarelli? O Wallace Eh monstro, faltou ele.

  • Carol Machado

    Prezado Daniel,
    Penso que você poderia nos trazer a resposta clara e precisa para essa pergunta. Afinal, o Brasil, na liga mundial de 2004, ganhou ou não ganhou a Liga Mundial invicto? (15 jogos e 15 vitórias).

    Gostaria da confirmação dessa situação, pois em outro espaço do volei estão dizendo que a França, por ter conseguido 13 vitórias seguidas, quebrou um recorde. Até onde sei, 15 é maior do que 13, ou será que mudaram a matemática.

    • Daniel Bortoletto

      Minha matemática é a mesma da dua

    • MVP do blog

      E já ta assim? Além de ganhar o primeiro titulo, já quer fazer record…devagar com o andor né?
      Quanto ao Brasil, isso só mostra o quanto o volei está equilibrado hoje. Ainda tenho fé nessa seleção!

  • Paulo Dantas

    E o pior é que o fulano do outro blog analisa o volei com CONHECIMENTO (piada pronta) Como se não bastasse ele guardar um eterno rancor do grande técnico, uma vez que aquele teve a mulher cortada da seleção e isso ele não esquece, ele agora quer retirar as vitórias do grande técnico. Resumindo: a França teve uma excelente campanha 13 vitórias seguidas nesta liga de 2015, mas não se trata de um recorde, pois o Brasil ganhou a liga mundial de 2004 com 15 vitórias (invicto).

    • Cauã

      O analfabetismo funcional no Brasil parece ter atingido um nível absurdo, entre no site da FIVB e (tente) entender o porquê da França ser a verdadeira recordista.

      • Paulo Dantas

        Cauã, você poderia falar para nós o porquê de a França ser a recordista então?

        • Cauã

          Vou dar só uma dica: compare o formato da competição hoje, em 2004 e em 1990.

  • Alex Lima

    Lições e aprendizados:
    – USA não é essa Coca Cola toda… Da pra vencer de boa.
    – Polônia ganhou título mundial, mas não é essa Coca Cola toda.
    – Rússia, Brasil e Itália precisam urgentemente rever suas posturas táticas e técnicos.
    – Ninguém manda no vôlei mundial e qualquer seleção, dependendo do momento, pode se tornar campeã.
    – Ary Graça bunda mole medroso nem pros finais apareceu!!!! Eu não vi… Alguém viu???

    • Billy

      Concordo.Mas em relação ao Ary Graça,voce acha mesmo que ele iria vir aqui pras finais(podendo ser vaiado,etc…).Ele já está rico e morando num país de primeiro mundo.Prá quê perder o tempo dele vindo pro Brasil agora!?? Veremos o ano que vem durante os jogos 2016(Olimpíada).

  • Podem tirar Bernardinho, Bruninho, etc. da seleção, o Brasil vai continuar amargando maus resultados! A safra de novos jogadores é fraca! Fato! 🙁

  • E a liga mundial acabou e deixou algumas impressões em relação ao vôlei masculino o cenário é muito equilibrado não é só as potencias da frente que comanda Brasil Rússia USA e POLONIA ITALIA e que são as seleções que dominaram um determinado período o cenário do vôlei hoje se tem uma França Irã e crescendo como ninguém e fazendo partidas muito equilibradas com elas a própria Sérvia voltando a se encontrar como um time como todo pode ser bem perigosos a luta realmente vai ser grande pra estar nesse pódio aqui no rio. Agora vamos lá é bem verdade que USA e POLONIA não são essa coca-cola toda mas o Brasil a muito tempo está sofrendo com a carência de grandes jogadores principalmente nas pontas a base está destruída pelo pouco investimento nela assim não adianta não vai ganhar nada daqui a 5 ou 10 anos hoje estamos atuando com um ponteiro muito exigido que é Lucarelli um líbero em fim de carreira que mal passa só defende e bloqueia e sai num jogo com no máximo 5 ou 7 pontos que é Murilo a volta do Serginho vem mais pra chamar nos brios novamente essa seleção que estava passiva demais nas finais era nítido se abate muito rápido com o placar adverso e ano que vem vai precisar segurar o emocional pois do mesmo modo que a seleção está treinando muito por esse OURO as outras também querem essa cor aqui como o próprio David Lee falou logo após o bronze o resultado todo vai ser voltado pra ano que vem que é que importa a conquista dos jogos! A base tem que voltar a se a principal fonte pra conquista a carência passa por isso hoje temos o Lucarelli com 23 o Isac com 24 é o próprio Lucas Lóh que mal foi testado nessa fase final! os Estados unidos por exemplo vão ter essa base pra mais 3 ciclos olímpicos tirando o Lee é preciso muito atenção se não a tendência e decair muito e não chegar até esse pódio tão sonhado é preciso reavaliar essas preferencias internas da comissão técnica pra estar realmente os melhores..

  • Marcio

    Não tirando os méritos da França, mas ela só se classificou para as semifinais da competição, porque os Estados Unidos entregaram o terceiro set de propósito para eliminar o Brasil, ou estou delirando?

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo