Flu apronta. Sesc, Minas e Barueri agradecem



O complemento da quinta rodada da Superliga feminina mexeu com os dois lados da tabela. E graças ao Fluminense.

O time carioca conseguiu uma grande vitória de virada sobre o Vôlei Nestlé, no Rio de Janeiro, por 3 sets a 2, parciais de 19-25, 27-29, 25-20, 27-25 e 15-13.

Foi a primeira derrota do time paulista na competição e o segundo triunfo das cariocas, que haviam batido Brasília na estreia.

Tandara foi a maior pontuadora da partida, com 24 acertos. Renatinha e Thaisinha fizeram 17 cada. O VivaVôlei ficou com a levantadora Giovanna, do Flu.

Flu, de Renatinha, aprontou para cima do Vôlei Nestlé (Divulgação)

– Entramos sabendo o que precisávamos mudar. Perdemos os dois primeiros sets, mas não desistimos. Não deixamos o Osasco abrir muitos pontos de vantagem e cada uma jogou bem individualmente. Quem estava no banco e entrou mostrou que podia ajudar e o resultado não tinha como ser diferente. Foi a atitude de cada uma e a vontade de ganhar que mudou a história e fez o grupo – analisou a oposto Renatinha.

– Perdemos a chance de fechar em 3 sets a 1. Estávamos na frente no placar e a quantidade de erros no final da parcial nos prejudicou. Isso é uma coisa que não podemos deixar acontecer – analisou Fabíola.

Quem agradece pelo resultado é o trio Sesc-Camponesa/Minas-Hinode/Barueri.

O Sesc se isolou na vice-liderança com 14 pontos, um atrás do Dentil/Praia Clube, ao vencer o Pinheiros, em São Paulo, por 3 a 1: 25-23, 23-25, 25-18 e 25-19. Uma campanha digna de aplausos até aqui pela ausência da dupla de Gabis, lesionadas.

Kasiely encara o block do Pinheiros (Divulgação)

– De um modo geral, a equipe pecou no passe. Nossos erros, que foram muitos, fizeram com que o Pinheiros encostasse várias vezes. Mas, a partir do momento em que conseguimos forçar mais o nosso saque, quebramos o passe delas, facilitando nossa defesa e nosso bloqueio. Temos que melhorar no passe, mas nossas atacantes atuaram muito bem e a gente teve uma boa defesa na partida – disse Roberta, a melhor do jogo.

Já Camponesa/Minas e Hinode/Barueri encostaram no Vôlei Nestlé. A diferença caiu para dois pontos: 12 a 10. As mineiras, com Hooker saindo do banco e fazendo passagem na rede, passou pelo Bauru, fora de casa, por 3 a 1: 20-25, 25-18, 25-20 e 25-17. Rosamaria marcou 20 pontos e ganhou o VivaVôlei.

Minas venceu Bauru de virada (Divulgação)

– A partida foi definida pelo saque. A equipe que sacou melhor ficou com a vitória. Sabíamos que seria uma partida difícil. Elas jogam muito bem em casa, mas conseguimos ter uma boa atuação e as jogadoras que vieram do banco contribuíram muito para o resultado. Essa foi a vitória de um time – analisou Rosamaria.

Na véspera, o Hinode/Barueri também precisou de quatro sets para derrotar o São Cristovão/São Caetano, também fora de casa, com parciais de 25-10, 25-22, 21-25 e 26-24. Edinara anotou 24 pontos, foi eleita a melhor em quadra.

– Começamos muito bem a partida, mas depois passamos a cometer alguns erros e permitimos a reação do São Caetano. O Zé Roberto nos orientou e conseguimos reagir, buscando essa importante vitória e os 3 pontos fora de casa – disse Edinara.

Por fim, no duelo das equipes até então sem vitória, o Renata Valinhos passou pelo Sesi por 3 a 1: 24-26, 25-18, 25-16 e 25-16. O Sesi é agora o único time sem vencer na competição.

 

 



MaisRecentes

Quem fica com as últimas vagas na Superliga masculina?



Continue Lendo

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo