Fla ainda corre atrás de patrocínio para entrar no vôlei



A entrada do Flamengo na próxima Superliga masculina de vôlei ainda é uma incógnita.

O clube ainda não conseguiu encontrar patrocinadores para o projeto, que tem a Universidade Federal de Juiz de Fora como parceira. Apesar de já ter aval da CBV e dos demais clubes para participar da competição nacional na temporada 2015/2016, o Flamengo reforça que não fará loucuras dentro do seu conceito de austeridade.

– Vamos entrar caso tenhamos recursos. Sem aventuras, sempre com os pés no chão e dentro da política que o Flamengo apostou.  Hoje a situação está indefinida. Não temos um prazo para dar uma resposta, mas creio que tenhamos uma definição nas próximas duas semanas – disse ao blog Marcelo Vido, diretor de esportes olímpicos do Flamengo.

Vido vê o basquete rubro-negro como modelo para que o projeto do vôlei decole. Mas, com o mercado já pensando em 2016, ele vê muitas dificuldades.

– Estamos correndo muito atrás. Mas o mercado está difícil. Ninguém esperava que ele estivesse tão retraído, consequência do momento geral do país. O nosso marketing montou uma força-tarefa no mercado em busca deste patrocinador. Mas efetivamente o cenário, não apenas para o Flamengo, está bem complicado. Fomos muito bem recebidos pela CBV, temos o sucesso do time de basquete como exemplo… Tomara que a coisa ande – comentou Vido, reforçando que faz reuniões semanais com o staff da UFJF sobre a situação.

Caso o Flamengo não encontre mesmo um patrocinador para disputar a próxima Superliga, a possibilidade maior é que a UFJF mantenha seu voo solo, com uma equipe mais modesta, comandada por Alessandro Fadul.

A “boa notícia” é que o mercado de atletas, que também sofre com orçamentos mais modestos dos clubes, ainda possui boas opções para a montagem atrasada de um elenco para a próxima temporada.

 



  • douglas

    Seria melhor ir para o feminino acho q os patrocínio pode gosta mais,vide q a algumas temporadas atrás a Sky e a Nestlé desmontaram interesse na montagem da equipe,além do que os gasto são menores q no masculino ,e temos mais boas opções no mercado Paula Pequeno(q é flamenguista),Tandara ,Erika e etc.

  • Riller Marinho

    Bom Daniel,
    acompanho o volei e o sou flamenguista, e torço muito para que o time vá para frente, porém acho que o flamengo deveria ter analisado isso mais cedo, não pela montagem da equipe mas pela UFJF afinal caso o flamengo desista o time deles será fraco demais, correndo o risco de ser rebaixado. Com a politica do flamengo atual eles deram um passo que pode preudicar outros envolvidos. Bom, espero que td de certo e que a parceria sai do papel para o bem do esporte.

MaisRecentes

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo