FIVB publica listas olímpicas definitivas



Já estão no site oficial da entidade os 12 atletas inscritos pelas seleções que disputarão a Olimpíada de Londres.

No Brasil, os nomes confirmados no último fim de semana. Time feminino com Natália e Tandara, sem Sassá e Camila Brait. No masculino, os 12 que treinam em Saquarema.

Dei uma passada pelas principais seleções e algumas coisas chamam a atenção.

– A fortíssima Rússia, de Gamova, Sokolova, Borodakova e Kosheleva, leva Artamonova, que completa hoje 37 anos. Experiência de sobra, mas sem a saúde de temporadas atrás. O masculino repete o expediente com Tetyukhin, que vai completar 37 anos em setembro. Ele, ao menos, deve ter mais chances de atuar.

– Apenas Turquia e Argélia, entre as mulheres, colocaram duas líberos na lista de 12. O Brasil poderá ser o terceiro, caso Natália não tenha condições físicas e seja substituída na véspera da estreia por Camila Brait. No masculino, apenas Itália levou dois especialistas em passe/defesa.

– A seleção masculina da Tunísia não tem nenhum jogador inscrito com mais de 2m de altura.  O mais alto chega a 1,98m. Pintou o time com pior bloqueio da Olimpíada? No feminino, apenas três atletas igualam ou superam a casa dos 2m: Gamova, Merkulova e Haneef.

 

 



  • Jailson

    A Rússia colocou duas líberos também: Svetlana Kryuchkova e Ekaterina Ulanova.

    • Felipe

      Itália e EUA também apresentam duas líberos. Itália com Croce e Cardullo, e EUA com Davis e Miyashiro.

  • OSA

    Este ZRG é mentiroso, ele em varias entrevista disse que iria pra Londres quem estava no momento melhor fisicamente e tecnicamante e quem fizesse uma boa temporada pelo clube

    Mas está levanda Danielle Lins, Fabi Alvi e Natalia Zilio, que fizeram uma pessima temporada em seus clubes, mau fisicamente e tecnicamente e jogadora q tá um ano sem jogar

    Mas deixou pra trás melhores jogadoras fisicamente e tecnicamente no caso de Josefa Fabiola, Camila Brait e Gabriela Braga

    Enfim não dá pra acreditar neste ZRG

  • Rapha

    Daniel, amigão, segue comentário sobre as liberos.
    As equipes de Itália (Cardullo e Croce – líbero mas vai jogar de fundo de quadra), Rússia (Kryushkova e Ulanova – líbero mas vai jogar de fundo de quadra) e USA (Davis e Myashiro – líbero mas vai jogar de fundo de quadra) vão levar 2 liberos (de alguma forma) também.

    • Ismael

      Sério ???

    • Adriano

      A China também. (Danna Shan e Xian Zhang).

  • ju

    po dava para mim ir tranquilamente
    no masculino o bom e o walace

  • Jairo(RJ)

    Daniel, você acha que dá para comentar algo diferente? Tudo já exposto, comentado, criticado etc aqui no post.
    As cartas estão na mesa. Ganha quem tem melhor jogo. Então só me resta desejar sucesso para as seleções masculina e feminina!

    • Annie

      As americanas só podem perder pra elas mesmas, se amarelarem. Mas acho difícil isso acontecer nessa Olimpíada. Elas já têm a experiência de 2008, e estão melhores do que estavam em Beijim.

      • Eduardo Pacheco

        Amarelar? Definitivamente não gosto desse termo. Todas esperam um ciclo quase interminável de quatro anos justamente pra jogar as olimpíadas. Nós no dia a dia sofremos pressões num grau bem menor do que uma final olímpica e nunca vi ninguém dizer que fulano amarelou em determinado momento de sua vida. Num jogo de vôlei o menor número de erros claro que é o ideal, só que nos esquecemos que quem provoca o erro na maioria das vezes é o adversário. É a qualidade do adversário seja no saque, bloqueio. Não acredito que uma derrota da seleção americana seja pro Brasil ou para outra equipe signifique que elas amarelaram- e que termo horroroso esse-. Simplesmente jogaram pior. Acho também a seleção americana favorita, mas não descarto em hipótese alguma nossa seleção. Melhoramos alguma coisa na reta final do último campeonato, portanto num bom dia podemos tranquilamente vence-las. Abraço

  • A Russia no masculino perdeu seu principal ponteiro, Biyriokov por lesão e jogadores chaves como Khtey e Volkov vão a meia bomba. No Brasil Murilo e Dante também a meia bomba, sem falar no Giba. O Ouro está caindo no colo da Polônia… No feminino só uma hecatombe tira o ouro dos USA, porém acredito que o Brasil e Itália possam incomodar.

    • Ismael

      Concordo com você no masculino… o ouro esta indo para as mãos da Polônia. Ainda acredito na nossa seleção para parar as americanas.

      • ju

        nao acho que ta ans maos da polonia pois olimpiadas e outra coisa quero ver eles la no jogos olimpicos jogarem demais com o favoritismo destes rs eles estão mais desgastados que as outras seleçoes

        • Ju, também não acho a Polônia isso tudo não. Brasil e Russia inteiros são superiores, o problema é que jogadores chaves passam por problemas fisicos. No caso da Russia, o Volkov, central, desde a copa do mundo só jogou o final four da champions league. Outros jogadores importantes também se machucaram e se recuperaram a pouco tempo. No caso do Brasil, Giba se recupera de uma fratura, Murilo com lesão no ombro, Dante com o joelho baleado, a Sérvia perdeu o monstro Miljkovic (por opção dele de não mais jogar pela seleção), Kazynsky pela Bulgária (briga com a federação), e a Polônia, completinha com seus jogadores voando. Agora, concordo com você que nas olimpíadas para certos jogadores a quadra fica maior, o braço encolhe, a rede parece que tem dez metros de comprimento e assim por diante. Um grande abraço.

          • ju

            matuzalem eu acho isto tbm mas o problema da polonia e que eu acho que eles desgastaram d+ na liga mundial e o kurek e o bartman que vivem se lesionando e um perigo pois podem não chegar inteiros na olimpiadas
            e alem do mais o grupo A se da mal pois pega alguem muito forte na quartas msm terminando em primeiro ou segundo do grupo pois pega uam russia brasil ou estados unidos alemanha ou servia não tem escolha

    • Jailson

      Só tem uma questão: os EUA nem jogou contra a Rússia nos últimos tempos o que deixa no ar uma certa incógnita.

      • Adriano

        Sim, e eu queria justamente tocar nesse ponto. Todo mundo aponta os Estados Unidos como franco favoritos ao ouro no feminino – e com razão, claro. Mas notem que os EUA estão numa posição parecida à que estava o Brasil em 2008: antes da Olimpíada, não tinha ganho nada tão significativos. Grand Prix’s. No Mundial, os EUA chegaram a perder o bronze para o Japão. Na Copa do Mundo, que o time tinha tudo para levar o ouro, tendo batido Brasil e Itália, presumivelmente os adversários mais fortes, elas caíram diante do Japão (novamente!) e da Alemanha, que nem se classificou aos Jogos.

        Todos têm os EUA como favoritos pelo forte padrão de jogo que eles têm mostrado. Mas, em termos de resultados, o time ainda não demonstrou ser nenhum bicho-papão. E você toca numa questão interessante, que é a dos adversários. Os EUA, desde o ano passado, têm mostrado superioridade quando enfrentam Brasil e Itália, dois dos adversários mais fortes ao ouro. Estudaram bem esses dois times, têm conseguido se impor taticamente. Já contra a Rússia, a única vez que a enfrentaram pra valer nesse ciclo, acabaram perdendo, na semi do Mundial. Não que a Rússia seja um time desconhecido, mas os EUA têm menos material dela pra estudar que dos outros times.

        Eu digo o seguinte: se os EUA não ganharem o ouro nessa Olimpíada, vai ficar tachado como um dos times mais amarelões da história, porque todos dão como certa sua superioridade técnica perante os outros, mesmo elas não tendo conquistado resultados tão expressivos até aqui – e não tendo tido, ainda, que encarar uma Rússia pela frente. Isso, do ponto de vista emocional, é uma pressão imensa. Acho, sim, que os EUA são favoritos, mas vão ter que ter uma baita força mental pra ganhar – talvez até mais que o Brasil em 2008 -, porque não se espera nada menos deles. Vai ser interessante, isso.

      • dan

        Concordo, se EUA e Rússia se enfrentarem no feminino, não tem favorito é uma incógnita. Esse time da Rússia é perigosíssimo, a gente pensa que ela estão acabadas e aí surge um campeoanto mundial e uma olimpíada e elas fazem muita gente chorar. Repito esse time da Rússia é muito perigoso, mesmo perdendo recentemente para a Turquia, é melhor não subestimar as gigantas!
        No masculino também não acho que a Polônia já esteja com ouro, eles estão se achando demais, olimpíadas é outra coisa e nos jogos do Brasil, a maioria foram de 3×2 e só um por 3×1 e palcares aprtados e que o Brasil entregou o jogo, então não acho eles tão favoritos ao ouro assim não.

  • Annie

    Se ZRG estará na dúvida até o último instante é porque Natália é dúvida, então ela não está pronta. Loucura! Era melhor apostar assim na Mari, vai que na Olimpíada acontece como no jogo contra a Itália, que a Mari ganhou um set praticamente sozinha. Se é pra arriscar, que arriscasse na Mari. Venturini deu uma entrevista dizendo que o caso da Natália é muito delicado e que se forçar, pode regredir e ela parar de jogar de vez.

    • Eduardo Pacheco

      Eu já acho que se é para apostar que seja a Natalia mesmo. Mari definitivamente não está bem nesse ano. E sinceramente. Acho que o Zé já sabe faz algum tempo que pode contar com a Natalia. Essa dúvida é mais nossa que não temos acesso as informações que ele tem.

  • Felipe

    Esqueceu de Falar da servia que perdeu: Antonjevic, Popovic, Krsmanovic, Malesevic, Molnar e Nikolic e core um serio risco de perder Brakocevic ! Manda Benzer esse time da Servia !

  • Adriana

    Sobre o volei feminino… Acho que todo mundo ficou tão eufórico (seja por raiva ou alegria) com os cortes e a convocação que esqueceu que essa será provavelmente a última vez que nós teremos a chance de ver Tom, Gamova, Sheilla, Piccinini, Paula, Sokolova e algumas outras jogadoras fantásticas competindo em uma olimpíada.
    Torcerei muito para o Brasil, mas confesso que apesar de (se assim acontecer) uma derrota brasileira, ficarei feliz se algumas de minhas jogadoras preferidas ganharem o ouro olímpico na sua última oportunidade.

    • Afonso RJ

      Muito bem lembrado. Essa olimpíada tem o jeito de final de uma era. Muitas dessas jogadoras vão deixar saudades imensas como deixaram Ana Moser, Marcia Fu, Leila, Isabel, e as cubanas Mireia, Regla Bel e aquele time peruano que agora me foge o nome das jogadoras. Só lamento a ausência nessas olimpíadas de algumas outras atletas que mesmo assim vão deixar saudades, como Manon Flier e a alemã Fürst. Vamos curtir bastante os jogos dessa olimpíada, que tenho a impressão que vários deles se tornarão inesquecíveis e entrarão para a história, independente de dar Brasil ou não.

    • César Castro

      Adriana, dessas que vc citou, acho que a Sheilla ainda chega no Rio.

      Agora vc está coberta de razão. Vão deixar saudades.

      Ainda acrescento: Takeshita (terá 38 anos em 2016), Fabi e Lo Bianco.

  • Rodrigo

    Na boa, os poloneses cresceram muito e levaram a liga com méritos!! Mas não consigo ver esse favoritismo nos jogos olímpicos!!! Estão levando essa liga mundial muito ao pé da letra e não é assim.

    E olha que o Brasil mesmo jogando ridiculamente mal fez jogos duros com polônia hein?!

    cada caso é um caso!!!

    Se bobear o poloneses caem nas quartas e quero ver os gatos mestre comentando depois…

    • klaus

      Concordo Rodrigo.Todo mundo enaltece os EUA alegando serem junto com a Rússia e Polônia os favoritos ao pódio e que o Brasil nem medalha conseguirá, mas o Brasil mesmo mal fisicamente, com os nossos três ponteiros praticamente não virando bolas e mesmo assim ganhamos um jogo por 3×1 e perdemos três no tie-break para a Polônia , enquanto Rússia perdeu jogos para a Sérvia que estava com um time muito jovem e os EUA tomaram uma surra na final para a Polônia.Falam que o Brasil se tornou freguês da Polônia , mas ano passado, na Liga Mundial a Polônia perdeu os quatro jogos que disputou contra o Brasil.Ou seja, não vou dizer aqui que o Brasil está jogando o fino da bola, mas que muito da atuação ruim do Brasil se deve aos problemas físicos e a Polônia está jogando com o time completo , em forma.Acredito na nossa seleção e mesmo que não tragam o ouro , merecem o nosso respeito por tudo o que conquistaram, mas ainda acho que temos chances.Olha a Rússia com uma péssima convocação.Está ficando mais fácil.

  • César Castro

    Daniel, vc não acha que o time da Rússia, qual o do Brasil, não leva para a quadra a mesma força que tem no papel?

    • Ismael

      Não entendi nada !!!

      • César Castro

        Ismael, eu quis perguntar se o blogueiro concorda com minha opinião, que é: o time da Rússia e o do Brasil tem uma equipe muito forte no papel, mas dentro de quadra os nomes não correspondem.

        Abraço!

  • Vinícius Crevilari

    A Artamonova jogou um bolão na Yeltsin Cup e socou a bola na quadra adversária, principalmente contra a equipe titular da Itália. Qualquer vacilo da Kosheleva ou da Sokolova, ela entra sem sombra de dúvidas.

  • Edson Pelegrino

    Qual será a seleção feminina com melhor recepção:Brasil ou Rússia??!??kkkkkkkkkkkk

  • Carlos

    vamos torcer e sofrer. Vamos ter que torcer muitooooooo para o masculino pq Lucão parece um morto vivo e Dante, virou o fio de vez. Mas temos o Wallace.

    No feminino: Dependemos da Natália soltar a mão e a Fabi voltar a ajudar no bloqueio. No mais, vamos viver nas largadinhas das meninas Sheilla e Jacque.

  • Felipe

    Exatamente, só vejo as pessoas falando dos EUA no feminino, mas estão se esquecendo da Rússia, que, inclusive no Mundial de 2010, ganhou facilmente das americanas nas semifinais. Tenho algumas dúvidas em relação ao condicionamento físico de Kosheleva e Sokolova, e isso sim pode ser um problema para as russas. Vi alguns jogos da Yeltsin Cup e, mesmo passando e bloqueando muito bem, Artamonova não tem nem 10 % do poder de ataque que ela tinha no final dos anos 90. Sem Kosheleva e Sokolova muito bem, o jogo fica muito sobrecarregado em Gamova. Quanto aos EUA, é claro que o maior trunfo do time está no banco. Hugh Muccutcheon é um gênio, disparado o melhor técnico do mundo. Se no final do ciclo olímpico passado ele deu um baile tático em cima de Bernardinho, agora tem sido a vez de Zé Roberto sofrer do mesmo mal. Algo de novo tem de ser tentado e imagino que pelas últimas atitudes de ZRG ele deva estar com esse pensamento, porque se o Brasil fizer mais do mesmo, é derrota na certa para as americanas.

  • Luciano

    No feminino acredito que podemos até subir ao pódio, pois bem treinadas e com um certa experiência pode fazer uma diferença. Mesmo porque se falarmos sobre condição física, o que é primordial para um bom desempenho.
    No masculino vejo que as dificuldades são mais extremas e vale ao meu ver numerá-las:
    1- As condições físicas de jogadores essenciais como Giba, Dante, Murilo, Vissoto nada mais nada menos que jogadores de conclusão, e o mal momento que passa o Lucão;
    2- Apesar de gostar muito do Ricardinho admito que sua precisão e tb condição física não o ajudam nesse momento e a incostância do Bruno atrapalha(como por exemplo acionar jogador na hora errada e repetir jogada, sem contar que em momento de decisão a bola de segunda dele é a pior);
    3- Nosso bloqueio não funciona, chega atrasado sempre e a defesa não pode conseguir todas;
    4- No cenário mundial nossos pontas são os mais baixos e lentos, e nosso oposto principal com 2,12 que deve ser o mais alto dos jogos olímpicos e o pior entre todos levando tocos e mais tocos, dando largadinhas e errando absurdo;
    5- Acredito que um dos grandes erros do masculino e no feminino pode ser amenizado, é justamente o fato dos próximos jogos serem aqui no Brasil e não estar indo pelo menos dois jogadores que poderão fazer a diferença daqui a 4 anos ( no feminino a Natália se for estará com 25 anos e poderá render muito, a Tandara também – no masculino não tem nenhum, pois o Wallace é uma realidade atual e daqui a 4 anos ele estará com 28 ou 29, Bruno com 30, Thiago Alves com 31, Lucão com 31, Sidão com 33, portanto o que poderá acontecer é que ou jogaremos com trintões, ou com uma seleção onde a maioria dos jogadores fará sua primeira apresentação olímpica, vamos pensar né..)

  • Mauricio

    Daniel, a Artamonova virou titular no time russo desde a derrota pra Turquia no Qualificatório Europeu, quando a Sokolova fez uma partida medonha. A Artamonova ainda possui um ótimo bloqueio, um ataque de respeito na entrada de rede (embora ela não tenha ido tão bem na Yeltsin) e bom fundo de quadra. Ela só volta pro banco caso a Sokolova volte a jogar como no último Mundial. E se isso acontecer, com a Goncharova e a Gamova voando como estão, eu quero ver as americanas aguentarem a pressão do jogo russo.

  • tuliobr

    Daniel e leitores, não posso falar de vôlei masculino por não acompanhar com maior interesse, mas no feminino os sinais apontam a possibilidade de uma Olimpíada de nível técnico sofrível. Dos times top 10 só as americanas tiveram atuações convincentes com alguma regularidade nas últimas duas temporadas. O Brasil é este caso já fartamente discutido por aqui, perdeu a primeira posição no “ranking” e não venceu recentemente nenhuma competição de alto nível. China mudou várias vezes de técnico e depende muito da Bebezão, às voltas com problemas físicos. A Rússia bateu cabeça tentando ser o que não é sob o comando do Caprara, voltou para o esquema Karpol mas, assim como a Itália, basta ver a idade média do time para constatar uma séria dificuldade de renovação de nomes e métodos. Cuba espelha o retrato do seu país, aprisionado por uma ditadura caquética e falida econômica e moralmente e, infelizmente mas merecidamente, não estará em Londres. É um cenário em que um emergente que jogue certinho e esteja motivado pode aprontar alguma surpresa (Turquia, talvez; se não fossem tantos desfalques, poderia ser a Sérvia). Não digo ser campeão, mas chegar ao pódio ou derrubar algum favorito. Não espero jogos memoráveis em termos técnicos, mas acho que emoção não vai faltar. Mesmo que seja raiva.

  • Felipe

    hahahah aconteceu um dia desses um amistoso entre bulgaria e EUA, e as bulgaras quase ganharam, levaram o jogo ao tie-break. besta e quem diz que o ouro ta garantido pros EUA !

  • Felipe Saad

    Daniel, não entendi sua surpresa na convocação da Artamonova Estes…apesar de veterana, ela foi um dos destaques do último campeonato russo, levando sozinha seu time ao terceiro lugar do torneio, mesmo jogando contra times estrelados contra, inclusive ficando à frente do time de Kosheleva e Akinrandewo…além disso, ela substituiu muito bem a Sokolova na seletiva mundial, e não tem deixado a desejar em nenhum aspecto…

    • Daniel Bortoletto

      não é surpresa. apenas uma constatação

  • Junior

    As americanas são favoritas ao título olímpico. A Berg distribuiu bem as bolas, e a Akinradewo e a Harmotto são bastante efetivas no meio. A Logan Tom dá muito volume de jogo ao time, a Hooker é uma baita atacante e a Larson se vira muito bem nos momentos decisivos. O time não tem mais a Sykora, mas conta com a Davis, que também é uma jogadora experiente.

    A Rússia também tem condições de brigar pelo ouro. A Startseva é melhor que as levantadoras anteriores da Rússia (Sheshenina e Akulova). A Gamova e a Sokolova dispensam comentários. A Goncharova é a revelação russa: salta alto e bate com muita força. A Kosheleva (mesmo voltando de lesão) e a Artamonova (com 37 anos) também são jogadoras importantes.

    Aposto numa final entre Rússia e EUA.

    Brasil e Itália devem brigar pelo bronze. No lado brasileiro, tanto a Sheilla quanto a Paula vão ser muito exigidas. No lado italiano, falta uma jogadora de decisão. Sem a Ortolani, acredito que a Lo Bianco vai usar muito a Lúcia Bosetti (que é baixinha, mas muito boa de bola) e a Costagrande (que não está mais no auge).

    Vamos ver no que vai dar…

MaisRecentes

Vaivém: Mais estrangeiras na Superliga?



Continue Lendo

Com emoção, Corinthians se garante na Superliga



Continue Lendo

Com méritos, Brasil cumpre obrigação



Continue Lendo