Coluna: FIVB apresenta vôlei na neve com intenção olímpica



A Federação Internacional de Vôlei (FIVB) dará uma grande cartada, nesta semana, para tentar emplacar em breve a terceira modalidade olímpica: o vôlei na neve.

A entidade realizará em PyeongChang, na Coreia do Sul, durante a Olimpíada de Inverno, um evento de exibição para mostrar ao mundo sua nova pérola. E dois dos embaixadores são brasileiros: Giba e Emanuel.

Os campeões olímpicos no vôlei e no vôlei de praia fazem parte das comissões de atletas da FIVB e estarão em quadra para uma partida, ao lado do ex-jogador sérvio Vlad Grbic, da estrela sul-coreana Kim, além de Xue Chen, terceira colocada nas areias em Pequim-2008. Completarão as equipes os austríacos Stefanie Schwaiger e Nikolas Berger.

A exibição na neve será realizada em melhor de três sets. Serão formados trios mistos, com homens e mulheres jogando juntos.

Vôlei na neve será testado na Coreia do Sul (Divulgação)

A FIVB pretende ser a primeira federação mundial a ter esportes tanto na Olimpíada de Verão quanto na de Inverno. E tem investido pesado para divulgar e massificar o vôlei na neve. O apoio em PyeongChang vem da Áustria. Como já é tradição nos Jogos Olímpicos, países montam casas temáticas de eventos na sede da competição, para poder mostrar aspectos culturais e logicamente fazer negócios. E será na Casa da Áustria o jogo para apresentar o vôlei na neve para dirigentes, público, mídia e empresários. Acontecerá em terras austríacas, inclusive, o Campeonato Europeu da modalidade, em março. A Europa é a maior aliada de Ary Graça na empreitada olímpica.

Antes do embarque para a Coreia, Emanuel deu uma entrevista ao SporTV e falou sobre a experiência na neve. E ele citou um dos pilares estratégicos da FIVB para popularizar não só o vôlei na neve, mas também os de quadra e de praia: conciliar competição com entretenimento:

– O esporte tem as mesmas características que o vôlei de praia, mas na neve. Virou uma festa. Tem atração, festa, cheerleader e ao mesmo tempo, tem o esporte.

Ele lembrou ainda a semelhança na estratégia da FIVB quase três décadas atrás para incluir o vôlei de praia no programa olímpica.

– Em 92, durante a Olimpíadas de Barcelona, teve um campeonato de vôlei de praia em Almería, próximo ao local dos Jogos. E a mesma comissão do Comitê Internacional foi, fez a vistoria e quatro anos depois, o vôlei de praia já estava fazendo parte das Olimpíadas de Verão. Acho que essa é a pretensão do Comitê com o vôlei na neve. Todo mundo fica muito curioso, eu mesmo fico muito curioso. Mas são pequenas coisas que precisam ser vistas. Temperatura, como o corpo vai responder ao frio, como vai ser a roupa especial – disse o brasileiro.

 



MaisRecentes

Sesi joga melhor, bate Sada/Cruzeiro e fatura Supercopa



Continue Lendo

Seleção do Mundial não premiou destaques da final



Continue Lendo

Título coloca a Sérvia no topo após frustração olímpica



Continue Lendo