Fim de semana



Faltam apenas mais sete dias para a entrega dos originais da biografia do Serginho Escadinha para a editora. Reta final de um projeto bem especial. Entre um capítulo fechado e outro, tentei acompanhar os jogos transmitidos pela TV e pela web neste fim de semana.

Vi um pouco da definição do Sada/Cruzeiro para a semifinal da Superliga masculina. Resultado óbvio no playoff contra o Lebes/Gedore/Canoas. Mas o time gaúcho mostrou resistência tanto em parte do segundo quanto no terceiro jogo. Certamente deixa a competição de cabeça erguida, já que o nível dos mineiros é outro.

Também acompanhei parte do segundo confronto entre Brasil Kirin e Montes Claros. E neste caso me surpreendi com a facilidade encontrada pelo time de Campinas para fazer 2 a 0 na série. Horacio Dileo está perto de classificar o atual vice-campeão para as semifinais, um feito considerável ao pensar que o Brasil Kirin demorou para entrar no mercado pela indefinição do orçamento meses atrás.

Não vi a segunda vitória do Funvic/Taubaté sobre Juiz de Fora. E também não consegui acompanhar a classificação do Dentil/Praia Clube para a semi do feminino.

Dá para dizer que o time de Uberlândia cumpriu a obrigação de se garantir entre os quatro. Time montado para ser campeão, mesmo com o desfalque de Fabiana, não pode cair nas quartas. E escrevo isso com todo respeito ao Terracap/Brasília, bem dirigido pelo campeão olímpico Anderson Rodrigues nesta temporada. Time fez 1  a 0 na casa do rival, levou a virada, mas deixa a Superliga de cabeça erguida.

PS: A manutenção do ranking masculino apenas comprova o que escrevi sobre o feminino. Jogadores e clubes não estão falando a mesma língua. O placar de 6 a 5 a favor do ranqueamento deixa isso claríssimo. Pelas regras democrática ao há o que reclamar. Foi votado e a maioria venceu. Mas seguiremos falando sobre um tema que já deveria fazer parte do passado.



MaisRecentes

Não sei em quem apostar na Superliga feminina



Continue Lendo

Coluna: Um por todos, todos contra Taubaté na Superliga?



Continue Lendo

Caramuru usa artifício jurídico para jogar a Superliga



Continue Lendo