Festa completa: vitória e homenagem



O domingo foi de festa para o vôlei brasileiro. Vitória da Seleção feminina sobre a Sérvia por 3 sets a 0 (25-20, 25-18 e 25-18), no encerramento da primeira semana de disputas do Grand Prix, e uma reunião de craques de várias gerações, numa homenagem promovida pela CBV na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro.

Em quadra, o Brasil cumpriu o esperado script. Diante do time B sérvio, teve o controle das ações desde o início. José Roberto Guimarães iniciou a partida com apenas uma mudança em relação à base titular: Léia no lugar de Camila Brait. No mais, a força máxima que tinha à disposição: Dani Lins, Sheilla, Fernanda Garay, Natália, Fabiana e Thaisa. Gabi também teve oportunidade de atuar em um set e meio.

Sérvia não foi páreo para o Brasil de Fernanda Garay (FIVB Divulgação)

Sérvia não foi páreo para o Brasil de Fernanda Garay neste domingo (FIVB Divulgação)

Para construir o triunfo, o Brasil teve um saque muito eficiente. Foram cinco aces no primeiro set e mais três no segundo. Uma performance elogiável. Mas não foi uma atuação, no geral, de encher os olhos. O passe oscilou, faltou mais volume de jogo e o bloqueio não foi tão matador contra um ataque nem tão explosivo assim. E a fragilidade do rival também tira um pouco daquela gana das jogadoras.

O saldo desta primeira semana de GP, porém, é positivo. Zé Roberto manteve uma base titular para ganhar ritmo de jogo para a Rio-2016 e fez dois testes para definição das 12: Juciely saiu jogando duas partidas e está em vantagem para ser a terceira central; Léia teve sua chance contra a Sérvia, foi bem na defesa e está na briga com Camila Brait. Na próxima semana, em Macau, na China, o Brasil terá China, Bélgica e novamente as sérvias como rivais.

Já a homenagem, segunda e mais importante parte da festa deste domingo, aconteceu entre o segundo e terceiro sets. As jogadoras que defenderam a Seleção nos Jogos Olímpicos de Moscou-80, Los Angeles-84, Seul-88, Barcelona-92, Atlanta-96, Sydney-2000, Atenas-2004, Pequim-2008 e Londres-2012 foram convidadas pela CBV e estiveram no Parque Olímpico.

Várias gerações reunidas no Rio de Janeiro (Wander Roberto/Divulgação)

Várias gerações reunidas no Rio de Janeiro (Wander Roberto/Divulgação)

Elas entraram em quadra para receber o carinho do público. E o momento foi emocionante. Várias não conseguiram conter as lágrimas. Outras usavam celulares e máquinas fotográficas para registrar o momento.

A lista é longa, mas vou citar algumas daqui, representando cada time olímpico: Eliana Aleixo e Regina Vilela do time de 1980; Vera Mossa, Isabel e Ana Richa da equipe de 1984; Ida, Ana Lucia e Ana Claudia que jogaram em 1988; a geração de Fernanda, Marcia Fu, Ana Moser e Ana Flávia dos Jogos de 1992 e 1996; Leila, Virna e Érika que atuaram em Sydney; Valeskinha, Walewska e Sassá, que choraram de tristeza em 2004 e foram campeãs olímpicas em 2008; e por fim a geração vencedora de Fabi, Paula Pequeno, Jaqueline, além das jogadoras que estavam em quadra para enfrentar a Sérvia.

Depois  da homenagem em quadra elas receberam medalhas e exemplares do ótimo livro histórico de Katia Rubio sobre os atletas olímpicos brasileiros. Uma justíssima cerimônia, que nos próximo domingo terá sua versão masculina durante a Liga Mundial.

 



  • rodrigo puertas

    Não se empolguem muito,mais pés no chão!
    Tanto Italia quanto Servia estavam com suas seleções B

MaisRecentes

Os duelos da Copa Brasil feminina



Continue Lendo

Lances do clássico Vôlei Nestlé x Sesc



Continue Lendo

Coluna: O maior desafio do Sada/Cruzeiro no Mundial



Continue Lendo