Festa completa: vitória e homenagem



O domingo foi de festa para o vôlei brasileiro. Vitória da Seleção feminina sobre a Sérvia por 3 sets a 0 (25-20, 25-18 e 25-18), no encerramento da primeira semana de disputas do Grand Prix, e uma reunião de craques de várias gerações, numa homenagem promovida pela CBV na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro.

Em quadra, o Brasil cumpriu o esperado script. Diante do time B sérvio, teve o controle das ações desde o início. José Roberto Guimarães iniciou a partida com apenas uma mudança em relação à base titular: Léia no lugar de Camila Brait. No mais, a força máxima que tinha à disposição: Dani Lins, Sheilla, Fernanda Garay, Natália, Fabiana e Thaisa. Gabi também teve oportunidade de atuar em um set e meio.

Sérvia não foi páreo para o Brasil de Fernanda Garay (FIVB Divulgação)

Sérvia não foi páreo para o Brasil de Fernanda Garay neste domingo (FIVB Divulgação)

Para construir o triunfo, o Brasil teve um saque muito eficiente. Foram cinco aces no primeiro set e mais três no segundo. Uma performance elogiável. Mas não foi uma atuação, no geral, de encher os olhos. O passe oscilou, faltou mais volume de jogo e o bloqueio não foi tão matador contra um ataque nem tão explosivo assim. E a fragilidade do rival também tira um pouco daquela gana das jogadoras.

O saldo desta primeira semana de GP, porém, é positivo. Zé Roberto manteve uma base titular para ganhar ritmo de jogo para a Rio-2016 e fez dois testes para definição das 12: Juciely saiu jogando duas partidas e está em vantagem para ser a terceira central; Léia teve sua chance contra a Sérvia, foi bem na defesa e está na briga com Camila Brait. Na próxima semana, em Macau, na China, o Brasil terá China, Bélgica e novamente as sérvias como rivais.

Já a homenagem, segunda e mais importante parte da festa deste domingo, aconteceu entre o segundo e terceiro sets. As jogadoras que defenderam a Seleção nos Jogos Olímpicos de Moscou-80, Los Angeles-84, Seul-88, Barcelona-92, Atlanta-96, Sydney-2000, Atenas-2004, Pequim-2008 e Londres-2012 foram convidadas pela CBV e estiveram no Parque Olímpico.

Várias gerações reunidas no Rio de Janeiro (Wander Roberto/Divulgação)

Várias gerações reunidas no Rio de Janeiro (Wander Roberto/Divulgação)

Elas entraram em quadra para receber o carinho do público. E o momento foi emocionante. Várias não conseguiram conter as lágrimas. Outras usavam celulares e máquinas fotográficas para registrar o momento.

A lista é longa, mas vou citar algumas daqui, representando cada time olímpico: Eliana Aleixo e Regina Vilela do time de 1980; Vera Mossa, Isabel e Ana Richa da equipe de 1984; Ida, Ana Lucia e Ana Claudia que jogaram em 1988; a geração de Fernanda, Marcia Fu, Ana Moser e Ana Flávia dos Jogos de 1992 e 1996; Leila, Virna e Érika que atuaram em Sydney; Valeskinha, Walewska e Sassá, que choraram de tristeza em 2004 e foram campeãs olímpicas em 2008; e por fim a geração vencedora de Fabi, Paula Pequeno, Jaqueline, além das jogadoras que estavam em quadra para enfrentar a Sérvia.

Depois  da homenagem em quadra elas receberam medalhas e exemplares do ótimo livro histórico de Katia Rubio sobre os atletas olímpicos brasileiros. Uma justíssima cerimônia, que nos próximo domingo terá sua versão masculina durante a Liga Mundial.

 



  • rodrigo puertas

    Não se empolguem muito,mais pés no chão!
    Tanto Italia quanto Servia estavam com suas seleções B

MaisRecentes

Seleção masculina terá logística complicada na Liga das Nações



Continue Lendo

Seleção feminina jogará em Barueri na Liga das Nações



Continue Lendo

Sábado dos visitantes na Superliga masculina



Continue Lendo