Exclusivo: O relatório que inocentou Solberg



Tive acesso ao documento assinado por Jizhong Wei, presidente da FIVB, e enviado para os envolvidos no caso de Pedro Solberg, inocentado da acusação de doping, nesta terça-feira.

O relatório contém três páginas.  Na abertura, Wei redige o laudo final do caso, dividido em três tópicos.

O item inicial relembra todo o processo, iniciado em 30 de maio, quando Solberg realizou um teste “fora de competição” feito pela Wada, a Agência Mundial Antidoping, no Rio de Janeiro. No dia 8 de julho, o Ladetec, laboratório credenciado pela Wada, relatou à FIVB que a amostra 3035612 (em investigações de doping, o atleta é identificado por um número) continha a substância proibida “esteroide exógeno androstane”, numa concentração de 104,27 ng/ml. No dia 12 de agosto, o mesmo laboratório informou que a análise da prova B (contraprova) confirmava o resultado anterior.

No dia 23 de setembro,a FIVB requisitou que o laboratório de Colônia, também credenciado pela Wada, realizasse uma análise extra, por entender que “algumas questões analíticas ainda precisavam ser abordadas”. Em carta recebida no dia 21 de outubro (após o horário comercial), a FIVB informa:

“A amostra analisada está de acordo com as regras da Código Mundial Antidoping”.

No segundo tópico, uma simples citação da regra, já que casos como o de Pedro Solberg necessitam passar pelo Painel Antidoping da FIVB.

No terceiro item, a conclusão. A entidade descarta essa obrigação prevista em lei, concluindo que não existiu “violação às regras antidopagem que justificassem o Painel. De fato, há provas suficientes que o atleta não (grifado mesmo no documento) cometeu violação ao regulamento mundial antidoping.

Por fim, a terceira página é o laudo feito pelo médico W. Schanzer, responsável pelo laboratório de Colônia, na Alemanha, que comprovou não haver na amostra colhida pela Wada,  o esteroide exógeno androstane, apontado no exame feito anteriormente pelo Ladetec, no Rio.  Para ter o resultado final,  a urina passou por oito testes para diferentes substâncias, todas elas com resultado negativo.

 



  • TIGRAO

    Quando vamos deixar de ter vergonha do BRASIL??? Assim como no caso do CIELO da natação PEDRO SOLBERG foi injustiçado por laboratório “BRASILEIRO”. Com erros absurdos desse tipo laboratórios brasileiros, podem ARREBENTAR com a carreira de atletas. SOLBERG e CIELO são atletas de alto nivel que podem trazer muitas conquistas para o BRASIL e tem suas carreiras abaladas por erros ESDRÚXULOS de LABORATÓRIOS SEM COMPROMISSO COM A QUALIDADE E PRECISÃO EM SEUS PROCEDIMENTOS??? Quando seremos respeitados mundo afora?

    • Afonso (RJ)

      Meu Deus!!! “Erros esdrúxulos de laboratórios sem compromisso com a qualidade e precisão em seus procedimentos”??? Cara, QUEM É VOCÊ para fazer uma acusação grave como essa?? Provavelmente se julga um SABICHÃO mais inteligente e informado que os especialistas do comitê anti doping e da prórpria FIVB. Ou você acha que eles não tem critérios para o credenciamento? Aliás, porque não se candidata logo ao PRÊMIO NOBEL de química?? Com todo esse saber que você JULGA ter sobre procedimentos laboratoriais, certamente se acha MERECEDOR. Me poupe!!!!

      • tigrao

        Vai dizer que a contaminacao no produto manipulado que o CIELO consumia nao e’ um erro esdruxulo? Vai dizer que manchar ou mesmo acabar com a carreira de um atleta de ponta nao e’ um erro esdruxulo? Vai dizer que os OITO testes pelos quais passou a URINA de SOLBERG na ALEMANHA NAO FORAM SUFICIENTES para inocenta-lo? Me poupe vc, ora bolas. Laboratorios brasileiros cometem erros de procedimento e causam ENORMES TRANSTORNOS na vida de atletas de ponta e vem vc com PATRIOTADA! Meu filho nao precisa ser nenhum premio nobel de nada, para detectar irresponsabilidade DA ATITUDE DE UM LABORATORIO CREDENCIADO na hora de liberar um LAUDO QUE ACUSE ALGUEM DE USAR SIBSTANCIA PROIBIDA.

      • tigrao

        Vc é q deve ser o sabichão e dono da verdade pois opinou sem saber do que se tratava e ainda veio com 4 pedras nas mãos me ofender… Quem sou eu para fazer uma acusação grave como essa? Sou amigo pessoal do Pedro e de sua família e sei muito bem qual é a sensação de uma família inteira sofrendo com a acusação injusta de um inocente, dentre eles a mãe Isabel e as irmãs MARIA CLARA e CAROLINA. Esso erro ESDRÚXULO teve consquencias nao só na vida de PEDRO, mas também no emocional de toda sua familia e amigos, afetou inclusive o desempenho de suas irmas a dupla MARIA CLARA e CAROL. Eles devem entrar com processo judicial e pedir indenização por DANOS MORAIS, ou melhor, “IMORAIS”!!!
        Desde julho, vive um enorme transtorno quando recebeu a notícia do positivo e que estaria suspenso por tempo indeterminado, PEDRO tinha acabado de fechar uma parceria com o campeão olímpico Ricardo. Além de ser obrigado a desfazer a dupla ele ficou fora de quatro etapas importantes do Circuito Mundial, perdeu dinheiro de premiação e pontuação às vésperas dos Jogos Olímpicos do ano que vem. Os prejuízos foram totais com patrocinadores, programação, financeiros, psicológicos, morais…
        Depoimentos do PEDRO: – Estou vivendo este drama há mais de 100 dias. Foi demais receber essa notícia. Passei por momentos muito difíceis e segurei essa onda. Fomos todos muito fortes aqui em casa. Quando vi que tinha acabado todo esse drama, fiz questão de dar logo um beijo na minha mãe, que ficou do meu lado o tempo todo e se envolveu 100%. Ela foi fundamental porque isso tudo foi muito barra pesada. Graças a Deus eu tenho minha mãe e minha família, mas é muito triste pensar que outros atletas podem sofrer a mesma injustiça e não conseguir provar inocência em um caso como essa. Eu garanto que vou brigar pela justiça. Vou brigar para ter a oportunidade de lutar de igual para igual com as outras duplas. Me tiraram isso. Eu vinha na minha melhor fase e fui suspenso de forma equivocada, diante de dois erros de um laboratório. Esses torneios poderiam ter decidido a minha vida. Isso precisa ser revisto. Eu mereço muito essa vaga e vou lutar da mesma forma que vinha lutando para provar que era inocente;
        DEPOIMENTO DE ISABEL: – É muito triste porque a gente percebe que podia ter sido feito de forma diferente. É um problema da Wada e do Brasil e precisa ser olhado com cuidado. Eu penso que outros atletas podem passar pela mesma situação e não ter como provar a inocência. Não basta ser guerreiro como o Pedro, tem que ter apoio, família e “GRANA”. Esse processo foi “MUITO CARO”. Que sirva de exemplo para outros casos. O ideal seria que as contraprovas fossem feitas por outros laboratórios. Apesar de tudo que a gente passou, todo o sofrimento, tenho certeza que ele saiu fortalecido.

        • Afonso (RJ)

          Mantenho tudo o que eu disse, baseado no monte de besteiras em grande parte grosseiras e ofensivas que você invariavelmente escreve aqui e em outros blogs. Sempre desmerecendo o que é nosso e valorizando o que é de fora. Sempre emitindo opiniões altamente preconceituosas e ofensivas a atletas, entidades, dirigentes, etc… sempre sem base, ou com argumentos altamente questionáveis.
          Aprenda a emitir opiniões sem ofender, e aí então vai deixar de receber respostas com 4 ou 5 pedras nas mãos. Afinal, pimenta nos olhos dos outros é refresco, né?

          • Diogo (Oz)

            Manda ele fazer um curso de digitação! Ao invés de apoiar o jogador nessa fase, fala asneiras, depois reclama que o esporte não tem apoio.

          • tigrão

            Peço desculpas ao Daniel, dono do Blog, e aos demais leitores pelos meus textos, comentários e opiniões, que pouco ou nada contribuem para enriquecer os temas deste aqui expostos. Afonso deve ter razão: “eu invariavelmente escrevo aqui um monte de besteiras em grande parte grosseiras e ofensivas… Sempre desmerecendo o que é nosso e valorizando o que é de fora. Sempre emitindo opiniões altamente preconceituosas e ofensivas a atletas, entidades, dirigentes, etc… sempre sem base, ou com argumentos altamente questionáveis”. Reconheço que a minha pequenez argumentativa não se compara à sua Afonso e que também não tenho um nível intelectual tão avançado e polidez suficiente para comentar num mesmo espaço que você. Logo recolho-me à minha insignificância, peço perdão a todos e retiro-me do blog para que eu não venha a chocar, nem indignar mais ninguém. Afonso agradeço o conselho, afinal de contas tenho muito que aprender e lhe peço a gentileza de que quando me encontrar em algum blog, me avise que eu o deixarei livre de ler meus comentários.

          • Daniel Bortoletto

            Calma aí, galera. Já aprendi que essa “novidade” de interação constante (twitter, facebook, blog e afins) não é bom escrever de cabeça quente.
            Me deixa satisfeito dizer que aprovei, talvez, mais de 95% dos comentários que vocês fizeram aqui, fazendo discussões em alto nível sobre o esporte. Passar do tom, algumas vezes, faz com que repensemos as próximas palavras.

  • Rodrigo

    Que garantias existem que o resultado do laboratório brasileiro (Ladetec) está errado? E se o da Alemanha está errado? E se a amostra foi transportada indevidamente pra Alemanha degrandando o suposto esteróide presente? Não foi divulgado neste site o laudo completo nem do laboratório alemão e nem o laudo do laboratório brasileiro. Só porque foi um laboratório alemão que realizou uma segunda análise assume-se que está correto? Pode até ser verdade, mas não vi publicado em lugar nenhum evidências de que o laboratório brasileiro errou e o alemão não.

MaisRecentes

A velocidade do Sesc, com Thiaguinho, impressiona



Continue Lendo

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo