Exclusivo: Lorena fala sobre o novo time de Maringá



O oposto Lorena falou com o blog sobre o projeto de Maringá e os reforços, revelados na terça-feira aqui no blog: http://wp.me/p1b2tr-1vo .

Após passagem pelo Sesi, ele demonstra empolgação com o reencontro com Ricardinho e elogia a base que está sendo montada. Confira:

1) Como encara o desafio deste novo projeto em Maringá?

Primeiramente eu queria agradecer ao Ricardinho pela confiança no meu trabalho, pois chegar em um lugar que confiam em você é muito gostoso de se trabalhar. Vou dar minha vida por este projeto, para defender a equipe e a cidade, pois quero muito que dê tudo certo. É uma nova equipe no vôlei brasileiro e nosso esporte precisa cada vez mais de incentivos. Estou muito feliz de começar este projeto com o Ricardinho desde o início e vou trabalhar duro para retribuir esta confiança.

2) Voltar a jogar com o Ricardinho pesou na sua decisão?

Com certeza foi um fator muito importante. Eu tinha propostas da Europa, mas quando ele me ligou, falei na hora que seria muito importante participar disto junto com ele, pois é um irmão que tenho e o melhor levantador que joguei. Tenho certeza de que vamos fazer um ótimo trabalho nesta nova equipe e vamos ter um ano muito bom em Maringá, que tem uma raiz muito forte no vôlei. Espero que a torcida compareça em peso, pois sempre gostei de jogar com ginásio cheio e meu rendimento aumenta dentro de quadra.

3) Pela montagem do time (Quiroga, Acácio, Renato, Renato Felizardo…), Maringá terá condições de brigar com as principais potências do país?

Eu sempre disse que vôlei se joga dentro de quadra, mas nós teremos menos tempo para nos entrosarmos e acertarmos a nossa equipe do que as grandes potências que apenas se reforçaram para a próxima temporada. Acredito que o entrosamento venha com um tempo de trabalho em conjunto, por ser o primeiro ano e a última equipe a ser montada. Mas quando estivermos entrosados, vamos dar muito trabalho na Superliga. Fui vice-campeão com o Ricardo e com o Acácio, pelo Vôlei Futuro e pelo Montes Claros, respectivamente, além do Cléber que jogou comigo ano passado no Sesi-SP. São grandes amigos que tenho e ótimos profissionais. Vamos correr por fora e bater de frente. O time vai ser muito bom.



MaisRecentes

Vaivém: “Livre”, Thaisa seguirá atuando no Brasil



Continue Lendo

Jaqueline chega ao Japão para substituir Drussyla



Continue Lendo

Vaivém: Abouba espera aproveitar chance da vida no EMS/Taubaté



Continue Lendo