Espetáculo



– Elas deram uma lição para o nosso grupo – definiu muito bem Massimo Barbolini, técnico da Azzurra.

Foi uma atuação praticamente irretocável. Saque, bloqueio, defesa e eficiência nos contra-ataques. A receita perfeita para um jogo de alto nível.

Assim é possível resumir o 3 a 0 da Seleção Brasileira sobre a Itália na abertura da fase final do Grupo B do Grand Prix. As parciais não me deixam mentir: 25-16, 25-17 e 25-17.

Na pontuação, um equilíbrio interessante, que mostra que o jogo não ficou centralizado em apenas uma jogadora: Thaisa fez 17 pontos, Sheilla, 13, Fabiana, 12.

Para quem viu aqueles jogos de baixíssimos nível técnico na primeira fase do GP, o jogo contra a Itália parecia mais um deles. E olha que a Itália contava com a volta de Piccinini, a presença de Lo Bianco, Gioli e Guiggi. Em nenhum momento o jogo virou e deu a impressão de que poderia mudar. Se mantiver essa constância, a Seleção vai estar dois degraus acima de quase todos os rivais.

A nota triste fica pela contusão de Mari. Ela sentiu um problema muscular no abdômen no segundo set e virou dúvida para o duelo com o Japão, nesta quinta, às 2h30. Como o adversário é o mais fraco nesta fase, eu, se fosse Zé Roberto, pouparia a camisa 7, usando Fernanda Garay como titular.

PS: Cravei mais um resultado no bolão.



  • Ana

    Eu acho muito válido o rodízio que o Barbolini faz na Itália, principalmente porque a seleção italianas tem uma média de idade muito alta e, para les, o mais importante é o europeu. Entretanto, a insistência dele em jogar com Gioli de oposta é ridícula. A Itália não é a China para ter uma oposta atacante de bolas rápidas. A Itália precisa de uma oposta DEFINIDORA, já que vai jogar com Piccinini e Del Core nas pontas. E a Arrighetti tem que ser titular, Guiggi é fraca demais.

    SE a Itália jogar com Lo Bianco/Ortolani – Picci/Del Core – Arrighetti/Anzanello – Cardullo é favorita ao europeu. Se inventar, nem caga na Copa do Mundo consegue.

    Sobre o Brasil, SOBROU. Lins muito tem, centrais jogando muito… extremas apenas medianas.

    Que JOGÃO agora pouco Sérvia x China. 18-16 no tie para Sérvia. As sérvias poderiam ter vencido mais fácil se malagurski, Ognjenovic e Molnar tivessem jogado bem, não foi o caso. Mas elas tem um time muito bom. A China mostrou força, mostrou-se superior a fase de classificação, mas suas jogadoras entre 17 e 24 anos ainda sentem a pressão.

    • Diogo Márcio

      A Diuof grande aposta para posição de oposta com 2,02, tendo a mesma altura da Gamova, é foi campeão mundial juvenil! No time infanto de Porto Rico tem uma jogadora com 2,07.

    • Rodrigo

      Ana concordo com vc… fazendo uma pequena alteração, q acho improvável e impossível de acontecer, mas costagrande no lugar de del core o time ficaria mais forte ainda…

      Lo Bianco/Ortolani
      Picci/Costagrande
      Arrighetti/Anzanello

  • Jairo(RJ)

    Daniel, tô meio zumbi, mas safisfeito com a apresentação. A destacar, Thaísa com bela atuação e variando o repertório de ataque, tanto na positiva quanto na negativa. E o que falar daquele levantamento para o meio-fundo?

    Quanto à Itália, essa busca de padrão de jogo ainda precisa ser melhor trabalhada. A Ana disse certo acima: a idade pode ser fator decisivo para essa alternância. Uma pena a Gioli fazendo uma função para a qual não leva jeito.

    Já a Rússia, tudo bem, favoritíssima, ganhando fácil da Tailândia. Mas, porque as tailandesas fizeram um pouco de frente a elas? Vi muito erro no saque, defesa e ataque. Creio que teremos um jogo com Gamova atacando mil bolas, pois o padrão “do que vi” foi meio estranho em relação ao time campeão mundial.

    • Diogo Márcio

      Saque direcionado na Fateeva, que tem a pior recepção dentre as ponteiras (a mesma que foi bloqueada pela Takeshita) kkkkkkkk

  • Ismael

    Já que estamos falando de desgaste fisicio por conta da idade, eu acho que a posição de oposta gasta muito mais energia.
    Ortolani é jovem e precisa jogar sem parar nesse time para ter a confiança necessário. Não justifica as loucuras que o Babolini faz com esse time.

    Jogo fácil para a nossa seleção. Uma pena a lesão da Mari…mas que ela e a Paula jogaram bem mal jogaram!

    Até agora acertei 3 placares e quem ganharia entre Sérvia e China!

  • Afonso (RJ)

    Puxa, a Rússia ganhou da Tailândia!!! E a Tailândia foi campeã asiática vencendo inclusive a Coréia e o Japão. Ah, sim, ia me esquecendo: é normal a Rússia perder para a Coréia e o Japão, né? Afinal a Rússia não foge da raia e não joga com a tabela. Foi só coincidência que nesses jogos, o técnico estivesse “fazendo algumas experiências”.

    Bom mas vamos ao que interessa:
    Juntaram-se:
    Pani Lins (Pani de pânico, pois ela leva pânico aos bloqueios adversários)
    Thaísa Airbag Marreta Chapadão
    Fabizona Claudino Marreta Paredão
    Sheilla Shot Mãodegata
    Fernanda Garay, que está jogando “prá Garay”
    Paula Pequeno Enorme Grandiosa
    Mari Saidebaixo
    e… Fabizinha GPS

    E lembremos que ainda temos no banco Natália Fiona Panzer I, Tandara Lavadeira Panzer II, entre outras, e o maestro manda chuva Zé Roberto Maquiavel Guimarães…

    Deu no que deu: Itália, que diga-se de passagem, não é um time qualquer, está até agora procurando a bola para saber se é amarela, verde ou azul. Teve seu dia de Peru.
    Se esse time brasileiro continuar jogando assim, e eu acho que ainda pode até melhorar, Londres está no papo!!! Grand Prix então, é fichinha!

    • Ismael

      A Itália com essa formação que o Babolini colocou em quadra realmente é fichinha!

  • Diogo Márcio

    Fique meio temoroso com a volta de algumas italianas, mas com a boa atuação do Brasil ficou sendo apenas para encher linguiça. Não sei qual foi a definição do técnico para deixar a Arrighetti fora da lista de convocadas, na minha opinião ela é melhor que Anzanello! Que parece-me ser mais lenta nos movimentos. Costagrande poderia ser uma opção mais ‘adequada’ contra o Brasil no lugar da Bosetti; pois conheçe bem o jogo das brasileiras, é já atuou com Mari e Sheila. Gioli como oposta? Outra piada do técnico, ataque de fundo limitado (fica fácil para qualquer bloqueio) e na rede atacando china.

    Esse ano tem tudo para ser das centrais, estão atuando muito bem; Quem sabe poderemos ver uma ataque do fundo kkkkkkk (brisei >.<) – As meninas precisam ficar mais ligado ao receber, pois o jogo contra as americanas está chegando e a Tom sacando bem, em outras oportunidades causou estragos a nossa seleção. Mesmo Japão estando mal, para certificar que o passe não será comprometido e bom por a Sassá entre as convocadas, dando uma 'folginha' para Mari (caso as dores persistir)!

  • Daniel

    Destaques para Thaísa, Dani Lins, Fabi e Garay. Quanto à Itália, a Gioli de oposta é lamentável.

MaisRecentes

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo

Camponesa/Minas quebra longa invencibilidade em Osasco



Continue Lendo

Placar RedeTV!: Futebol 2 x 0 Vôlei



Continue Lendo