Fabiana, a escolhida



O repórter Jonas Moura está na Suíça e amanhã voltará para o Brasil juntamente com a chama olímpica. Ele revela que a escolha da central Fabiana para carregar a tocha olímpica, em Brasília, iniciando um revezamento que incluirá 12 mil pessoas, partiu da presidente Dilma Rousseff.

Fabiana, capitã da Seleção (Divulgação)

Fabiana, capitã da Seleção (Divulgação)

Confiram: A escolhida pela presidente

Capitã da Seleção Brasileira, bicampeã olímpica, líder que procura dar o exemplo para cobrar as companheiras… Fabiana tem muitos méritos para ter sido escolhida para tal honra. Certamente vai viver, nesta terça-feira, uma emoção única, algo para nunca mais esquecer. Feito para colocar na prateleira ao lado das conquistas em Pequim-2008 e Londres-2012.

A definição pela central também é a confirmação de que o vôlei está bem “cotado” até aqui. O também bicampeão olímpica Giovane Gávio iniciou o revezamento da tocha na Grécia. Agora Fabiana abrirá a maratona do fogo sagrado no Brasil. Amanhã Paula Pequeno e Leila também terão a honra de fazer parte da equipe do revezamento na capital federal. Serão os primeiros de muitos atletas e ex-atletas de vôlei que terão o mesmo prazer nos próximos dois meses.

PS: Este que vos escreve será um dos 12 mil condutores da tocha. Fui convidado por um dos patrocinadores do evento (Bradesco) e irei repetir o que já fiz antes do Pan de 2007. Mas isso será assunto para outro post.

 



MaisRecentes

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo

As duas formas de ver o novo Sesi



Continue Lendo