Escadinha e Vissotto fazem a diferença



Na base do vira-vira, deu Brasil no primeiro duelo com a Polônia, no Rio,

Apesar do 3 a 0 (25,23, 26-24 e 25-21), o jogo foi bem mais difícil do que o placar aparenta.

A Seleção ficou atrás grande parte das parciais e precisou da inspiração de dois jogadores, principalmente: o líbero Escadinha e o oposto Leandro Vissotto.

O primeiro fez defesas espetaculares e proporcionou vários contragolpes para o Brasil. Como sempre, também fez papel de motivador. Um exemplo claro foi o apoio dado ao ponta Giba, no primeiro set. Bloqueado várias vezes, o camisa 7 não conseguia pontuar no ataque. Mas ele foi decisivo nos dois últimos pontos e reconheceu a força dada pelo companheiro nos momentos ruins.

Já Vissotto espantou a instabilidade que carregou durante a última temporada pelo Vôlei Futuro para ser a válvula de escape de Bruninho. Fez 18 pontos, 16 deles no ataque, com atuação decisiva. Em jogos contra bloqueios pesados, o gigante é ainda mais importante.

Para vocês, quem jogou mais? Escadinha ou Vissotto



  • Afonso (RJ)

    Eu simplesmente não consigo entender como é que pode um cara com QUATRO parafusos na coluna pode jogar qa barbaridade que nosso querido Esacadinha joga.

    A gente tem mesmo que tirar o chapéu para a vontade e a determinação do cara. Conheço muita gente, que com problemas de coluna muito menores, faz choradeira e diz que não pode trabalhar nem atendendo telefone.

    Sem tirar o mérito dos companheiros, principalmente do Vissoto que fez uma grande partida, mas para mim, só de entrar em quadra o Serginho já é herói e merece todo o meu aplauso e reconhecimento. Não só na recepção, defesa, levantamento, mas também dando força e apoio o tempo todo aos companheiros. É realmente um gigante.

  • Emerson

    Absurdo o que o Escadinha jogou hj. PQP. Fenomenal. O outros liberos da Liga devem morrer de inveja do cara, que é sem duvidas um monstro na posição a muito tempo e orgulho para nós brasileiros. 4 donos senhores pinos nas costas e ainda joga em altississimo nivel.
    Quanto ao melhor, é complicado decidir quanto ao Serginho (fundo de quadra) e Vissoto (atacando).
    Os dois foram muitissimo bem, Sergio comandando o passe e a defesa e Vissoto rodando os ataques e contra-ataques.
    Giba e JP, foram bem pra ajudar no fundo de quadra, mas no ataque estiveram apáticos e com muita dificuldade, assim tambem como Rodrigão que tava preso e não viu a cor dos poloneses, colocaria o Sidão ou Gustavo no lugar dele.
    Abraços Daniel.

  • Vitor

    Palavras perfeitas do Afonso.

    Realmente qualquer adjetivo para elogiar o Escadinha parece pequeno perto desse gigante no fundo de quadra. Ele é simplesmente O CARA. Tá cheio de limitações físicas, não é mais nenhum garoto, não tem mais a mesma carga de treinos do restante e mesmo assim ainda sobra na posição. Craque!

    E o Vissotto esteve muito bem também. Principalmente nos momentos em que o passe não estava saindo e o Bruno estava com dificuldades de distribuir o jogo. João Paulo Bravo não esteve bem em nenhum fundamento hoje e o Giba foi aquilo que ele tem sido nos últimos tempos: mais motivação do que jogo efetivo. Mas o ponto negativo mesmo ficou por conta do bloqueio.

  • Thyago Martins

    Esse kara sempre foii o kara.. “Serginho”

    desde pequeno eu jogava na posição em que ele joga…

    comprei até a camisa q ele jogava…

    mas agora eu to jogando na posição do Vissoto..

    também to gostando bastante mas naun esqueço das raízes..

    grande abraço pra vcs…

    Thyago…

  • jp

    Os dois jogaram muito….so nao o motivo de chamarem o serginho de Escadinha….ouvi falar uma vez q se tratava de uma referencia ao bandido conhecido com esse nome…se for verdade prefiro chama-lo de serginho msm….jogam muito…os dois

  • Simone Gomes

    O Serginho é um fenômeno em quadra.
    Impressionante a atuação dele, chega a ser um espetáculo a parte.
    Deu gosto de assistir essa partida e ficar de boca aberta com as defesas e levantamento de bolas que ele fez. Foi de arrepiar.

    Já o Vissoto teve um papel muito importante também.
    E olha que ele nem pisou na linha nos saques, coisa que vi ele fazer DIVERSAS vezes em momentos decisivos da Super Liga quando jogou pelo VF.
    É um gigante mesmo em quadra.
    Uma pena o VF não ter ficado com ele.
    Acho que a Marcela Constantino chorou quando assistiu esse jogo.

MaisRecentes

A ausência de Lipe nas finais da Liga



Continue Lendo

A tabela da fase final da Liga Mundial



Continue Lendo

Vaivém: Rapha dá dicas para reforços gringos de Taubaté



Continue Lendo