Entrevista com Tandara, futura mamãe, sobre gravidez, playoffs e Seleção



A notícia da gravidez de Tandara, oposto do Dentil/Praia Clube e da Seleção Brasileira surpreendeu o vôlei no mês passado. O anúncio aconteceu durante a fase de classificação Superliga e em um importante ano pré-olímpico.

Tandara é destaque do Praia (Divulgação)

Tandara é destaque do Praia (Divulgação)

Às vésperas de iniciar os playoffs contra o Camponesa/Minas, a jogadora contou, por e-mail, ao blog as diferentes sensações que experimentou neste período, desde o impacto do resultado positivo no teste até o momento de revelar aos pais e ao técnico da Seleção, José Roberto Guimarães. Além disso, Tandara revela estar recebendo conselhos de Jaqueline, que viveu a mesma experiência, no fim de 2013.

Nas estatísticas da CBV, Tandara aparece como terceira maior pontuadora da Superliga, com 353 pontos, atrás de Thais, do São Caetano, que somou 377, e de Gabi, do Rexona-Ades, com 374. No saque, fundamento liderado pela argentina Mimi Sosa, do Rio do Sul/Equibrasil, ela ocupa o oitavo lugar. A atleta do Praia ainda possui também o 11 º melhor aproveitamento no ataque, fundamento liderado por Gabi.

Confira abaixo a entrevista:

  1. Você foi contratada como principal reforço do Praia para a temporada. Como analisa seu desempenho até agora?
    Como em todo time que eu jogo, carrego sempre a responsabilidade de fazer bem o meu trabalho, independentemente das circunstâncias. Este ano, não está sendo diferente. É claro que de vez em quando nem sempre saio de quadra satisfeita com o resultado demonstrado. Mas acredito sim, que eu esteja fazendo um bom trabalho, devido às estatísticas. Mas pra mim, sempre pode ser melhor.
  2. O time teve altos e baixos durante a fase de classificação. Como imagina que ele chegará aos playoffs?
    Bom, o time realmente veio de altos e baixos, mas acredito que estamos na ascendência e vamos apresentar nosso melhor nos playoffs. Queremos muito estar entre os quatro semifinalistas.
  3. Qual o fundamento que o Praia ainda precisa melhorar para os playoffs?
    Acredito que de tudo um pouco seria o suficiente porque agora é a hora. Ao mesmo tempo, não tem muito o que melhorar porque é naquela hora decisiva que vai mostrar quem realmente está preparado.
  4. Como é jogar com a Ramirez, uma jogadora vibrante, explosiva?
    Meu relacionamento com ela está sendo o melhor possível. No início acreditei que seria difícil, pelo fato de eu também ter uma personalidade forte. Mas acabou me surpreendendo e estamos nos dando muito bem. Mesmo quando às vezes rola um arranca-rabo, no fim sempre nos entendemos.
  5. Passados os primeiros jogos após você anunciar a gravidez, está se sentindo mais à vontade ou com menos medo em quadra?
    De vez em quando até esqueço que estou grávida, mas sempre com um cuidado a mais. Estou me sentindo muito bem e espero terminar da melhor maneira essa Superliga.
  6.  Como você analisa a repercussão que a notícia teve entre companheiras, adversárias, fãs?
    Acho que no início todos levaram um susto. Assim como eu, ninguém esperava. Mas hoje está tudo bem e muita gente vem me parabenizar pelo neném. Na verdade, não mudou muita coisa não.
  7. Já imagina como será a característica da “mãe Tandara”?
    Com certeza uma mãe babona, carinhosa, porque eu sou assim com a minha família e com o meu marido. Acredito que não será diferente com o meu príncipe ou a minha princesa.
  8. Você já disse que a reação do Zé Roberto Guimarães foi boa. Você ficou nervosa, tensa antes da conversa? Teme ainda perder espaço na Seleção? Detalhe como foi o papo com ele, por favor.
    Poxa vida, nunca fiquei tão nervosa na minha vida em ter de falar com alguém. Nem mesmo quando fui dar a notícia para os meus pais. Não temo em perder o meu espaço na Seleção porque só vai depender de mim, e estou fazendo o possível para que isso aconteça o mais rápido. Em nenhum momento ele fechou portas. Pelo contrário, me deu todo o apoio possível e força. Então, eu acredito sim que no ano que vem estarei lutando pela vaga nos Jogos Olímpicos.
  9. Você já se aconselhou com outras “mamães” da Seleção, como a Jaqueline?
    Ela foi a primeira a me ligar quando anunciei a gravidez e sempre me manda mensagem perguntando se estou bem. Acho superlegal da parte dela dar essa atenção porque acabou de ser mãe também e está superfeliz. Agradeço a preocupação da Jaque. A ajuda que ela tem me dado significa muito.
  10. Voltando a falar em Jaqueline. Ela vive grande fase após a maternidade. Você imagina que isso possa acontecer também contigo?
    Com certeza eu vou lutar para que isso aconteça. Querendo ou não, pretendo estar bem na próxima temporada, jogando uma Superliga e me preparando para realizar mais um sonho olímpico, depois de realizar o maior sonho de todos: o de ser mãe. Acredito que incentivos não vão faltar.


MaisRecentes

Dentil/Praia Clube confirma presença no Mundial



Continue Lendo

Seleções disputarão amistosos pelo país antes dos Mundiais



Continue Lendo

O adeus do genial genioso Ricardinho



Continue Lendo