Entrevista com José Roberto Guimarães: primeira parte



Demorou, mas está no ar a primeira parte da entrevista que fiz no fim da semana passada com José Roberto Guimarães.

A conversa por telefone com o treinador durou mais de 40 minutos. Zé havia acabado de treinar o Fenerbahce para a fase final do Campeonato Turco e se encaminhava para outra entrevista em uma TV local.

Durante o papo, o bicampeão olímpico falou sobre a conquista da Liga dos Campeões da Europa pelo Fener, após bater Dínamo Kazan (RUS) e Cannes (FRA), na fase final disputada em Baku, no Azerbaijão.

Neste trecho inicial da conversa, selecionei alguns assuntos: a repercussão do título europeu e o tão aguardado futuro de Zé Roberto, procurado para comandar um novo projeto feminino em Campinas, patrocinado pela Amil, empresa do ramo de saúde. Por enquanto, ele não fala em nomes e muito menos em detalhes da formação da nova equipe. Por respeito ao time turco, Zé prefere deixar o assunto para “a semana que vem”.

Na outra parte da entrevista, vou abordar os tópicos Seleção Brasileira e Olimpíada de Londres.

A inédita conquista do título europeu
A comemoração está sendo muito intensa. Estamos, desde o título, todo dia na TV, participando de programas. As meninas estiveram até em um talk show. Estivemos no jogo de basquete entre Fenerbahce e Galatasaray e foi uma loucura. Aqui, o Fener pode perder para todo mundo, menos para o Galatasaray. O torcedor quer ver as meninas, quer festejar. É impressionante como eles estão reagindo. Por ser a primeira conquista da Champions na história do clube, a torcida está delirando. Estão mais alegres do que quando ganhamos o Mundial (na temporada passada). A relação que ela (torcida) tem com todos os esportes do clube demonstra uma paixão sem limites. O torcedor sabe o nome de todas as jogadoras. Criaram até uma música para elas. É a mesma intensidade que eles torcem para o futebol. É só assim que posso comparar: com a ligação que o brasileiro tem com seu time de futebol.

A volta do Azerbaijão
Os dirigentes fretaram um avião e voltamos no mesmo dia da final. Chegamos na Turquia por volta de 3h, 3h45 da manhã. Trouxeram time, torcida, dirigentes, todos no mesmo voo. O aeroporto estava lotado. Parecia até volta da Olimpíada pelo Brasil após título olímpico. Me lembrei de 92 e 2008. Foi uma festa e tanto, com fogos coloridos. Na final (contra o Cannes), jogamos de amarelo e fez até relembrar o Brasil mesmo.

Finais do Campeonato Turco
Os playoffs começam nesta terça. Todos os jogos serão em Ankara. A fase final dura oito dias. Agora são dois grupos de quatro. Primeiro, quarto, quinto e oitavo de um lado. No outro, segundo, terceiro, sexto e sétimo. Os dois melhores se cruzam na semifinal, em jogo único. Depois é a final.

O time com Sokolova, Kim, Tom e Fabiana
A atmosfera foi uma das melhores que já vivi com um time. A maturidade deste grupo, a entrega nos treinos. Fiquei muito satisfeito com o período de convivência com este grupo.

Futuro
Estou decidindo o que fazer. O pessoal aqui ainda não me chamou para conversar e falar sobre o futuro. Como eles ainda estão curtindo o momento, não falaram nada sobre renovação. Vamos esperar mais um pouco, uma semana, para decidir.

Campinas
Fui procurado. O projeto é sério, vai sair do papel. Não bati o martelo ainda e não posso falar mais nada. Mas é algo de longo prazo, pensando no ciclo até os Jogos do Rio, em 2016. É um momento importante para o esporte brasileiro. Vamos aguardar mais um pouco.

 



  • klaus

    Daniel,quando ele diz que é um projeto a longo prazo,até o Rio 2016, significa que ele pode permanecer no comando da seleção e fazer uma renovação?

    • Daniel Bortoletto

      Não vejo problema algum. Mas é sempre bom ver como vai terminar um ciclo olímpico antes de se começar outro

      • Thiago

        se ele for assumir o campinas, obrigatoriamente tem que deixar a seleção

  • Jairo(RJ)

    Daniel, as especulações sobre o time de Campinas correm solta. Falam em Mari, Fofão, Fabiana e no que diz respeito a Mari, no Maracanãzinho os cartazes já aparecem pedindo para ela ficar no Unilever

    Você acha por acaso que o Fener não ganha o campeonato? Creio que o ZRG montou uma base equilibrada com uma Sokolova já não tão vigorosa, mas que em conjunto com a Logan Tom dá consistência para a equipe. E a Kim, é surpresa ou não?

    Quanto a questão de renovação, será que os turcos são iguais a alguns brasileiros, que primeiro comemoram e depois vêem como fica? Quando eles acordarem, perceberão que as águas rolaram e levaram o Zé pra Campinas.

    • Daniel Bortoletto

      acho que o Fener vai tentar segurá-lo, sim. se não despejarem uma fortuna, acho que ele encara o novo desafio em Campinas.

      não vejo a Kim como surpresa não.

      • Rafa

        Daniel sei que o titulo do post é outro, mas se você souber e puder responder sobre o Minas. Muitos falam em aumento de investimento e outros em cortes. Você sabe de alguma coisa. Eu ainda acho que se as cubanas ficarem no Brasil ficam no Minas, o que pode fazer elas irem embora é o fato delas se sentirem perseguidas aqui. No mais parabéns pelo seu blog coerente e imparcial.

  • Leonardo Paulino

    Bom dia, Daniel admiro muito seu texto, ficaria muito grato se pudesse me responder uma dúvida você acha correto a Ricardinho do Volei Futuro e a Fernanda Venturini do Unilever, não serem convocados para a seleção?

    • Daniel Bortoletto

      Leonardo, nos dois casos existem muitos motivos (alguns que nem são públicos. outros são, mas não confirmados pelos lados envolvidos) para que sigam afastados. Tecnicamente, ambos são inquestionáveis. Mas temos de levar em conta esses problemas do passado que ambos tiveram com os técnicos e respectivamente com os companheiros da época

  • GRACA

    Gostaria de saber que criterio foi levado em consideracao para a convocacao da DANI LINS: teve pessima particiapacao na COPA DO MUNDO e fez uma SUPERLIGA APENAS MEDIANA p/nao ser rude com ela… Que criterio??? Entre SASSA’ e SUELE, SUELE e’ mais alta, tem melhor bloqueio, alem de ter as mesmas caracteristicas de fundo de quadra que a SASSA’ que fez tbem uma superliga mediana, atras inclusive da SONINHA sua companheira de clube…. PORQUE SASSA’ e nao SUELE OU SONINHA???

    • Torcedor VF

      Acredito que o critério seja o ciclo olímpico, várias jogadoras são testadas durante os 4 anos, mas apenas algumas se firma nas posições, não acho que estátisticas de uma superliga possam afirmar se essa ou aquela jogadora é melhor e merecer ir para seleção, a rodagem internacional, o entrosamento com as outras jogadoras são fatores essenciais!
      E outra, que moral tem um técnico que a cada superliga a seleção muda, seguindo as estátisticas?
      Zé está certíssimo, em ano olímpico não tem como descartar jogadoras que jogaram o clico todo pelos destaques de uma superliga! Além do mais, que levantadora com a idade da Lins tem tantas medalhas com clubes e com a seleção? Acredito que nem Fernanda e nem Fofão tinham!

  • Emerson

    Daniel, você é F…. não iria me decepcionar contigo, sabia que viria uma entrevista mais do que ótima. Sou fã do Zé, tive a oportunidade de conhece-lo ainda na época em que jogava infanto-juvenil pelo time de Alphaville, nesta época a seleção treinava la no ATC como preparação para o Grand Prix do ano. O Zé é um cara fenomenal, super educado, tranquilo, simples ao extremo, é um cara que merece estar onde está.
    Vlw pela entrevista com ele e nós amantes e fãs de volei, aguardamos a volta dele ao Brasil.

  • GRACA

    OUTRA COISA: SE DANI LINS foi convocada, VENTURINI tem obrigacao de ser convocada tbem… Afinal de contas VENTURINI E’ MIL VEZES melhor que ela!!!

    • Rose

      Graça,

      é impossível a Venturini voltar p/ seleção, pois ela não segue as orientações do Zé, e isto foi dito qdo o Brasil perdeu aquele jogo 19×24.

  • Jailson

    Aguardando ansiosamente a segunda parte…

  • Vivian

    Daniel, fiquei com uma dúvida.
    Quando ele fala que o projeto é para até 2016, o que isto significa?
    Contrato de 4 anos?
    Um projeto visando formar jogadoras para 2016, mas aí se perderia se contratar estrangeiras.
    Ou será um projeto para aproveitar o ano olímpico em termos de marketing, mas aí fica refém de resultados e tem tempo de duração.

    • Daniel Bortoletto

      que o investimento não é apenas para uma temporada. projeto de longo prazo do patrocinador

  • Vitor

    Mas não tinha um acordo de cavalheiros na CBV com o ZRG e o Bernardinho de que nenhum dos dois poderia dirigir um time feminino no caso do ZRG e masculino do Bernardinho enquanto os mesmos comandarem a seleção? Aceitar ser técnico do Campinas obrigaria o Zé Roberto a abandonar a seleção, e isso eu acho difícil que ele faça. Até por não ter um substituto em potencial ainda.

  • Rafael B.

    E quando teremos a segunda parte desta entrevista??? =D

    • Daniel Bortoletto

      esta semana, antes do feriadão

  • Rafa

    Esperava um notícia boa, mas não TÃO BOA!!
    Até arrepiei quando vi que a entrevista era com o Zé!!
    Daniel,a proveito a oportunidade pra te fazer uma pergunta boba:
    Você torce para algum time no vôlei?

    Espero ansiosamente pela segunda parte da entrevista!!

    • Daniel Bortoletto

      Não torço. Por trabalhar atualmente no RJ, me chamam de Unilever e RJX. Por ter morado quatro anos em BH, sou rotulado de minatenista. Por ter nascido em SP e iniciado profissionalmente a carreira por lá, já me chamaram dos demais times.

      • Jairo(RJ)

        E na itália Sr. Bortoletto? Um time a mais ou não, o que importa? kkkkk

      • Rafa

        Não torce pra Cimed/Sky (nossos arquirrivais (sim sou torcedor do Minas com muito orgulho XD))
        Então tá bom!! XD

  • Maria Tereza

    Grande Zé Roberto rumo ao bi Olímpico no feminino acredito que você vai superar todas as dificuldades e irá nos dá muitas alegrias em Londres

    Parabéns Daniel pela entrevistar

  • Torcedor VF

    Levando em conta de que os boatos sejam verdadeiros e o time seja:
    Fofão/Ramirez
    Mari/Sokolova
    Fabiana/?
    Brait
    Fica impossível qualquer time lutar contra o Campinas, vai ser um time campeão invicto… Finalmente alguem para acabar com hegemonia Rio/Osasco, coisa que infelizmente o VF ainda não conseguiu, mas espero que consiga na sexta feira!

  • César Castro

    Excelente entrevista.

    Espero que na segunda parte sejam abordados temas como:

    Por que o Brasil tem jogado tão mal jogos decisivos?
    O que ele viu de bom e de novo nessa SL?
    Se ele vier treinar um time feminino aqui no Brasil, implica que não poderá treinar a seleção?
    O que o Brasil precisa fazer pra tentar o bi em Londres? Quais são os pontos fracos do Brasil?
    Ele ainda tem dúvidas sobre a escalação para Londres?

    Abraço a todos!

  • Filipe

    Daniel, quando você vai publicar a segunda parte da entrevista?

    • Daniel Bortoletto

      amanhã

      • Filipe

        obrigado!

MaisRecentes

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo

Camponesa/Minas quebra longa invencibilidade em Osasco



Continue Lendo

Placar RedeTV!: Futebol 2 x 0 Vôlei



Continue Lendo