Em nota oficial, Unilever explica desistência do Sul-Americano



Em nota oficial, a Unilever explicou o motivo de não disputar o Sul-Americano de Clubes, que vale vaga no Mundial.

Uma queda de braço entre clubes e CBV, responsável pela Seleção, é algo que não costuma fazer bem para o futuro do esporte. Que não seja a primeira de muitas desavenças.

Confira a nota oficial:

A equipe Unilever, heptacampeã da Superliga Feminina de Vôlei, confirmou, nesta terça-feira (5/7), que não disputará o Campeonato Sul-Americano de Clubes, ainda sem data e local definidos. A competição é classificatória para o Campeonato Mundial de Clubes, de 8 a 14 de outubro, em Doha, no Catar. Como a Unilever não disputará o Mundial por poder não contar, nesse período, com sua força máxima – a CBV não liberou as jogadoras da seleção -, o clube optou por abrir mão da participação nas duas competições.

A data escolhida pela Federação Internacional de Vôlei (FIVB) para a realização do Campeonato Mundial de Clubes antecede os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, que serão de 14 a 30 de outubro. Logo em seguida, de 4 a 18 de novembro, será disputada, no Japão, a Copa do Mundo, que é classificatória para os Jogos Olímpicos de Londres/2012.

Segundo o supervisor da equipe Unilever, Harry Bollmann, em virtude do calendário, as principais jogadoras da Unilever estarão à disposição da seleção brasileira, não sendo possível a participação delas no Mundial de Clubes.

– Hoje, temos seis atletas cedidas à seleção – lembrou Harry.

A CBV solicitou a mudança para as entidades de área.

– As Confederações Sul-Americana e Pan-Americana intercederam para que a FIVB mudasse a data do Mundial, mas eles alegaram ser impossível por questões logísticas.



MaisRecentes

Mais seguro, Brasil vence e está nas finais da Liga das Nações



Continue Lendo

Vaivém: Mais uma campeã da Superliga no Osasco/Audax



Continue Lendo

Na estreia de Lucas Lóh na Liga das Nações, Brasil se recupera



Continue Lendo