Em jogo marcado por contusões e provocações, Brasil bate a Rússia



Ótimo ver uma atuação consistente do Brasil diante da Rússia, principal rival na luta pelo título mundial, culminando com uma vitória por 3 sets a 1.

Preocupante ver três titulares (Wallace, Sidão e Murilo) deixando o jogo com problemas físicos, às vésperas da terceira fase da longa competição na Polônia.

Assim não dá para ser tão eufórico após o confronto deste domingo, já pensando que na terça-feira a maratona estará de volta lá em Katowice.

Brasileiros comemoram (FIVB/Divulgação)

Brasileiros comemoram (FIVB/Divulgação)

A manutenção da invencibilidade e confirmação do Brasil como melhor time da competição até agora começaram com um show de saques. Foram sete aces da Seleção até a primeira parada técnica do set inicial. Um número absurdo levando em consideração o nível dos dois times. Com tamanha eficiência neste fundamento, o Brasil nem se incomodou com alguns bons saques de Muserskiy e outros de Savin, para fechar em 25-21. Uma atuação que merece ser lembrada por algum tempo pelos torcedores!

O segundo set foi o mais equilibrado, com muito mais cara de Brasil x Rússia. Spiridonov e Apalikov provocando após quase todos os pontos, muita pancadaria no saque e nas bolas pelo meio de rede, tensão na virada de bola… Wallace precisou ser substituído após torcer o tornozelo esquerdo ao tentar fazer um bloqueio. Entrou Leandro Vissotto para ser um dos nomes da vitória verde-amarela. Mas a imagem da parcial foi a torção de tornozelo que Moroz, que substitua Pavlov, poupado, sofreu. Deu para ouvir os berros do dor do jogador pelo som ambiente da transmissão e o replay em câmera lenta mostrou o pé virado por completo. Esse vai ver o restante do Mundial pela TV. Um ataque errado de Vissotto garantiu o empate para os russos.

Sem sentir a derrota no set anterior, o Brasil voltou bem após os 10 minutos de descanso para a terceira parcial. Voronkov, o técnico russo, tentou repetir a cartada que deu certo na final olímpica, deixando Muserskiy na saída de rede. Mas não deu certo. O gigante de 2,17m meteu uma bola na antena e um pé na linha ao tentar atacar do fundo. O 25-19 foi conquistado com relativa facilidade.

O placar voltou a se repetir no quarto set, já com Éder e Chupita nos lugares de Sidão – dores no joelho direito – e Murilo – incômodo na coxa direita. Vissotto terminou como maior pontuador (15 acertos). Vitória que certamente dá moral para a sequência da competição, mas que seria bem mais festejada sem os problemas médicos que Bernardinho terá de resolver.

E, graças ao regulamento bizarro de mais um Mundial, Brasil e Rússia poderão cair na mesma chave na próxima fase. Após a rodada deste domingo, a FIVB irá sortear os segundos e terceiros colocados, colocando dois de um lado para encarar os brasileiros e dois de outro para duelo com o líder do Grupo E (França ou Polônia, que ainda irão se enfrentar hoje). Estarão no sorteio também, além dos russos, Irã e Alemanha ou Canadá, outros dois que ainda duelarão.  Sentiu falta dos EUA? Pois é. Os atuais campeões da Liga Mundial foram eliminado após derrota para a já eliminada Argentina. Um rival de peso a menos na briga pelo título mundial.



MaisRecentes

Vaivém: Site crava volta de Hooker ao Osasco



Continue Lendo

Brasil não toma conhecimento da Argentina



Continue Lendo

Termina a parceria campeã olímpica de Alison e Bruno Schmidt



Continue Lendo