Em bom teste, Brasil se aquece para as finais



A Seleção masculina iniciou com vitória o última semana da fase de classificação da Liga Mundial. Na manhã deste sábado, 0 3 a 1 sobre os Estados Unidos (25-22, 25-18, 20-25 e 28-26) serviu para Bernardinho fazer testes e observações para o Final 6, na Argentina, na próxima semana.

Sem Bruno, com virose, o técnico iniciou o duelo com William. Como Leandro Vissotto também foi poupado, Wallace ganhou chance no time. E a dupla levantador/oposto pôde utilizar todo o entrosamento que carrega do Sada/Cruzeiro. Depois de um início nervoso e com muitos erros, eles foram importantes na construção do triunfo. William, inclusive, foi responsável por muito volume de jogo, com defesas em vários momentos do jogo. Já Wallace terminou com 16 pontos, atrás apenas de Lucarelli, que fez 17.

Para quem tinha sido importante em inversões de 5-1 durante a competição, foi bom comprovar de que podem, também, ser decisivos com maior tempo em quadra. Acho que a Seleção vai precisar bastante deles nas finais na Argentina.

A outra mudança no time não funcionou. Sem Dante, também poupado, Bernardinho optou por Thiago Alves, até então pouco utilizado na Liga. Mas com baixo aproveitamento no ataque e um pouco inconstante no passe, ele foi substituído por Maurício. O Brasil ganhou na recepção, mas o ponta ainda precisa crescer na parte ofensiva, ponto que mais pecou neste sábado.

Vale ressaltar ainda uma sequência de quatro aces seguidos de Lucão no segundo set, algo raro. Ainda mais quando a recepção não consegue sem sequer tocar na bola… Vocês se lembram de algo parecido? O central terminou o confronto com 16 pontos.

Por fim, um comentário sobre o time dos Estados Unidos. Com a formação que jogou hoje, os americanos terão dificuldades para manutenção no grupo dos melhores do mundo. Anderson é quase uma ilha de excelência na equipe atualmente.

 



  • Robert Rio de Janeiro

    Concordo Daniel,acho que o Lipe merece jogar o próximo jogo desde o início,Maurício me parece um pouco fora de em comparação com os outros jogadores,apesar do time americano marcar muito bem.Bom também foi ver o Rapha e o Renan entrando,mostrando que ainda falta o ritmo ideal para ambos,espero que eles tenham mais chances!

  • emanuella

    Porque Lipe não tem chance?? não entendo, prefiro ele aos outros dois ponteiros.
    Nosso bloqueio foi fraco, levou um banho do bloque do EUA.
    Mario jr. jogou bem, muito melhor que Alan em Brasilia, achei que passou melhor até que de costume.
    Muitos erros da arbitragem, e todos em favor do Brasil, uma vergonha.
    Quando um atleta joga o jogo inteiro a gente pode avaliar melhor. Wallace também errou pra caramba, tanto quanto o Vissoto que a gente cobra tanto erra.
    Lucarelli gostei muito, jogou demais. Que talento, vai ser o responsável por essa nova geração do Brasil para se manter no top. Nosso futuro no volei não é tão promissor como antigamente.
    Feliz pelo Renan pelo menos ter uma chance num jogo da seleção.
    Esse time do Eua é fraco, mas fez um grande 4 set.

  • Wasley

    Fico feliz pela vitória brasileira, mas vamos combinar: foi um vexame a atuação da arbitragem. Os EUA poderiam ter ganho o 4° set se não fossem os erros da arbitragem a favor do Brasil no momento crítico do set. Gostaria de ressaltar a ótima partida do William. Realmente é um levantador diferenciado. Espero que ele possa ter mais oportunidades de atuar na seleção.

  • Jonatan

    O Maurício tem boa estatura e sabe atacar, mas está muito fora de forma, lento e sem impulsão.

  • Luciano

    Interessante o respeito e admiração que o Lucão tem pelo Willian. Apesar de não terem um tal entrosamento parece ter um sintonia entre os dois natural. Em relação ao Wallace acho que está precisando voltar a ser o oposto de força que é sua característica e não tantas largadinhas. Mas ainda acredito que ele afina em decisões.
    Agora o nosso fraco está na posição de outro ponteiro que ajude pelo menos 70% do que o Lucarelli está produzindo. O Dante joga em ritmo lento, o Thiago Alves é aquilo mesmo e ponto, o Maurício está na minha lista de piores ponteiros que já vi jogar tanto nos clubes como seleção, aliás não sei como pode ter nível seleção( o Sesi levou gato por lebre). Entre esses só o Lipe me dá confiança, pois mostra isso nas suas atuações tanto deleção quanto clube.
    Por fim Mário Jr jogou um dos seus melhores jogos, uma de suas melhores atuações.

  • Márcio

    Enfrentar os EUA sempre é complicado, seja qual time deles estejam em quadra. Defendem muito, sabem explorar muito o bloqueio adversário. Um bom teste para a seleção antes das finais. A entrada do Willian e do Walace, na minha opinião, foi importante, principalmente para o entrosamento com os demais titulares. Os levantamentos do Bruno são mais precisos, enquanto que do Willian são mais imprevisíveis e velozes. Por questão de jogo prefiro o Willian que desmonta o bloqueio adversário…O passe da seleção continua devendo, ficando mais difícil jogar com as bolas rápidas do meio. Assisti alguns jogos dos outros grupos e acho que o Brasil entra mais uma vez como favorito para disputar a final. Título dependerá de como se comportará alguns jogares jovens e estreantes em finais, sim falo do Lucareli, é esperar para ver…

  • Jairo(RJ)

    Importante dar ritmo aos demais jogadores, pois não é mais como antes, quando a seleção tinha “doze jogadores” que entravam e o ritmo não era quebrado.

    Não estou acompanhando diretamente os jogos, mas se a “ausência” do Dante complicou um pouco o passe, significa que o velhinho ainda é fundamental para a linha de passe do Brasil?

    Daniel, acabei de ver Bulgária x Polônia… um 3×2 para a Bulgária, com direito a Kurek no 5o Set marcar quatro pontos no saque… Inveja do Lucão?

  • Guga

    Daniel, faltou você salientar nos inúmeros erros da arbitragem a favor do Brasil neste jogo, erro que poderia mudar o resultado. Em relação ao Futuro acho que os EUA mais ganhou do que o Brasil, vimos dois Opostos que tem futuro, dois bons levantadores, enquanto vimos o que já tinhamos visto antes, iremos ter um imenso problema em encontrar bons Ponteiros Passadores, Mauricio e Thiago Alves em minha opinião não tem bola para ser Seleção, no máximo um Pan Americano… Enquanto isso vivemos de Dante, Thiago Alves, Mauricio e a defesa do Paizão Bernardinho em cima do filhote, William deu um banho hj.

    • Marcelo

      Um banho? Sinceramente achei o desempenho do Bruno mais decisivo contrava Bulgária (mais forte do que o EUA). Sem mais.

    • Marcelo

      Um banho? Sinceramente achei mais decisivo o desempenho do Bruno contra a Bulgária (mais forte do que o EUA).

    • Luiz

      Exatamente, Guga. Os EUA estão em texte, mas apresentaram jogadores para ficar de olho. Aí, os caras esmagam nossa seleção mais para frente, em outros campeonatos, e os jornalistas vem dizer que já esperavam e tal… dos EUA eu sempre espero uma armadilha.

  • Luiz

    ” Com a formação que jogou hoje, os americanos terão dificuldades para manutenção no grupo dos melhores do mundo. Anderson é quase uma ilha de excelência na equipe atualmente.”

    Com esta frase, Daniel, você acaba de se juntar ao Wallace em relação a atitudes de desrespeito aos jogadores americanos. Wallace tem tido um comportamento HORRÍVEL em quadra ultimamente, vibrando e provocando os adversários. Hoje, ele até mesmo desrespeitou o Bernardinho, ao não querer ouví-lo no tempo técnico.

    Se eu pudesse dar um conselho ao wallace, o usaria para você também: no vôlei, ninguém pode brincar com os americanos. Mesmo com um time fraco, respeito é bom e eles gostam. Esta equipe se faz de morta o tempo todo e, quando vamos ver, eles estão lá brigando por medalhas em campeonatos muito mais importantes que qualquer liga mundial. A equipe campeã em Pequim também tomou muita sova de todo mundo (foram ANOS), mas deu o bote no momento certo. Lembre que, se estes dois jogos desclassificam os americanos, eles também servem para dar rodágem internacional a eles. Vá por mim, NUNCA OS SUBESTIME, pois no jogo de hoje, vi jogadores muito bons no time de lá, como os irmãos (um líbero e o outro levantador), o central Holt, o ponteiro Lotman e também tem o central reserva Smith. Vamos com calma, Sr.!

  • Eu não entendendo porque ainda tem gente que crítica os levantadores da seleção brasileira,eu ja disse aqui no blog do Daniel e também em outro blog,que a deficiência da seleção está nos ponteiros,e quem está acompanhando a liga mundial está vendo que o maior problema do Brasil é a recepção,e o fato do Dante não ter jogado hoje não muda nada,porque ele também não vem fazendo bons jogos,erra muito no passe e no ataque e dificilmente defende uma bola,o fato é que o Dante não joga mais o mesmo voleibol de antes e eu não entendendo porque ele ainda é titular da seleção brasileira.Eu acho que o Bernardinho deveria ter apostado em outro ponteiro para a liga mundial já que o Dante não vem jogando bem desde a superliga …

  • feitosa

    o Brasil faz uma campanha razoável, com Lucao e Lucarelli inquestionáveis, Eder se firmando como titular, sera uma boa ´´briga´´´quando Sidao voltar, Wallace boa opção pras inversões, Vissotto mais regular, Bruno e Willian estão bem, mas Bruno leva vantagem no bloqueio, o Mario Jr. deve se firmar como titular, o maior problema é a outra vaga na ponta, Thiago Alves e Mauricio irregulares, Chupita bom no ataque e irregular no passe e Dante bom no passe e a idade já atrapalhando no ataque. A esperança é quando Murilo voltar esteja recuperado do problema no ombro.

  • R.Tigre

    O entrosamento entre Wiliam e Walace, trazido do Cruzeiro, está sendo importantíssimo para a seleção. O revezamento de Wiliam e Walace com Bruninho e Visoto, é a melhor inversão do 5×1 que existe no Mundo, nenhuma equipe consegue mudar a característica do jogo e manter uma qualidade tão alta quanto a que a inversão do 5×1 brasileira proporciona.
    Acho que o Maurício Borges deveria entrar no lugar de Dante como titular.

  • Bernardo

    “Com a formação que jogou hoje, os americanos terão dificuldades para manutenção no grupo dos melhores do mundo.” Creio que esse pensamento seja um tanto quanto precipitado em se tratando de uma seleção americana no voleibol. Os EUA possuem um grande material humano para reposição de atletas em qualquer modalidade esportiva. É o país que mais tem essa possibilidade junto com a China, e que sabe explorá-la.

    Como o atual técnico norte-americano havia mesmo dito, inicia-se um ciclo olímpico e mesmo correndo riscos de não avançar nas principais competições internacionais, um processo de renovação ocorrerá com a experimentação de vários jogadores, assim como foi nessa Liga Mundial. O Anderson é uma excelência na equipe americana pois na atual formação é um dos mais rodados, ao mesmo tempo que é ainda bem jovem. Os demais começam a jogar pela seleção americana nas principais competições a partir de agora e a tendência é que cresçam muito tecnicamente.

    Considerando que Stanley e alguns dos veteranos ainda servem à seleção, se formarem um grupo mesclado de veteranos e atletas mais jovens menos rodados, será uma seleção fortíssima nesse ciclo. Os EUA são os maiores detentores de títulos olímpicos no vôlei masculino indoor. Nas duas finais olímpicas disputadas entre brasileiros e norte-americanos, o Brasil perdeu.

    Para o bem do voleibol, espero que tanto os EUA quanto o Brasil atinjam o maior nível possível até as olimpíadas do Rio. Creio que sejam as melhores escolas de voleibol do mundo. Merecia uma outra final olímpica entre as duas!

MaisRecentes

Minas espera Hooker ainda em outubro



Continue Lendo

Vaivém: Vôlei Nestlé confirma apresentação de peruana



Continue Lendo

Vaivém: Polonesa é esperada em Barueri



Continue Lendo